“A cidade mais bonita é aquela em que vivemos” – uma conversa com Paula Dias, do Hey Sampa

Mirela Mazzola - 3 dez 2014Paula Dias, do Hey Sampa: aproximando as pessoas da cidade em que vivem
Paula Dias, do Hey Sampa: aproximando as pessoas da cidade em que vivem
Mirela Mazzola - 3 dez 2014
COMPARTILHE

Depois de passar boa parte da vida adulta dentro de carros e escritórios, a relações-públicas Paula Dias, 29 anos, se deu conta que aquele não era seu objetivo de vida. “Buscava cargos mais altos a cada dia, sem saber exatamente o porquê”, diz. Foi então que, em 2013, ela arrumou as malas e partiu para a Europa. “Fiz um curso de cultura francesa que falava até sobre a importância das flores em cada região. Brinco que a França parece um bairro onde todos conhecem tudo e todo mundo”, diz. Na Itália, a sensação foi parecida. Mesmo diante da crise, segundo ela, os italianos não deixavam de enaltecer o país.

Ao voltar ao Brasil, no entanto, a paulistana assistia a um sentimento oposto em seus conterrâneos. “As pessoas falam mal da nossa cidade sem a conhecer.” Para ela, é se aprofundando na história e na cultura do ambiente urbano que aprendemos a valorizá-lo. “O patrimônio material está degradado e somos carentes de símbolos que nos representam. Olhamos a metrópole sem enxergá-la de verdade”, afirma.

A partir dessas experiências, Paula teve a ideia de criar, no começo de 2014, um movimento que difundisse essa cultura em São Paulo. O Hey Sampa promove tours guiados e eventos como as Jornadas Fotográficas, que convida moradores a fotografar sua região, refletir sobre ela e discutir melhorias, e o Ciclo de Debates, encontros entre cidadãos e figuras do meio cultural paulistano. Todas as atividades são gratuitas. Segmentado por bairros e comunidades, o projeto acredita que a construção do amor pela cidade deve ter como ponto inicial a área onde se vive.

Estão previstos ainda um passeio guiado com cadeirantes, a fim de conhecer as dificuldades encontradas por eles na região central, e a criação de uma espécie de clube que reúna representantes de cada bairro. Outro sonho é fornecer cartilhas sobre o patrimônio em escolas públicas. “Minha maior satisfação é vasculhar histórias para manter viva a relação afetiva entre as cidades e as pessoas”, diz Paula.

 

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Envie a sua história para a Sala de Bem-Estar da Natura. A Natura quer conhecê-la. A Natura quer publicá-la.

1033 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: