A Cooperativa Bordana, nascida da dor de uma mãe ao perder a filha, hoje empodera 27 mulheres

Mirela Mazzola - 27 out 2014Celma Grace de Oliveira (em pé, a terceira da esquerda para a direita), com a turma da Cooperativa Bordana: uma das finalistas do Prêmio Claudia 2014 na categoria Consutora Natura Inspiradora
Celma Grace de Oliveira (em pé, a terceira da esquerda para a direita), com a turma da Cooperativa Bordana: uma das finalistas do Prêmio Claudia 2014 na categoria Consutora Natura Inspiradora
Mirela Mazzola - 27 out 2014
COMPARTILHE

O bordado de ponto livre, também chamado de ponto tradicional, permite que as linhas coloridas “caminhem” pelo tecido de algodão formando bonitos desenhos, definidos pela criatividade do artesão. Este tipo de trabalho, que pode estampar de almofadas a capas de caderno, ajudou a entrelaçar a vida de 27 mulheres no bairro Conjunto Caiçara, em Goiânia (GO). Elas pertencem à Cooperativa Bordana, fundada em 2008 por Celma Grace de Oliveira, 45, uma das finalistas do Prêmio Claudia 2014 na categoria Consutora Natura Inspiradora. A iniciativa busca empoderar e dar autonomia financeira às cooperadas.

Um ano antes de criar a Bordana, Celma perdeu uma filha de 10 anos, vítima de leucemia. “A Ana Carol adorava artesanato e sonhava em ser estilista. Ela foi a grande inspiração para começar o movimento e retomar a vida”, conta a fundadora. A renda que sustenta o projeto vem de cursos livres, cobrados, e da venda dos produtos, expostos nas manhãs de domingo na Feira do Cerrado, na capital goiana, e em feiras nacionais de artesanato.

As cooperadas têm à disposição o material necessário para bordar em casa, mas se reúnem nas tardes de sábado para bater papo e dividir experiências. “Não queremos gerar só renda, mas também relações fraternas e humanas”, afirma Celma. Outra atribuição importante da iniciativa é valorizar o Cerrado, onde Goiás está inserido. Estampar as peças com representações da fauna e da flora típicos desse bioma, como o pequi e o buriti, são pré-requisitos na produção.

Entre os principais desafios da Cooperativa Bordana estão obter material, como linhas e tecidos, e trazer voluntários que ajudem na gestão e na divulgação do projeto. E os maiores objetivos, segundo Celma, são tornar-se uma referência de negócio social e a principal fonte de renda das cooperadas.

 

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Saiba mais também sobre o Movimento Natura. E veja como inscrever lá projetos sociais que você toca, admira ou que gostaria de ajudar.

1337 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: