#ApoieMarcasLocais não é só uma hashtag. É um chamado à consciência: você impacta o mundo a cada decisão de consumo

Dani Rosolen - 27 abr 2020 Leila Okumura trouxe para a Local.e seu expertise em inovação durante os 15 anos que trabalhou na Nielsen.
Leila Okumura, da Local.e: 1 100 marcas de alimentos e bebidas e quase 200 varejistas na plataforma (ainda em modelo freemium).
Dani Rosolen - 27 abr 2020
COMPARTILHE

Se antes da pandemia a ação da Local.e, plataforma que conecta marcas locais de alimentos e bebidas ao varejo, era essencial para a sobrevivência de pequenos negócios, com a crise o trabalho está ainda mais intenso. Em busca de fortalecer esses empreendedores, a startup lançou a campanha #ApoieMarcasLocais.

Para a cofundadora Leila Okumura, a pandemia do coronavírus tem revelado pelo menos um lado positivo: despertar uma “maior consciência” do público em relação à importância de comprar dos pequenos.

“A crise sensibilizou os clientes que antes estavam comprando ‘no automático’ a pensar no impacto que suas compras podem ter”

Fundada em 2018 por Leila e Juan Stingo, a Local.e começou prestando consultorias e oferecendo representação comercial para marcas locais, até lançar em outubro de 2019 uma plataforma online de conexão com o varejo.

Os sócios trouxeram a expertise na área de inovação da Nielsen, onde trabalharam por 15 anos. A empreendedora conta:

“Vivi sete anos na Europa [na Itália e na Bélgica] trabalhando para a Nielsen. Quando voltei ao Brasil, percebi a pouca diversidade do nosso varejo em termos de sortimentos de produtos, ainda mais se tratando de itens menos processados”

Leila diz que ela e o sócio também notaram que as grandes empresas estavam baseando suas inovações nas práticas das pequenas empresas e daí tiveram a ideia de criar a plataforma.

Hoje, a Local.e já tem 1 100 marcas de alimentos e bebidas cadastradas e quase 200 varejistas registrados na plataforma num modelo freemium, que já facilitou mais de 350 contatos desde sua fundação.

A operação ainda não é financeiramente sustentável. O modelo premium será lançado apenas em maio, com um porém: o valor cobrado das marcas para estarem em destaque na vitrine de produtos será metade do estabelecido inicialmente. “Seria contraditório cobrar o valor cheio das marcas nesse momento.”

Para o varejista, a vantagem da plataforma, segundo Leila, é contar com uma ferramenta de busca e conhecimento de novos produtos, gerando um diferencial em relação aos concorrentes.

“Não adianta apenas oferecer um preço bom, principalmente para as classe A e B. A variação de sortimentos têm sido a melhor maneira de se destacar.”

A empreendedora conta que a startup criou um grupo de WhatsApp para fortalecer os negócios locais e está ajudando esses pequenos empreendedores para que façam campanhas conjuntas, além de dar dicas em relação à criação de e-commerces e páginas nas redes sociais.

“Desde que a gente entrou em isolamento social, mudou muito a ideia de senso de união. Antes, alguns negócios se viam como concorrentes. Agora não tem essa discussão. Temos no grupo dez produtores de mel e eles estão trocando informações para se ajudar. Vamos crescer e sair dessa fortalecidos, e todo mundo junto”

Cada contato com o varejo neste momento de crise é celebrado pela startup. A Local.e acaba de fechar uma parceria com a rede Hortifruti Natural da Terra, que tem lojas em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais (aliás, falando na empresa, leia nossa reportagem sobre o laboratório-ocupação do grupo, na capital paulista).

A partir desta semana, 120 produtos de 90 marcas produzidas por empresas brasileiras de pequeno porte terão destaque nas gôndolas das 59 lojas da rede. Entre as marcas estão Só Snacks, Miss Croc, Casa Roncador e Cook It.

Pequenos e grandes se fortalecendo uns aos outros. É como diz outra hashtag: #JuntosContraaCrise.

COMPARTILHE

Confira Também: