A Phovi é uma rede social de jogos multiplayer que busca estimular experiências fora da tela

Dani Rosolen - 23 dez 2020
COMPARTILHE

Nome:
Phovi.

O que faz:
É uma rede social de jogos multiplayer que busca incentivar o uso saudável do celular.

Que problema resolve:
Embora possa parecer contraditório, o aplicativo permite ao usuário se conectar, jogar, mas trocar os pontos ganhos online por experiências fora da tela, estimulando o uso equilibrado da tecnologia.

O que a torna especial:
O diferencial é justamente oferece uma solução para equilibrar o tempo gasto conectado e desconectado: “jogue online, ganhe moedas virtuais e troque por experiências reais”.

Modelo de negócio:
A Phovi opera no modelo Freemium, oferecendo assinaturas para que o usuário tenha acesso a mais opções de jogos, personalização de interface, mais moedas e recursos.

Fundação:
Junho de 2019.

Sócios:
Daniela Passos — CEO
Maria Isabel Félix — CMO
Wenderson Pacheco — CTO
Douglas Passos — Designer Gráfico e Gerente de Comunidades

Fundadores:

Daniela Passos 24 anos, Brasília (DF) é formada em Marketing pela Udacity e em Engenharia de Software pela UniCeub. Trabalhou na CrossFit Athletes e no Photographer.

Maria Isabel Félix — 25 anos, Brasília (DF) é formada em Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília. Trabalhou em TV e jornais de destaque no Brasil, como o Correio Braziliense e TV Brasil. Também atuou como assessora de imprensa na Objetiva Comunicação e no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Douglas Passos — 21 anos, Brasília (DF) — construiu uma comunidade de jogos em grande escala chamada 666, com foco em edição de vídeo, arte digital e trabalhos criativos com grande reconhecimento nos cenários de jogos.

Wenderson Pacheco 22 anos Teresina (PI) é formado em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Piauí. Como bolsista na universidade, atua no desenvolvimento de uma solução de automação dos processos de negócio do Comitê de Ética em Uso de Animais Integrada à Plataforma SIG.

Como surgiu:
Os sócios, amigos de longa data, começaram a discutir a ideia da rede social voltada para jogos em junho de 2019. “Quando começou a pandemia vimos que todos os setores estavam ‘despencando’, menos a indústria de games. Foi a oportunidade perfeita para colocarmos a ideia em prática”, conta Daniela. Ela, Maria Isabel e Douglas fundaram a Phovi no início do ano, logo Wenderson integrou o time de fundadores.

Estágio atual:
O aplicativo está em fase beta, com 3198 usuários testando a plataforma. Ao todo, oito pessoas trabalham na startup de forma remota, com integrantes do Brasil à Lituânia.

Aceleração:
Buscam aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios receberam 790 mil reais de um investidor-anjo estrangeiro.

Necessidade de investimento:
Buscam 540 mil reais de investimento para garantir o crescimento da plataforma nos próximos 18 meses

Mercado e concorrentes:
“O mercado de games é um dos que mais cresceu na pandemia. De acordo com pesquisa feita pela Superdata, só em setembro os jogos digitais movimentaram mais de 10 bilhões de dólares”, afirma Daniela. Ela cita como concorrentes indiretos os aplicativos Houseparty e Bunch.

Maiores desafios:
O maior desafio, segundo os sócios, é lançar oficialmente o aplicativo, em fase de testes, nas lojas Google Store e  Apple Store, o que deve ocorrer no começo de janeiro.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Não há uma previsão ainda.

Visão de futuro:
“Em nossa visão, a Phovi se tornará um estilo de vida. Queremos reunir as pessoas online, incentivando a conectividade saudável e equilibrando o tempo gasto online e fora da tela.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

4298 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: