APRESENTA

Dia do Idoso: como conquistar a faixa de consumidores que mais cresce no Brasil

Helaine Martins - 1 out 2019
Mais ativos e exigentes, os consumidores da terceira idade buscam serviços e produtos adequados às suas condições.
COMPARTILHE

 

Crédito imagem: Pexels

 

 A população idosa em todo o mundo só cresce. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) o número de pessoas com idade superior a 60 anos chegará a 2 bilhões até 2050, o que representará um quinto da população mundial. No Brasil, em 2030, segundo dados do Ministério da Saúde, 32,5 milhões dos mais de 226 milhões de brasileiros terão 65 anos ou mais.

Ser um país envelhecido requer mudanças e cuidados em todas as esferas. O governo, por exemplo, precisa pensar em políticas públicas específicas que atendam a essa parcela da população. Nas empresas privadas a situação não é muito diferente. Com o aumento do público mais velho é necessário se preparar para lidar cada vez mais com ele. A consultora do Sebrae-SP Patrícia Ovalle explica que os consumidores da terceira idade estão mais ativos e exigentes, mas que possuem especificidades e, por conta delas, buscam serviços e produtos adequados às suas condições.

“É um público que requer uma preocupação que normalmente não se tem com um público mais jovem. Tem que levar em consideração as dificuldades características dessa fase, como as de locomoção, oferecendo maior acessibilidade, e visuais, colocando os preços em letras maiores e mais visíveis, além de mensagens muito claras”

Preparamos essa matéria para que você identifique se sua empresa está pronta para lidar com esses consumidores e entenda quais são as principais ações a tomar para se aproximar e fidelizar esse público. Patrícia Ovalle nos ajuda com cinco dicas. Confira!

1) Invista no treinamento da equipe – É claro que seus funcionários devem estar preparados para serem atenciosos ao receber clientes de qualquer idade. No entanto, esse treinamento deve ser um pouco mais específico quando se deseja atingir um público mais velho. Além de atenção, é uma faixa etária que requer funcionários pacientes, que passem as informações com cuidado e sem pressa e tenham atenção para ouvi-los – já que, normalmente, é um público que gosta de conversar e contar histórias.

2) Dê prioridade no atendimento – O atendimento preferencial imediato e individualizado junto aos órgãos públicos e privados prestadores de serviços à população já é garantido pelo Estatuto do Idoso, mas nem sempre é um direito respeitado. Mas, independentemente da lei, faz parte de um bom atendimento ser empático e levar em consideração que alguns idosos podem ter dificuldade para ficar em pé e caminhar. Por isso, notou que alguém com mais de 60 anos entrou no estabelecimento? Peça para que algum funcionário realize o atendimento prontamente. Se possível, ofereça confortos como atendimento por telefone, entrega em domicílio, um bom número de vagas de estacionamento especiais e elevadores para quem não pode subir escadas, por exemplo.

3) Use uma linguagem fácil – O público mais jovem, além de ter uma memória melhor, tende a pesquisar na internet as informações que não entendeu. Um cliente mais velho pode não ter a mesma facilidade e habilidade no acesso à internet. Explique tudo muito bem e, o mais fundamental, em linguagem acessível, mas sem infantilizar o consumidor (principalmente em negócios segmentados para esse público). Tenha cuidado com as palavras, fale de maneira clara e em tom adequado, e sempre se certificando que a pessoa entendeu tudo. Dependendo do caso e do seu negócio, pode ser mais efetivo escrever as orientações em um papel, para que ela possa se lembrar depois. É o tipo da ação simples, mas que fideliza.

4) Reveja seu marketing – Um estudo realizado pela consultoria Hype60+ mostrou que a Geração X (entre meados dos anos 60 e início dos anos 80) e os Babies Boomers (1945 e meados dos anos 60) estão se sentindo invisíveis nas propagandas. Eles não se sentem representados nas peças publicitárias, em comerciais. E a reclamação se refere a todo tipo de negócio já que, segundo o mesmo estudo, a maioria dos pesquisados declarou estar bem de saúde física e mental, trabalhando, conectados e ativos no dia a dia. Ao pensar no marketing da sua empresa, avalie a oportunidade de colocar pessoas de 60+ representando sua marca. Mas atenção: evite estereótipos.

5) Ganhe a confiança – Conforme vamos envelhecendo, torna-se cada vez mais difícil mudar de hábitos, não é verdade? Essa resistência ao novo é ainda mais marcante nos consumidores 60+, que costumam ser leais às marcas, serviços e produtos que consomem. Para conseguir conquistar sua confiança, evidencie os benefícios do seu produto, mostre como ele vai melhorar a vida desse consumidor; conte sua história e seus valores; faça com que esse cliente sinta segurança durante a compra e perceba o seu comprometimento com a entrega e a possibilidade de troca e devolução.

E se você ainda não começou a adaptar sua empresa para esse novo público maduro que vem crescendo mais e mais, a hora é agora. Informe-se a respeito de seus hábitos, repense seus produtos e serviços para adaptá-los às necessidades desses consumidores, treine sua equipe. E se tiver alguma dúvida, conte pra gente, vamos ajudar a esclarecê-la.

 

Esta matéria pode ser encontrada no Itaú Mulher Empreendedora, uma plataforma feita para mulheres que acreditam nos seus sonhos. Não deixe de conferir (e se inspirar)!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

92 Total Views 5 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: