Os Banguela: pedindo 35 reais (opcionais), eles atendem centenas de crianças entre 2 e 11 anos

Mirela Mazzola - 25 mar 2015Os Banguela: eles começaram oferecendo aulas de reforço escolar e recreação para crianças de baixa renda. Hoje, têm um centro de ensino com mais de 500 estudantes
Os Banguela: eles começaram oferecendo aulas de reforço escolar e recreação para crianças de baixa renda. Hoje, têm um centro de ensino com mais de 500 estudantes
Mirela Mazzola - 25 mar 2015
COMPARTILHE

Em dez anos, o que era uma associação para oferecer aulas de recreação e reforço escolar a crianças de baixa renda em Valparaíso de Goiás (GO) se tornou uma escola para quase 500 alunos – o Centro de Educação Infantil Os Banguela. E que ainda ministra oficinas de dança e artes marciais a toda comunidade.

A iniciativa, do casal Josilda Fernandes de Souza, consultora Natura, e Pedro Lacerda de Souza, foi motivada pelos quatro filhos, catequistas na paróquia local. Como tinham bastante contato com as crianças dos bairros Parque São Bernardo, Cruzeiro do Sul e Terceira Etapa do Céu Azul, eles puderam sentir de perto a necessidade de mais vagas nas escolas da região e de uma educação de melhor qualidade.

Tudo começou em 2005, quando foram abertas, timidamente, aulas de recreação e reforço escolar. Quatro anos depois, a escola foi inaugurada em um espaço alugado e com o apoio da prefeitura, que cedeu nove professores da rede municipal. Eram atendidas crianças de 2 a 7 anos, faixa etária que hoje se estende até os 11 anos. Além das aulas regulares, os alunos podem aprender balé e karatê. A propósito, os cursos extracurriculares não são restritos às crianças matriculadas. “Se tudo der certo, até o fim de março de 2015 começaremos as aulas de informática”, conta Pedro, diretor-presidente da instituição. O resto da família também trabalha na escola, com ou sem remuneração: a filha Cristiane, por exemplo, é coordenadora e Adriano, voluntário.

Eventos, como festas e almoços beneficentes, e a mensalidade não-obrigatória, de 35 reais, ajudam a manter a escola, mas estão estão longe de ser suficientes. “Nosso sonho é andar com as próprias pernas e sem depender de trocas de gestão na prefeitura”, diz Pedro.

Outro objetivo é a conquista da sede própria, já que o aluguel consome boa parte dos recursos. Ele conta que, depois da inscrição no Movimento Natura, os maiores ganhos foram relativos a divulgação do projeto, para trazer visibilidade e novos voluntários. Esse tipo de ajuda, que não espera nada em troca, é um agente importante na missão defendida pela família de Pedro: atender mais crianças, e melhor, a cada dia.

 

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Envie a sua história para a gente. A Natura quer conhecê-la. A Natura quer publicá-la.

Tem um bom projeto? Conhece um bom projeto que queira indicar? Entre agora no Movimento Natura

1209 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: