Verbete Draft: o que é Moonshot

Isabela Mena - 10 Maio 2017 Moonshot são projetos de tecnologia que buscam solucionar desafios imensos, de formas inimagináveis. Na foto, uma lente de contato desenvolvida como projeto Moonshot do Google.
Moonshot são projetos de tecnologia que buscam solucionar desafios imensos, de formas inimagináveis. Na foto, a Smart Lens, um projeto Moonshot do Google que "lê" e reporta índice glicêmico de diabéticos.
COMPARTILHE

Continuamos a série que explica as principais palavras do vocabulário dos empreendedores da nova economia. São termos e expressões que você precisa saber: seja para conhecer as novas ferramentas que vão impulsionar seus negócios ou para te ajudar a falar a mesma língua de mentores e investidores. O verbete de hoje é…

MOONSHOT

O que acham que é: Uma inovação não factível, lunática.

O que realmente é: Moonshot, termo emprestado do literal “vôo à Lua” (em tradução livre), é usado para qualificar projetos de tecnologia que, basicamente, pretendem resolver um enorme problema, usando soluções radicais e tecnologias extremamente inovadoras. São caros, arriscados e de longo prazo.

Segundo Guilherme Pereira, coordenador do MBA em Business Innovation da FIAP e um dos idealizadores do Moonshot FIAP Garage – Disruptive Pro Solutions, Moonshot, ou Moonshot Thinking, é uma forma de pensar ambiciosa, exploratória e disruptiva em projetos que envolvam tecnologia. “Neste tipo de projeto a ideia é criar uma visão de futuro radical e que permita aos envolvidos questionar todas as variáveis e muitas vezes até desconsiderar o formato de solução atual. Desta forma, podemos livrar nossas mentes das amarras e regras e ficamos livres para questionar e testar novas abordagens.”

Quem inventou: De acordo com Rodrigo Tafner, coordenador do curso Tech da ESPM, o termo Moonshot tem origem no projeto Apolo XI que levou o homem à Lua. “Na época da corrida espacial, os EUA decidiram levar o homem ao espaço, segundo JFK, porque eram capazes de fazê-lo. As palavras do presidente em pronunciamento nacional foram ‘Nós não sabemos ainda exatamente como faremos, mas faremos’”.

Quando fundou o Google X, laboratório de projetos semi-secretos, o Google adotou o conceito de Moonshot, tornando-o mais conhecido. Ano passado, o X (“a Moonshot factory”) foi para a Alphabet.

Quando foi inventado: Apolo XI aconteceu em 1969, o Google X é de 2010 e a Alphabet é de 2016.

Para que serve: Tafner diz que o uso de projetos Moonshot é interessante em situações para as quais o limiar da possibilidade de inovação já foi ou está muito próximo de ser atingido. “Os projetos Moonshot objetivam melhorias de 10x contra os 10% comumente utilizados.” Ele exemplifica: “Se o projeto de uma empresa automotiva definir que um carro rode 50 km com 1 litro (10% a mais), provavelmente o produto desse projeto trará inovações limitadas. Agora, se o projeto for para que rode 500km com 1 litro (10x mais), o automóvel em si deverá ser repensado e, possivelmente, apresentará inovações disruptivas.”

Pereira fala que em vez de buscar melhorias incrementais e ganhos marginais, os projetos Moonshot buscam resultados ambiciosos. Ele também cita o exemplo do projeto automotivo. “A provocação por aumentar 10x e não 10% a eficiência de um motor requer a reengenharia total na solução de mobilidade. Certamente um motor à combustão, como conhecemos hoje, não conseguirá ser a solução para um incremento tão radical. O Moonshot Thinking é usado para incentivar o questionamento do status quo e definir projetos que tenham a capacidade de transformar exponencialmente nossas soluções.”

Quem usa: Google, Microsoft e a Casa Branca. Segundo Tafner, grandes empresas de tecnologia e escolas com áreas de pesquisa e inovação em tecnologia com aportes financeiros de grandes empresas. “Os custos são altos porque há grandes riscos e uso de tecnologias de ponta e processos inovadores.”

Efeitos colaterais: Perda de alto investimento financeiro, característica inerente ao Moonshot.

Quem é contra: “Não há necessariamente um tipo de empresa contrária a esse tipo de projeto. O que existe, em grande volume, são empresas mais conservadoras, ou com pouco volume de fundos de risco, com pouca disposição em assumir os riscos financeiros em projetos Moonshot”, diz Tafner.

Para saber mais:
1) Leia, no Business Insider, Google and Alphabet’s 20 most ambitious moonshot projects, um pouco sobre cada um dos 20 projetos Moonshot do Google — dentre eles, lentes de contato inteligentes e drones de entrega de produtos.
2) Assista, no YouTube, ao vídeo Moonshot 10x Thinking, de Astro Teller, Captain of Moonshots (CEO) da X (Alphabeth). Ele explica o Moonshot Thinking em cerca de cinco minutos.
3) Leia, na Fast Company, Microsoft is working on “moonshots,” too, sobre a contratação quase secreta, pela Microsoft, de 150 cientistas para trabalhar em um projeto Moonshot na área da saúde e Here are the recommendations of the White House’s “Moonshot” program to beat cancer, sobre o programa lançado na Casa Branca ano passado.

552 Total Views 15 Views Today
COMPARTILHE