A câmera como porta-voz das causas da infância. Conheça Estela Renner, da Maria Farinha Filmes

Mirela Mazzola - 29 abr 2015Estela Renner, da Maria Farinha Filmes
A diretora (no centro) em ação no set de filmagem: olhar atento para questões urgentes da infância.
Mirela Mazzola - 29 abr 2015
COMPARTILHE

 

A explosão da comunicação digital e da cultura em rede tornou urgente a discussão sobre os efeitos da mídia de massa e da publicidade sobre crianças e adolescentes. A obesidade infantil, por exemplo, é um problema global –só no Brasil, uma em cada três crianças está acima do peso. E aí, vamos conversar sobre isso?

Quem assume hoje essa barra com propriedade no país é a diretora e roteirista Estela Renner, 41 anos. Com documentários focados em provocar transformação, ela se tornou uma das principais porta-vozes das causas da infância e adolescência no Brasil.

Formada em publicidade e em artes cênicas, a paulistana tem trajetória de empreendedora. Trabalhou como modelo no Japão na juventude, viveu sete anos nos EUA, onde cursou mestrado em Motion Pictures, dirigiu ficções e campanhas publicitárias no Brasil.

Também ao voltar, conheceu o universo da criança e do consumo por meio da amiga Ana Lúcia Villela, presidente do Instituto Alana, que apoia projetos de mobilização da sociedade para temas da infância. Em 2008, abriu a produtora Maria Farinha Filmes e lançou o documentário Criança, A Alma do Negócio, com o produtor-executivo Marcos Nisti, CEO da Alana.

A obra causou impacto ao retratar de perto como a mídia de massa interfere nos padrões infantis de consumo. “O desejo de comprar é plantado nas crianças por marcas poderosas”, comenta Estela, que durante as gravações se impressionou com a quantidade de roupas nos armários de famílias humildes. “O vazio e a falta de sentido em ter tanta coisa eram visíveis nos pais e nos filhos”, lembra.

MUITO ALÉM DO PESO: UM ALERTA CERTEIRO

A mesma ausência de propósito chamou a atenção da roteirista ao investigar a alimentação. Em 2012, a Maria Farinha lançou Muito Além do Peso, uma imersão na realidade nutricional da infância brasileira, pontuada por dados alarmantes e conversas francas com especialistas.

O sobrepeso entre crianças e adolescentes assume cara de epidemia no Brasil. Problemas normalmente associados à vida adulta, como cansaço nas pernas, hipertensão e diabetes, já aparecem com frequência em meninos e meninas.

Para Estela, que entrevistou médicos, nutricionistas e profissionais atentos ao fenômeno, como o chef inglês Jamie Oliver, a origem do problema é multifatorial e extrapola os limites do núcleo familiar. Desinformação dos pais, rótulos que maquiam dados nutricionais, sedentarismo e maus hábitos que se espalham em família são alguns deles. “Não dá para reeducar uma criança e manter a geladeira da casa inalterada”, diz Estela.

O documentário soma mais de 2 milhões de visualizações, e já foi exibido em telas de cinema, escolas e hospitais. Incentivou medidas como o prêmio “Educação Além do Prato”, da Prefeitura de São Paulo, que reconhece merendeiros e educadores que promovem o aprimoramento de hábitos alimentares.

NOVOS PROJETOS NO FORNO

As próximas empreitadas da Maria Farinha Filmes mergulham no universo lúdico e nos primeiros três anos da vida do ser humano. Em Tarja Branca – A Revolução que Faltava, que estreia nos cinemas em junho, os produtores apresentam depoimentos de adultos sobre o ato de brincar, colhidos durante dois anos.

Para Mil Dias, com estreia prevista para 2016, Estela percorreu países da América do Sul, Ásia e Europa para registrar o que ocorre no primeiro milhar de dias de uma pessoa. “É uma fase de exploração fundamental, em que os ambientes físicos e afetivos são de extrema importância”, diz a cineasta, com olhar apurado para a infância.

Estela conta que busca criar os três filhos (de 8, 11 e 13 anos) longe da televisão e mais perto do seu trabalho. Muito Além do Peso, por exemplo, teve exibição na escola dos meninos e Marcos, o mais velho, já acompanha a mãe em gravações. “Como eles conhecem os filmes e têm acesso às informações, não preciso ser radical. As escolhas nutricionais e de consumo acabam acontecendo naturalmente.”

Com modelo de negócio pautado na transformação social, a Maria Farinha Filmes é a primeira produtora da América Latina certificada com o selo norte-americano Benefit Corporation (B Corp), concedido a empresas que associam crescimento econômico à promoção do bem-estar social e ambiental. A Natura recebeu a mesma certificação no fim de 2014.

 

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Envie a sua história para a gente. A Natura quer conhecê-la. A Natura quer publicá-la.

1189 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: