A Direito na Rua ajuda pequenos negócios na elaboração e revisão de contratos

Dani Rosolen - 11 mar 2021
COMPARTILHE

Nome:
Direito na Rua​.

O que faz:
É uma plataforma online de elaboração e revisão de contratos sob medida para pequenos negócios.

Que problema resolve:
Resolve a questão de apoio jurídico para pequenas e médias empresas, oferecendo a preço acessível serviços como elaboração/análise de contratos e direcionamento sobre enquadramento tributário e societário.

O que a torna especial:
De acordo com as fundadoras, o diferencial do negócio é o atendimento “low cost e um contato mais objetivo com o mundo jurídico”.

Modelo de negócio:
A monetização ocorre por pacotes de assinatura que conectam bacharéis em direito à empresas.

Fundação:
Novembro de 2019.

Sócios:
Ana Paula Teodoro — Administração e relacionamento com o cliente
Bianca Miyahara — Administração e Back Office
Bryan Moraes — Financeiro
Gustavo Valdivia — Marketing

Fundadoras:

Ana Paula Teodoro — 34 anos, Belo Horizonte (MG) — é formada em Publicidade e Propaganda pela PUC-MG e atualmente estuda Direito na FAAP.

Bianca Miyahara — 21 anos, São Paulo (SP) é estudante de Direito na FAAP. Trabalhou no Juizado Especial Cível como conciliadora.

Como surgiu:
As fundadoras contam que a ideia surgiu durante o concurso de startups Renault Experience. O projeto delasficou entre os três primeiros colocados e foi a primeira startup da FAAP a realmente chegar à final do concurso.

Estágio atual:
O Direito na Rua está em fase de validação do negócio e captação de clientes.

Aceleração:
A startup já participou da aceleração da Renault Experience e do Empreenda FAAP. Atualmente é acelerada pelo Startup SP Sebrae.

Investimento recebido:
Não teve investimento financeiro, apenas o trabalho dos sócios.

Necessidade de investimento:
As empreendedoras querem captar 50 mil reais para investir em comunicação.

Mercado e concorrentes:
“É um mercado pouco explorado e com grandes chances de crescimento pelo atendimento online e a baixo custo”, afirma Ana Paula. Sobre concorrentes, ela diz: “Indiretamente existe um grande mercado com empresas como a PWC, PacaembuCNC, F.Lopes Assessoria e Consultoria, CS Assessoria Paralegal e Helpsoc, mas que atendem à população e empresas com renda mais alta”.

Maiores desafios:
“Nosso maior desafio é a regulamentação do serviço, engessado por normas que dificultam a popularização. Encontramos uma forma de trabalhar sem precisar necessariamente virar um escritório de advocacia e trabalhar com a tabela aplicada nesse segmento”, conta Bianca.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Em 2022.

Visão de futuro:
Para o futuro, as empreendedoras querem potencializar a plataforma com a participação de novos colaboradores e conseguir atender o país inteiro.

Site
Contato

 

3390 Total Views 4 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: