A JoyPay é uma solução de meios de pagamentos para pequenos e médios negócios

Dani Rosolen - 27 jul 2018 Dani Rosolen - 27 jul 2018
COMPARTILHE

Nome:
JoyPay.

O que faz:
É uma solução de meios de pagamentos para pequenas e médias empresas.

Que problema resolve:
Segundo os fundadores, resolve a demora no atendimento e no suporte oferecidos aos clientes.

O que a torna especial:
O lojista tem acesso online a todas as informações referentes às transações realizadas com suas máquinas, podendo acompanhar a quantia que receberá por cada venda realizada (já com o desconto das taxas discriminado e as projeções de recebimento para os próximos dias).

Modelo de negócio:
A JoyPay lucra com o aluguel mensal dos terminais no valor de 120 reais e com as taxas administrativas cobradas por transações realizadas em débito (de 2 a 3%) e crédito (3% a 5%).

Fundação:
Maio de 2017.

Sócios:
Fernando Castro — CEO
Daniel Nery Leite — CMO
David Gonçalves — CTO

Perfil dos fundadores:

Fernando Castro — 37 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formado em Tecnologia da Informação pela UNIP. Trabalhou em empresas como CSU, BANCO BBM e VB/RPC. Possui também passagens por startups como Smart Voice Solutions, FGR IT, Dumba Pay e Bestpay.

Daniel Nery Leite — 45 anos, São Paulo (SP) — é formado em Engenharia e pós-graduado em Engenharia da Qualidade pela USP. Trabalhou em empresas como Whirlpool, Unibanco e Sapore e liderou o lançamento do e-commerce dos sites Brastemp e Consul.

David Gonçalves — 31 anos, São Paulo (SP) — é formado em Ciência da Computação pela Universidade de Guarulhos. Trabalhou em empresas como Grupo SHC, Livraria Saraiva, Valor Econômico e Serasa Experian. Tem ainda passagens por startups como Olokal, FGR IT, Dumba Pay e BestPay.

Como surgiu:
Os sócios já tinham empreendido separadamente em outros projetos na área de pagamento e contam que sempre desejaram unir forças para tentar vender “de forma repaginada e reestruturada” este tipo de produto.

Estágio atual:
A startup tem 35 funcionários e mais de 1 000 clientes em quatro estados do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Norte).

Aceleração:
Em busca de aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 700 mil reais de recursos próprios no negócio.

Necessidade de investimento:
Os empreendedores ainda estudam a necessidade de um aporte externo.

Mercado e concorrentes:
“A cada ano, o mercado abre-se para novos players. Em 2013, somente três empresas dominavam 98% do mercado e, em 2017, este número caiu para 84%. Ou seja, os consumidores estão dispostos a testar novas soluções”, diz Fernando. Entre os concorrentes, ele cita a Cielo, Rede, Getnet, Stone e PagSeguro.

Maiores desafios:
“O maior desafio é o tamanho do país, tanto por conta da logística e das burocracias interestaduais quanto por causa das mudanças de regras de regulamentação do mercado e do custo para expansão do negócio”, fala o CEO.

Faturamento:
540 mil reais (em 2017).

Previsão de break-even:
Já foi atingido em janeiro deste ano.

Visão de futuro:
“Ser a quinta maior empresa do setor em cinco anos”, afirma Fernando.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

2646 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: