A KRYP.TOOLS quer facilitar a gestão de carteiras de criptoativos para investidores profissionais

Dani Rosolen - 9 jun 2022 Dani Rosolen - 9 jun 2022
COMPARTILHE

Nome:
KRYP.TOOLS.

O que faz:
É uma plataforma para gestão de investimentos em criptoativos para investidores profissionais.

Que problema resolve:
De acordo com os sócios, investidores profissionais evitam o mercado de criptoativos por não encontrarem softwares para gestão de múltiplas carteiras e perfis de clientes. É este problema que a startup quer resolver, com uma plataforma SaaS baseada em softwares usados como referência no mercado tradicional, mas com integração de criptoativos.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, enquanto as empresas concorrentes são focadas em usuários mais tecnológicos ou amadores, esquecendo os investidores profissionais e suas necessidades, a KRYP.TOOLS prioriza este público.

Modelo de negócio:
A plataforma opera no modelo SaaS e também conta com a opção Whitelabel para grandes clientes.

Fundação:
Abril de 2022.

Sócios:
Mauricio Zanetti — CEO
Eric Chammas — CTO
Alessandra Zanetti — CPSO (Parcerias Estrategicas)
Yanshen Fan — CFO
Raphael Pardini — Cofundador

Fundadores:

Mauricio Zanetti — 47 anos, São Paulo (SP) —  é formado em Engenharia Automotiva pela FEI, com MBA Executivo pelo Ibmec. É CEO e fundador da Igloo Network, mentor, investidor-anjo e consultor de empresas. 

Eric Chammas 48 anos, São Paulo (SP) — é formado em Análise de Sistemas pela Unip. Foi sócio e responsável pela área comercial da Auditeste e CEO da Moeda Digital, primeira fintech a oferecer criptomoedas como forma de pagamento. É Sales Business Development da Igloo Network.

Alessandra Zanetti 48 anos, São Paulo (SP) — é advogada especializada em legislação de Startups, Inovações e Telecomunicação pela FGV. Foi CEO da Inter.net América Latina, cofundador da ABDI (Associação Brasileira de Direito da Internet). É investidora-anjo e mentora de empresas como Fashionera, Toys4Rides, Populy, MoedaDigital, Igloo Network, entre outras.

Raphael Pardini — 40 anos, São Paulo (SP) — é formado em Economia pela USP. Trabalhou em trading e sales em bancos como Citi, Bradesco e WestLB) e em private investment advisor (Family Office) cobrindo mercado externo e investimentos alternativos na Suíça.

Yanshen Fan — 62 anos, São Paulo (SP) — é formado em Ciências Contábeis pela Universidade São Judas Tadeu. Tem mais de 40 anos de experiência nas áreas contábil, financeira, auditoria, controladoria e sistemas em empresas como VASP, City of Pembroke Pines, ZYX Corporation e Grupo Financial.

Como surgiu:
Alguns dos sócios já investem em criptomoedas e estão envolvidos com este ecossistema desde 2013. Durante a pandemia, com o tempo ocioso, eles contam que começaram a investir mais e encontraram a oportunidade para a criação de um sistema que facilitasse as operações em múltiplas contas e exchanges e liberasse tempo de tarefas repetitivas, como colocações de ordens, configurações de stop-loss para definições de estratégias de investimento e análise de mercado. “Criamos assim o primeiro protótipo em Excel, depois usado com base para programação do MVP, que chegou a ganhar o prêmio de TOP10 AI&Blockchain Startup, na Gitex2021, em Dubai”, afirma Mauricio.

Estágio atual:
A KRYP.TOOLS é totalmente descentralizada, com equipe de oito pessoas em três países (Brasil, Estados Unidos e Suíça). Hoje, a startup oferece o plano freemium para até duas contas de até duas das quatro exchanges conectadas à plataforma (Coinbase, Kraken, Binance e Mercado Bitcoin). Os demais planos ainda estão fechados e sendo usados apenas pelos usuários convidados da fase beta.

Aceleração:
Passou pelo programa da Igloo Network.

Investimento recebido:
O negócio recebeu investimento Friends & Family e contou com um aporte de 2 milhões de reais da BR Angels.

Necessidade de investimento:
Por enquanto, os sócios não buscam um novo aporte.

Mercado e concorrentes:
“Com a consolidação dos criptoativos como forma de investimento e uso corrente, o mercado cresce exponencialmente a cada ano. Em 2016, eram apenas 5 milhões de usuários no mundo e, 2021, chegamos a 321 milhões. Para se ter ideia, o mercado brasileiro representa apenas 3% dos usuários de cripto no mundo”, afirma Mauricio. Ele cita como concorrentes indiretos as empresas 3Commas, Cornix e TradeSanta.

Maiores desafios:
“Nosso maior desafio é encontrar mão de obra especializada em soluções blockchain e com conhecimento do mundo de criptoativos”, diz o CEO.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Em 12 meses.

Visão de futuro:
“Queremos ser referência de software para gestão de investimentos profissionais em criptoativos no mercado global.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

COMPARTILHE

Confira Também: