A Mywork oferece um sistema de controle de ponto online

Marina Audi - 21 jan 2019
COMPARTILHE

Nome:
Mywork.

O que faz:
É uma plataforma SaaS para otimizar as rotinas do departamento pessoal de pequenas e médias empresas, focada em controle de ponto, banco de horas e envio de relatórios. O sistema da Mywork funciona em qualquer dispositivo conectado à internet. Em poucos minutos, todos os funcionários da empresa-cliente conseguem se cadastrar e fazer seu registro de ponto, inclusive pelo aplicativo dedicado.

Que problema resolve:
O controle de ponto online resolve três grandes problemas: elimina o alto custo de compra de relógio de ponto, o custo de sua manutenção e de sistemas adicionais; facilita o controle de ponto de funcionários externos como vendedores e aqueles que trabalham em sistema home-office, pois tem uma série de mecanismos de segurança para garantir a veracidade da marcação; e otimiza o processo de correção de ponto e envio para a contabilidade. Dessa forma, gestores (e contadores) economizam tempo, correm menor risco de ter custos trabalhistas e ainda conseguem minimizar erros que costumavam causar excesso de horas extras.
Nota: Pela lei, negócios com mais de 10 funcionários devem, obrigatoriamente, fazer esse controle.

O que a torna especial:
A Mywork destaca como benefícios de sua plataforma: a usabilidade e a preocupação com a experiência do usuário; o fato de todo desenvolvimento de funcionalidades (tanto as atualizações quanto as novidades, lançadas a cada duas semanas, sem custos adicionais) ter como ponto de partida o feedback dos clientes; e o serviço de suporte por telefone, e-mail, chat e WhatsApp.

Modelo de negócio:
A startup cobra a mensalidade com base no número de usuários que batem o ponto. O valor unitário varia de 5 a 12 reais, a depender do tamanho da empresa. O cliente típico tem em torno de 10 funcionários e paga cerca de 70 reais por mês pela plataforma completa. “Este preço é significativamente mais baixo que o da indústria em geral. Praticamos isso para adquirirmos clientes rapidamente e não houve nenhuma saída da plataforma até o momento”, conta o sócio Thomas Carlsen.

Fundação:
Junho de 2018.

Sócios:
Tímor Espallargas – Fundador e CEO
Thomas Carlsen – Fundador e COO

Perfil dos fundadores:

Tímor Espallargas — 36 anos, São Paulo (SP) — é formado em Engenharia Elétrica pela USP e tem MBA pela Columbia Business School. Ele possui bastante experiência com gestão, pois trabalhou mais de 10 anos no mercado financeiro liderando times. Passou pelo Credit Suisse, CAPITANIA e Cibrasec, além da startup americana Fly Louie. Tímor programa desde os 12 anos de idade e foi o responsável pela primeira versão da plataforma Mywork.

Thomas Carlsen – 28 anos, São Paulo (SP) — é formado em Economia pelo Insper e tem MBA pela Columbia Business School. Começou a carreira como consultor na McKinsey & Company. Depois foi CMO de duas startups de sucesso : Cuponation e Cobli. Teve ainda passagem pela Monashees, maior VC do Brasil.

Como surgiu:
Thomas e Tímor conheceram-se no MBA, em Nova York. Ambos queriam montar uma startup e começaram a discutir modelos de negócios. Thomas já tinha experiência com SaaS e produtos para pequenas e médias empresas. Um critério importante para ele era montar um negócio que resolvesse problemas para os quais os  potenciais clientes já estivessem buscando uma solução. Tímor, por outro lado, aspirava um negócio que fosse altamente escalável e cuja tecnologia fosse parte essencial do funcionamento. “Entrevistamos mais de 30 empresas para entender exatamente os problemas que elas tinham nestas áreas no dia a dia. Conversando com elas identificamos uma grande dor no controle de ponto e no departamento pessoal como um todo, principalmente nas pequenas e médias empresas. A partir desse feedback, começamos a criar nosso MVP e testar com os clientes. O produto foi evoluindo e mais e mais clientes começaram a utilizar a plataforma”, diz Tímor.

Estágio atual:
A Mywork está localizada em um escritório na cidade de São Paulo e tem clientes espalhados por mais de 15 estados brasileiros. Os sócios afirmam que há quase mil usuários ativos na plataforma e esse número tem dobrado a cada mês. “Ajudamos as empresas a cumprirem com a legislação trabalhista brasileira por um custo infinitamente menor que as soluções tradicionais, trazendo muito valor não só para elas, mas também para seus funcionários que têm seus direitos respeitados. Além disso, nossa solução permite que o pequeno empreendedor economize muito tempo com burocracia, podendo focar mais seus esforços em administrar e crescer seu negócio”, ressalta Thomas.

Aceleração:
Não tiveram.

Investimento recebido:
Os fundadorese investiram 20.000 reais de recursos próprios, no começo da empresa.

Necessidade de investimento:
A empresa pretende levantar uma rodada de capital semente, na faixa de 2 milhões de reais, em meados de 2019. O dinheiro será usado para escalar a equipe, principalmente em tecnologia e vendas, expandir o produto e a qualidade de serviço.

Mercado e concorrentes:
Segundo os sócios, o mercado em que atuam é gigante – 18 bilhões por ano e se expande agressivamente, conforme mais empresas buscam soluções para deixar o negócio mais eficiente e seguro. Hoje, há mais de 2 milhões de empresas no país, que empregam 22 milhões de pessoas formalmente. A startup identifica quatro tipos de concorrentes: empresas de relógios de ponto tradicionais; startups de controle de ponto online; startups de departamento pessoal e RH focadas em outros segmentos; e o uso do controle de ponto básico via livro de ponto, planilha de controle em Excel ou a completa ausência de controle das horas trabalhadas.

Maiores desafios:
O grande desafio dos sócios é continuar a escalar a plataforma para atingir clientes maiores. Para isso acontecer, a Mywork tem investindo pesadamente em marketing e contratação de talentos.

Faturamento:
Após seis meses de operação, a startup fechou 2018 com faturamento de 10 mil reais.

Previsão de break-even:
Setembro de 2020.

Visão de futuro:
“O objetivo da Mywork é se tornar uma plataforma completa de soluções para o departamento pessoal das pequenas e médias empresas. Queremos que elas consigam fazer todo o controle de ponto, controle de férias, gestão de documentos, folha de pagamento e outras verticais em único lugar e, com isso, economizem tempo, dinheiro e minimizem erros e riscos de gestão”, comenta Thomas.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

228 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: