A sonegação fiscal ainda é um problema no país. A GovLegal permite averiguar distorções no recolhimento do ICMS

Dani Rosolen - 20 out 2022 Dani Rosolen - 20 out 2022
COMPARTILHE

Nome:
GovLegal.

O que faz:
É uma plataforma que faz a leitura de todos os arquivos fiscais do contribuinte e realiza os cruzamentos necessários para identificação de distorções no recolhimento de ICMS, possibilitando aos estados identificarem e combaterem a sonegação fiscal.

Que problema resolve:
Garante conformidade e segurança na arrecadação do ICMS.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a GovLegal permite aos estados uma elevação da sua arrecadação e, por consequência, o aumento nos investimentos para a população em infraestrutura, apoio e assistência, melhorando assim os índices da educação e saúde.

Modelo de negócio:
O modelo de negócios será adaptado à forma de contratação de cada estado, pode ser licença de uso, desenvolvimento, white label etc.

Fundação:
Julho de 2017.

Sócios:
Lucas Mendes Indio do Brasil CEO
Frederico F Condé CTO
Carlos A Indio do Brasil COO
Eduardo Gomes General Advisor

Fundadores:

Lucas Mendes Indio do Brasil — 27 anos, Belo Horizonte (MG) — é formado em Engenharia de Produção pela PUC-MG e mestrando em Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual pela UFMG. Participou do Grupo de Pesquisa de Empreendedorismo Tecnológico e Inovação (GETI). Atuou como gerente comercial na Ápice Consultoria Júnior e foi monitor de comunicação na Comunique!. É CEO da Destock.

Frederico Condé — 42 anos, Belo Horizonte (MG) — é formado em Tecnologia pela Faculdade Brasileira de Informática, com especialização em Banco de Dados pela PUC-MG e em Controladoria e Finanças pela FAVENI. É sócio da Destock e da Perfil Gestão de Pessoas e Estratégias.

Carlos A Indio do Brasil — 60 anos, Belo Horizonte (MG) — é formado em Ciências Contábeis pela PUC-MG. Trabalhou na Mendes Brasil Consultoria. É COO da Destock.

Eduardo Gomes — 63 anos, Belo Horizonte (MG) — é formado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal de Minas Gerais, com pós-graduação em Engenharia Mecânica, especialização em Administração Financeira pela Fundação Dom Cabral e MBA em Marketing pela FGV. Tem experiência de mais de 30 anos como CEO e executivo C-Level em empresas de grande e médio portes, como Leroy Merlin, EMH e Mannesmann.

Como surgiu:
A GovLegal surgiu com a ideia de fornecer aos estados um meio de se fazer um melhor acompanhamento dos contribuintes. Com o projeto SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), os sócios contam que foi possível criar cruzamentos que permitam avaliar toda documentação fiscal dos contribuintes a fim de validar a correta emissão dos documentos fiscais para os produtos.

Estágio atual:
A solução está em validação no Acre e no Distrito Federal.

Aceleração:
A GovLegal foi acelerada pela Dome Ventures, primeira venture builder com foco em govtech do país.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 8 milhões de reais na startup.

Necessidade de investimento:
“Dentro do roadmap, temos o planejamento de aumentar a capacidade de atendimento da solução para outros tributos para demais autarquias como as municipais e federais. Esta ampliação só é possível com novos investimentos. Os planos para buscar um novo aporte estão atrelados ao fechamento de pelo menos um contrato, uma vez que nossa solução está pronta e assim poderemos conseguir um maior valuation da GovLegal”, afirma Lucas.

Mercado e concorrentes:
“Segundo dados do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação), o país deixa de arrecadar mais de 417 bilhões de reais por ano com impostos, sendo que o ICMS é o segundo mais sonegado anualmente. Nesse cenário, se fazem necessárias maneiras de evitar a sonegação e aumentar a arrecadação dos estados. Alguns estados fazem este trabalho com planilhas de Excel, mesmo dispondo de orçamentos elevados para investimento em tecnologia”, diz o CEO. Sobre concorrência, ele conta que as Secretarias de Fazenda já executam esta tarefa, mas de uma maneira muito lenta.

Maiores desafios:
Para os empreendedores, o maior desafio é a inexperiência deles próprios no trato com setor público.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Não informado.

Visão de futuro:
“Levar a solução para outros tributos e autarquias, proporcionando aos estados uma maior eficiência na arrecadação e compliance.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

137 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: