Como uma única família melhorou a vida de 40 crianças e 50 adolescentes

Mirela Mazzola - 11 fev 2015 Casa da Infância Estrela da Manhã: para quem não tem nada, o pouco que você pode fazer é muito
Casa da Infância Estrela da Manhã: para quem não tem nada, o pouco que você pode fazer é muito
Mirela Mazzola - 11 fev 2015
COMPARTILHE

Desde cedo, a jovem Camila Picon, 25 anos, assistiu aos pais, José Claudio e Mirian, buscarem fazer o bem. O casal pertencia a uma paróquia católica em São Carlos, interior de São Paulo, e, junto a outros integrantes da ONG Amigos de São Judas, distribuía cestas básicas a lares carentes do bairro Antenor Garcia.

Durante as visitas, o grupo notou que não havia creches naquele bairro e decidiu agir. Não foi difícil conseguir um terreno na região, mas a conclusão das obras, em 2008, só aconteceu graças ao apoio de uma empresa com filial na cidade. Nascia então a Casa da Infância Estrela da Manhã. Sem custo algum, ali são atendidas 40 crianças de 0 a 4 anos no período matutino. São oferecidas refeições, iniciação à alfabetização e brincadeiras.

À tarde, o espaço é aberto para mais 50 adolescentes, em sua maioria irmãos das crianças, e seus pais. É quando acontecem oficinas da dança, artesanato e atividades esportivas. Tarefas como administração e divulgação ficam a cargo da família de Camila: a mãe, Mirian, dá expediente na instituição, enquanto ela e os irmãos, Daniel e Tiago, ajudam em eventos beneficentes e na manutenção do site e da página do Facebook.

Consultora Natura Digital desde outubro de 2014, Camila inscreveu o projeto no Movimento Natura depois de conhecê-lo na Sala de Bem-estar, da Rede Natura. “Já tivemos interessados em ajudar a Estrela da Manhã depois que nos juntamos ao movimento”, conta. Apesar do apoio financeiro da prefeitura de São Carlos e de doações de pessoas físicas, a creche ainda carece de voluntários e de materiais de higiene e limpeza. O ideal, segundo Camila, seria firmar convênio com uma empresa que oferecesse apoio mais sólido para suprir as despesas básicas.

Mas a recompensa pelo trabalho não pode ser comprada ou doada: “Visitar o projeto dá a impressão de que as crianças confiam o futuro delas a você. É muito gratificante vê-las mostrando atividades e lições feitas com o maior capricho”, diz Camila.

 

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Envie a sua história para a gente. A Natura quer conhecê-la. A Natura quer publicá-la.

COMPARTILHE

Confira Também: