APRESENTA
APRESENTA

Procuram-se candidatos de qualquer raça, crença, idade ou curso: como a inovação baliza o Programa de Estágio da 3M

Cláudia de Castro Lima - 15 set 2021
Estagiários na 3M antes da pandemia
Cláudia de Castro Lima - 15 set 2021
COMPARTILHE

Ambientes diversos, compostos por pessoas de gêneros, raças, etnias, orientação sexual, crenças e idades múltiplas, são muito mais criativos, produtivos e felizes. Mais importante que tudo, é o único caminho correto.

Criar esses ambientes, portanto, deve ser uma preocupação das empresas a partir das posições iniciais.

“Na 3M, olhamos para a diversidade e a inclusão desde o Programa de Estágio – que, afinal, é a porta de entrada da organização”, afirma Heloísa Pires Vituzzo, gerente de Talent Acquisition da 3M para a América Latina

O programa está recrutando 50 estudantes universitários e de cursos técnicos de várias áreas para estágios de 30 horas semanais por até dois anos. As inscrições podem ser feitas até 30 de setembro neste link.

Heloísa conta que, para eliminar do processo de recrutamento possíveis vieses que prejudicam a contratação de pessoas diversas, vários treinamentos têm sido feitos com os supervisores de estágio.

“Já somos há muitos anos balanceados em relação a gênero, com 50% de contratações de mulheres”, afirma. “Em relação à etnia e raça, fizemos no ano passado um projeto bem consistente, com participação ativa de nosso presidente, Marcelo Oromendia.”

Segundo ela, na prática, além de treinamentos e conversas one-on-one com esses supervisores, foram feitas alterações na forma como os candidatos eram apresentados.

“Passamos a não enviar nenhum tipo de informação ou currículo do candidato antes da entrevista, no conceito de entrevistas às cegas”, explica a gerente.

A 3M criou também um critério para o gestor avaliar esses candidatos com métricas que tentam eliminar os vieses. O resultado foi celebrado: a contratação de estagiários negros e pardos aumentou de 5% para 30% em 2020.

“Para este ano, o desafio é melhorar ainda mais isso”, diz Heloísa. “Nosso desejo é chegar nos 50%, que é o que reflete a comunidade brasileira.”

O PESO DAS SOFT SKILLS E O PERFIL GENERALISTA

Outra questão que foi bastante trabalhada internamente para o recrutamento do Programa de Estágio da 3M, que tem a parceria do CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), diz respeito à busca das soft skills.

As tão valorizadas soft skills são aquelas habilidades que não são técnicas, e sim interpessoais e emocionais, como a capacidade de trabalhar em equipe, inteligência emocional, comunicação, criatividade e adaptabilidade.

“Os gestores devem buscar o potencial do candidato, e não as hard skills”, conta Heloísa. “É sempre importante prestar atenção a isso porque vamos cada vez nos especializando mais, então é comum pensarmos que, porque a pessoa já fez determinada coisa, vai continuar fazendo com excelência.”

Heloísa diz que a entrevista é feita levando em consideração o potencial e o comprometimento do candidato para que possam ser identificadas as pessoas que tenham compatibilidade com o que a empresa busca e com os valores 3M de integridade, colaboração, empreendedorismo e inovação.

“Isso tem se fortalecido e reflete também uma tendência de que não temos mais especificidade de vagas”, ela explica.

“Trabalhamos com um perfil mais aberto, com candidatos a estágio que são compatíveis com diferentes áreas, porque queremos trazer a pessoa com seus inúmeros potenciais para que ela desenvolva seus talentos em nossa empresa.”

OS TALENTOS TAMBÉM TÊM NOVAS EXIGÊNCIAS

Do lado dos candidatos, também há novas exigências em relação à empresa. Uma delas é a necessidade de flexibilização, especialmente em relação ao trabalho presencial.

“Os candidatos se perguntam porque é preciso ir para o ambiente fechado, estar on site”, diz Heloísa. “Eles têm buscado oportunidades que não exijam sua presença em uma localidade específica.”

Se havia uma preocupação, até relacionada à legislação, de que os estagiários tivessem supervisão constante, os novos meios de trabalho superaram a questão – assim como a cultura de trabalho remoto que já existia na 3M.

“Eles podem e estão totalmente aptos a se desenvolver à distância, com reports remotos”, diz a gerente de Talent Aquisition. “Como qualquer outro profissional, eles buscam também as possibilidades da globalização.”

Os inúmeros treinamentos, parte importante do programa, são todos oferecidos virtualmente com o objetivo de que os estagiários se desenvolvam e absorvam ao máximo os elementos da cultura corporativa.

Hoje, segundo Naiara Lopes Silva, especialista de Employment Brand para América Latina, desde o início da pandemia o modelo de trabalho praticado na 3M é remoto, mas com a possibilidade de ser presencial para certas atividades.

“Para muitas vagas não faz diferença trabalhar de forma remota, mas, para os cargos de áreas como engenharia e laboratório, por exemplo, a presença física é mais importante”, explica.

Há ainda a preocupação na companhia de que o estagiário tenha, em casa, boas condições de trabalho. Por isso, a empresa paga os custos com a internet, por exemplo. Eles recebem ainda um crachá virtual e seus kits de boas-vindas em domicílio. “Não queremos deixar processos e boas experiências se perderem”, diz Naiara.

Experiências que englobam respirar esse ambiente diverso, conectar-se globalmente com profissionais de diversas áreas, realizar projetos inovadores, participar dos grupos de afinidade e inclusão, experimentar tecnologias e contribuir em iniciativas de sustentabilidade – e proporcionam uma jornada de desenvolvimento contínuo.

Mais informações e inscrições aqui.

1150 Total Views 4 Views Today
APRESENTA
COMPARTILHE
APRESENTA

Confira Também: