Com foco em economia e sustentabilidade, a YAK produz tratores elétricos

Dani Rosolen - 13 jan 2021
COMPARTILHE

Nome:
YAK Tratores Elétricos.

O que faz:
É uma montadora de tratores elétricos direcionados ao segmento de transporte de cargas pesadas.

Que problema resolve:
As tecnologias da YAK reduzem o impacto no meio ambiente, já que não geram CO2. Ao mesmo tempo, ampliam a produtividade e geram economia de até 70%,  pelo fato dos tratores demandarem menos manutenção e não terem custo com combustíveis fósseis.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, o diferencial é a fonte de energia — os tratores serem 100% elétricos, com projeto e fabricação nacionais. Além disso, a startup investe na digitalização dos seus produtos: os tratores são conectados à fábrica por meio da plataforma YAK Cloud, que faz a gestão da frota, controle de manutenções, entre outros serviços. Além disso, o tratores são silenciosos e não emitem fumaça nem líquidos contaminados.

Modelo de negócio:
Atualmente o modelo de negócios permeia venda e assinatura. Contudo, a médio prazo a empresa pretende oferecer somente o serviço de assinatura. Hoje, são três modelos disponíveis: o trator 548, o 872 e o 1272, direcionados para o segmento de transporte de cargas pesadas. Para o próximo ano a empresa planeja lançar o 80E , modelo agrícola 100% elétrico que terá um módulo de operação autônomo.

Fundação:
Outubro de 2018.

Sócios:
João André Ozório — Fundador e CEO
Adriano Schalinski — Cofundador e Engenheiro Mecânico

Fundadores:

João André Ozório — 29 anos, Joinville (SC) é formado em Design Industrial pela Universidade da Região de Joinville. Iniciou sua jornada empreendedora em 2011 na agência de design e comunicação EstúdioCriação, onde atuou como líder de design por quatro anos. Depois investiu na carreira solo como designer autoral durante os dois anos que antecederam a fundação da startup atual. Em 2020, já como empreendedor à frente da YAK, ficou entre os finalista nacionais da Copa do Mundo de Empreendedorismo.

Adriano Schalinski — 28 anos, Joinville (SC) é formado em Engenharia Mecânica pela Univille e faz mestrado acadêmico em Engenharia Mecânica pela Udesc. É técnico em Mecânica Geral pelo IFSC. Foi projetista mecânico na Draft Ind. e Comércio de Equipamentos Industriais e projetista de produto na LS Mtron Tratores.

Como surgiu:
O gatilho inicial para o nascimento da YAK, segundo os sócios, foi uma pesquisa que realizaram sobre o mercado de tratores. Eles enxergaram grande potencial neste nicho, visto que até o momento só existiam grandes esforços em pesquisa e desenvolvimento de veículos elétricos de uso convencional, como carros e motos. Os empreendedores contam que o resultado desta pesquisa atraiu muitos interessados, desde investidores a instituições governamentais que também acreditavam no potencial do negócio. Neste ponto, identificaram que seria o momento de investir mais em suas pesquisas e começaram a transformar os dados levantados em uma startup.

Estágio atual:
Atualmente a empresa está finalizando a fase de lote piloto, com os primeiros produtos entregues, testados e validados. No primeiro semestre de 2021, a YA vai entrar na fase de pré-série, levando ao mercado o produto final, já com todas as melhorias identificadas durante o ano de testes em campo do lote piloto. O escritório da empresa fica no Perini Bussines Park, em Joinville (SC), espaço onde é feita toda a gestão do projeto e montagem final. A fabricação, por sua vez, é feita com parceiros da empresa espalhados pelo Brasil.

Aceleração:
A YAK participou do Startup SC e do Leaders in Innovation Fellowships, programa de capacitação de negócios realizado no Reino Unido.

Investimento recebido:
No final de 2020, a YAK recebeu um investimento seed de 1,2 milhão de reais do programa Finep Startup, vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações (MCTIC). Antes disso, teve outros dois investimentos: de 60 mil reais, oriundos de um prêmio de inovação e captação junto a investidores, e um aporte de um investidor-anjo no valor de 150 mil reais, recebido no final de 2018.

Necessidade de investimento:
A empresa pretende abrir uma nova rodada de investimentos no final de 2021, momento em que estará pronta para escalar a linha de produtos atuais. O valor necessário para o investimento ainda não foi divulgado.

Mercado e concorrentes:
“O mercado global de tratores é muito expressivo, movimentando mais de 350 bilhões de reais por ano, e tem diversas janelas de oportunidade, sendo a eletrificação uma delas. Analisando o cenário global de máquinas pesadas, o universo dos tratores está entre os mais atrasados neste tipo de tecnologia”, afirma João. Ele cita como principais concorrentes a TLD, a Agrale, a Valtra e a John Deere.

Maiores desafios:
“Uma das grandes dificuldades da empresa é equilibrar o fluxo de caixa inicial para os altos investimentos necessários. Além disso, a bateria, que é o principal componente para o sucesso do projeto, é importada e quando soma-se à alta desvalorização da nossa moeda perante ao dólar, com um processo de importação complexo e muito custoso, isso impacta fortemente no custo final do produto. Outro grande obstáculo a ser superado é a redução do custo de fabricação. Atualmente os tratores são produzimos sob demanda, processo que também prejudica o custo final”, diz o CEO.

Faturamento:
O último faturamento da empresa foi de 210 mil reais (dezembro de 2020).

Previsão de break-even:
“Como a startup está em uma fase early stage e prevê novas fases de investimento, estima-se que o break-even não deve chegar antes de cinco anos.”

Visão de futuro:
“Queremos ter no mercado dez tratores a curto prazo, 50 a médio prazo; e 1 000 a longo prazo. Também pretendemos lançar o plano de assinaturas para o mercado agrícola e outros modelos de tratores”, conta João.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

1119 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: