“Comecei a fazer arranjos de flores para presentear as amigas e lidar com a depressão. Nunca imaginei que iria criar um negócio”

Tetê Castanha - 29 abr 2022
Tetê Castanha, fundadora do estúdio de flores que leva o seu nome.
Tetê Castanha - 29 abr 2022
COMPARTILHE

Há nove anos, antes de empreender, eu atuava como advogada tributarista. Me considerava muito bem-sucedida, adorava o que fazia e tinha uma rotina normal como qualquer executiva da profissão. Uma jornada puxada de trabalho, reuniões, audiências e muita dedicação.

Em um dado momento da minha vida, decidi que era hora de ser mãe, pois era uma vontade minha e do meu marido e já estávamos planejando esse filho há algum tempo

Como não conseguimos realizar esse sonho da forma “natural”, partimos para tratamentos de fertilização. Foram várias consultas, exames e acompanhamento médico.

NÃO CONSEGUI ENGRAVIDAR MESMO COM TRATAMENTOS E ACABEI DESENVOLVENDO UM QUADRO DE DEPRESSÃO

Mesmo com toda a empatia desses profissionais que nos assistem, esse é um momento muito delicado para o casal – e muito puxado do ponto de vista emocional para a mulher. Costumo dizer que só quem já passou por isso sabe o quanto é pesado.

As várias tentativas foram sem sucesso e esse tema começou a virar um problema na minha vida. 

Passei a me sentir triste, incapaz de realizar esse sonho e a ter uma enorme sensação de impotência, porque a gente sempre acha que engravidar de forma natural faz parte da vida de toda a mulher. E não é bem assim

Com o tempo, acabei desenvolvendo um quadro depressivo. Nunca achei que isso iria acontecer comigo, mas aceitei aquela condição e pedi ajuda.

Aconselho as pessoas a fazerem o mesmo, pois a partir do momento que entendemos nossas questões emocionais, acredito que automaticamente passamos a querer sair daquele lugar. 

BUSQUEI EM UM CURSO DE ARRANJOS FLORAIS UMA FORMA DE OCUPAR MINHA MENTE COM ALGO POSITIVO

Nessa busca para vencer os períodos difíceis da depressão, decidi seguir a recomendação de uma amiga e foquei minha atenção em algo que me trouxesse bem-estar e que contribuísse para o meu equilíbrio emocional naquela fase tão desafiadora.

Pensar em algo diferente e positivo era um verdadeiro remédio para a minha consciência. 

Assim, resolvi seguir aquele conselho – que se revelou salvador – e me inscrevi num curso para aprender a fazer arranjos florais.

Foi algo em que decidi apostar para aliviar minha tristeza e transformá-la em algo positivo. Foi também uma oportunidade para trocar experiências e aprendizados com várias mulheres de diversas idades, momentos e profissões.

Conhecer pessoas novas nessa hora é muito importante. Você aprende com a vida delas, com suas experiências. Isso me motivou a seguir em frente

Sempre gostei muito de ter flores na minha casa. Comprava no supermercado, na feira etc. Sinto que elas me trazem paz, energias positivas e outras coisas boas.

COMECEI A CRIAR ARRANJOS PARA AS AMIGAS E, QUANDO ME DEI CONTA, ESTAVA ABRINDO UM NEGÓCIO

Quando decidi fazer esse curso, a ideia era encontrar algo diferente para essa nova fase da minha vida. E, como “válvula de escape” da depressão, comecei a fazer arranjos para presentear minhas amigas.

Logo, elas passaram a fazer pedidos para os eventos que realizavam e eu comecei essa nova empreitada profissional com a produção sendo realizada na varanda do meu apartamento.

Como o número de encomendas estava crescendo, percebi que trabalhar em casa já não comportava mais a demanda. 

A partir daí surgiu o Estúdio Tetê Castanha, que originalmente era para ser a portas fechadas. Mas a pedido dos vizinhos, abrimos ao público, na Vila Nova Conceição, em São Paulo  

A intenção no começo não era criar um negócio. Nem imaginava fazer sucesso. Mas tudo foi acontecendo naturalmente e de forma muito rápida.

Fui investindo em algo pelo qual me apaixonei e colocando tudo o que eu sentia no meu trabalho. 

UM PASSO POR VEZ, VOU ACEITANDO MINHA JORNADA E DESCOBRINDO NOVOS CAMINHOS

Hoje, acredito que minha arte com as flores representa meu processo de superação. Depressão é uma doença, então não é que eu já tenha conseguido resolver todos os meus problemas, mas essa atividade me ajuda a controlar os altos e baixos.

Me sinto útil, produtiva e vejo que meu trabalho faz diferença na vida de muitas pessoas, porque além do prazer de quem recebe flores, consigo gerar empregos.

Nesta toada, todos os medos e monstros que aparecem na minha cabeça diminuem. 

Acredito que se não fosse por essa conquista no lado profissional, teria sido muito mais difícil o controle da depressão.

Aquela cobrança por ser mãe — imposta por mim mesma — já me incomodou muito, mas, hoje, não mais. Talvez tenha sido isso o motivo da gravidez não ter dado certo. A vida inteira eu sempre me cobrei muito. Sou extremamente exigente comigo mesma

E acho que essa mudança de trajeto veio para mostrar que sempre estamos aptos ao novo, ainda que para isso tenhamos que sair da nossa zona de conforto e da rota que planejamos. 

 

Tetê Castanha trabalhava como advogada tributarista. Hoje, é fundadora do Estúdio Tetê Castanha.

 

COMPARTILHE

Confira Também: