“Intercâmbio sem sair de casa”: iniciativa que busca abrir as portas do país a jovens de outros países

Mirela Mazzola - 21 jan 2015Alanna Lima dos Santos, 19, batalha para aumentar o número de famílias brasileiras dispostas a receber estudantes estrangeiros por períodos de seis a doze semanas
Alanna Lima dos Santos, 19, batalha para aumentar o número de famílias brasileiras dispostas a receber estudantes estrangeiros por períodos de seis a doze semanas
Mirela Mazzola - 21 jan 2015
COMPARTILHE

Com apenas 19 anos, a estudante de relações internacionais Alanna Lima dos Santos trabalha para fazer com que intercambistas estrangeiros tenham a melhor experiência possível no Brasil. Ela é um dos 5 mil membros brasileiros da Aiesec, rede mundial composta por jovens que viajam a outros países para estudar ou fazer trabalho voluntário. E, de quebra, aprender mais sobre a cultura e a língua locais.

Fundada logo depoi da Segunda Guerra Mundial, na Bélgica, a Aiesec está presente em mais de 100 países. Só no Brasil, são 200 Universidades parceiras distribuídas em 23 estados. “Descobri a Aiesec por meio de um amigo e logo percebi que o projeto tinha tudo a ver comigo”, diz Alanna, que colabora com a Aiesec desde janeiro de 2014.

Aluna da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), na capital paulista, Alanna ajuda a preparar os estudantes estrangeiros antes da vinda ao Brasil e cuida para que a estada deles no país seja enriquecedora. O trabalho também consiste em fazer a ponte com ONGs brasileiras que precisem de voluntários estrangeiros.

A parte mais difícil, porém, é encontrar famílias dispostas a abrigar os estudantes, normalmente de seis a doze semanas. “Há o receio de uma mudança na rotina na casa com a presença de um estudante estrangeiro”, disse Alanna ao site do Movimento Natura. Desde 2011, cerca de 80 intercambistas já se hospedaram por aqui por intermédio do escritório da Aiesec no Insper, Universidade onde Alanna estuda. “Além da troca cultural, pude exercitar e desenvolver meu inglês”, conta. Alanna ainda não viajou ao exterior pela Aiesec.

Fazer com que mais pessoas conheçam o projeto “Intercâmbio sem sair de casa”, apoiado pelo Movimento Natura, e assim percam o preconceito em relação a hospedar um intercambista, são os desafios atuais de Alanna. “O mais bacana nessa parceria é ver gente de fora do meu círculo social conhecendo os benefícios da Aiesec”, diz.

 

Conheça mais o trabalho da Alanna e sobre o Movimento Natura. E veja como inscrever lá projetos sociais que você admira ou que gostaria de ajudar.

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Envie a sua história para a gente. A Natura quer conhecê-la. A Natura quer publicá-la.

599 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: