APRESENTA
APRESENTA

Com Drauzio Varella e aulas de atividades como luta, meditação e pilates, Movimenta 3M quer criar “cultura da saúde”

Cláudia de Castro Lima - 29 set 2021
O hall da plataforma Movimenta 3M
Cláudia de Castro Lima - 29 set 2021
COMPARTILHE

Praticar exercício físico não é algo natural para o ser humano – ao contrário. Nossos instintos são, digamos, bem mais preguiçosos. Evolutivamente, chegamos até aqui poupando energia para três atividades essenciais: buscar comida, nos reproduzir e fugir de predadores.

Hoje, sem precisar caçar (e sem o perigo de ser caçado), é justamente a atividade física que nos ajuda a manter o organismo longe de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e afastado do estresse, entre outros benefícios. E, portanto, o que nos ajuda a viver mais e melhor.

Essa aparente contradição, à qual os cientistas deram o nome de “paradoxo do exercício”, e que mostra como nos movimentar é importante para nossa saúde, foi um dos temas abordados pelo médico cancerologista Drauzio Varella no encerramento do programa Movimenta 3M, que aconteceu em 21 de setembro.

A participação do médico mais famoso do país foi a cereja do bolo do Movimenta, uma iniciativa que faz parte de um programa maior da 3M, o Juntos, que tem como foco o bem-estar integral do colaborador.

Segundo Daniel Astun Cirino, gerente médico do trabalho da empresa, o slogan do programa já diz muito sobre ele: “Juntos a gente se cuida”.

“O Programa Juntos tem quatro objetivos”, explica Daniel. “Trabalhar a comunicação estratégica com foco em eliminar o estigma e gerar engajamento em saúde mental, criar um ambiente de trabalho psicologicamente seguro, encorajar atitudes em prol do estilo de vida saudável e fornecer ferramentas para que isso aconteça – o Movimenta 3M é uma dessas ferramentas.”

PROGRAMA NASCEU DE PREOCUPAÇÃO DO PRESIDENTE DA 3M

Quando, em janeiro de 2020, o médico Daniel chegou à 3M, sua incumbência já era dar prioridade para iniciativas voltadas à saúde mental – isso já se tornara um foco de atenção das grandes empresas bem antes da pandemia acontecer.

Com a Covid-19, a urgência aumentou. O Juntos foi lançado oficialmente em julho último, mas seus alicerces já vinham sendo construídos desde o primeiro semestre do ano passado.

Em uma das reuniões do Comitê de Crise, impulsionado para gerir o enfrentamento da pandemia e onde se priorizavam ações em relação à saúde dos colaboradores, o presidente Marcelo Oromendia fez um alerta.

“Ele afirmou que havia recebido um dado de colegas presidentes de outras empresas que o deixara preocupado, porque sinalizava uma prevalência em torno de 30% das pessoas com ansiedade ou depressão”, relembra Daniel.

O médico percebeu que era hora de agir. Com ajuda de voluntários e de parceiros de diversas áreas, como a do Head de Comunicação Luiz Serafim, e de Grupos de Afinidade, a exemplo do de Liderança Feminina, o time começou a estruturar o Juntos.

A primeira iniciativa foram as rodas de conversa e de aprendizagem compartilhada que são mensais e acontecem até hoje.

Formadas por encontros presenciais ou remotos e conduzidas pela psicóloga da 3M, Tatiana Agostinho, e por Sílvia de Souza, Líder de Serviço Social na 3M, elas atuam de forma a fortalecer a segurança psicológica do colaborador, que têm garantia de confidencialidade e podem tratar de assuntos profissionais e pessoais.

O game da iniciativa, composto por 10 missões

MOVIMENTA: FERRAMENTA PARA SAÚDE MENTAL E FÍSICA

Enquanto o comitê do Juntos trabalhava, capitaneado pela área de Medicina Ocupacional, um outro grupo da 3M já se ocupava desde o início de 2021 em desenvolver as atividades de celebração dos 75 anos da empresa no país.

“A ideia inicial era, entre os eventos comemorativos, ter uma ação que contemplasse atividade física, como uma prova de corrida e caminhada que já realizamos muitas vezes na empresa”, conta Luiz Serafim. Sem trégua da pandemia, o plano precisava de adaptação.

Unindo esforços, os dois comitês chegaram ao modelo do Movimenta. “Por causa da pandemia, que bagunçou a vida e a rotina de todos, as pessoas estão mais sedentárias”, diz Daniel. “Percebemos uma demanda represada e resolvemos chacoalhar esse bambuzal”, brinca ele.

Assim, o Movimenta 3M programou duas semanas de lives de atividades físicas com aulas de luta, treinamento funcional, iniciação à prática de corrida, cross training, dança, pilates, meditação e nutrição esportiva.

Elas aconteceram entre 8 e 17 de setembro – e foram sucesso de público e crítica. “Todas as aulas contaram com a participação de mais de uma centena de pessoas”, comemora o médico.

As aulas, assim como o encerramento do Movimenta, aconteceram em uma plataforma virtual especial, que simulava um espaço de eventos presencial, com “palcos” diferentes.

“Cada um dos palcos tinha uma atração: agenda dos eventos, galeria de fotos das pessoas que participavam das atividades, uma playlist elaborada especialmente para o Movimenta e um game, o Desafio Movimenta”, diz.

O game contava com 10 missões, coordenadas com as lives dos exercícios, e dentro de cada uma havia quatro tarefas para a pessoa oferecer evidências de que estava participando da atividade como enviar fotos e responder a um quiz.

A última missão era participar, no fim de semana de 18 de setembro, de 75 minutos de atividade física, em qualquer modalidade, fazendo a ligação com a celebração do aniversário da 3M de 75 anos.

OBJETIVO: EVITAR O PRESENTEÍSMO

O encerramento do Movimenta 3M, com Drauzio Varella, coroou a experiência. E foi um marco para o médico do trabalho. “Ele passou uma mensagem muito potente, com potencial transformador, na medida em que explicou quanto movimentar nosso corpo é essencial para nossa saúde física e mental. Isso validou toda a iniciativa do Movimenta.”

Segundo Drauzio, se aos 50 anos as pessoas estiverem se alimentando adequadamente, de forma equilibrada e praticando exercícios regulares, as mulheres podem viver mais 43 anos e os homens, levar mais 38 anos de vida – e vivendo com qualidade.

O comitê agora está fazendo uma pesquisa com os colaboradores para ter uma fotografia mais adequada do perfil de cada indivíduo, buscando saber como está sua condição física e também o que o motiva para a atividade física.

“Assim, podemos construir programas mais elaborados e personalizar a iniciativa”, afirma Daniel. O objetivo é promover a saúde para, mais do que evitar doenças e absenteísmo, evitar também o presenteísmo.

“O presenteísmo se configura quando o colaborador não se reconhece com algum problema de saúde e continua trabalhando, mas, como não está bem, não produz”, explica Daniel.

O problema está mais ligado a transtornos mentais, como ansiedade e estresse. “Isso traz muita insatisfação para o colaborador, mas é bem mais difícil de ser detectado.”

Ao manter corpo e mente saudáveis, o colaborador vive com mais qualidade, fica mais feliz, produz mais e é mais criativo. “Corporações saudáveis são feitas de pessoas saudáveis. Com programas assim, fazemos bem para as organizações através das pessoas”, afirma o médico.

Na liderança do projeto, Daniel afirma que gostaria de ver a transformação do ambiente de trabalho, de forma a se tornar inclusivo na perspectiva de saúde.

“O objetivo é que todos tenham segurança psicológica e que se valorize a vulnerabilidade como facilitador para as conexões verdadeiras, sem precisar ficar falando disso”, afirma.

“E que isso seja o ingrediente para alavancarmos uma cultura de saúde da 3M. Quando digo ‘cultura de saúde’, quero dizer uma mudança da cultura organizacional, da mentalidade da companhia.”

571 Total Views 1 Views Today
APRESENTA
COMPARTILHE
APRESENTA

Confira Também: