Ele desistiu da medicina e hoje ensina, pelo YouTube, o que nenhum jovem aprende na universidade: lidar com seu próprio dinheiro

Breno Perrucho - 29 set 2022
Breno Perrucho, fundador do canal Jovens de Negócios.
Breno Perrucho - 29 set 2022
COMPARTILHE

Ainda com 12 anos, dei meus primeiros passos no YouTube, mas minha motivação era outra, a paixão pela música.

Provavelmente você já deve ter se deparado com artistas tocando vários instrumentos de forma separada e depois aparecerem em telas divididas ao mesmo tempo como se formasse uma banda? 

Pois bem, como eu já tocava violão, piano, bateria e ukulele, tive a ideia de fazer vídeos me inspirando nesses artistas e postá-los no YouTube.

Era como a realização de um sonho fazer o mesmo tipo de conteúdo dos meus ídolos até então. Mal sabia que meu esforço para entender aquele processo de  produção de um vídeo para a internet seria usado anos depois nessa mesma plataforma — e mudaria a minha vida para sempre.

PERDI MEU PAI CEDO E DECIDI QUE USARIA SUA HERANÇA PARA ABRIR MEU PRÓPRIO CONSULTÓRIO

Aos 13 anos, perdi meu pai. Acredito que esse foi o primeiro grande sinal que tive da vida para a necessidade de pensar com carinho no meu futuro e da minha família.

Decidi que o valor recebido da empresa dele como herança em função de seu falecimento nunca existiria se não para ser um motor de multiplicação daquele capital. Ainda que, a partir do momento em que eu completasse 18 anos, tivesse acesso legal à quantia.

Assim que terminei o colégio, comecei a cursar medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro e tracei uma meta ao escolher o que faria com aquele dinheiro: abrir o meu próprio consultório quando fosse o momento certo.

Na faculdade, tive um dos primeiros insights que começaram a moldar quem me tornei hoje. Um deles, talvez o mais importante, surgiu de uma matéria chamada “Saúde da Família”. Essa disciplina incentivava os estudantes a visitar comunidades carentes do Rio

Como eu tinha uma vida confortável morando com minha mãe, essa vivência me mostrou um grande contraste do meu dia a dia com a realidade das comunidades, o que me fez questionar diversas questões da nossa sociedade e presenciar como a falta de informação afeta a vida das pessoas.  

O CURSO DE MEDICINA DEIXOU DE FAZER SENTIDO E COMECEI A ME ENVOLVER COM O UNIVERSO DO EMPREENDEDORISMO E DAS FINANÇAS

A minha primeira reação foi me preocupar muito mais com tudo relacionado a finanças e o que eu poderia fazer para administrar bem qualquer dinheiro que eu recebesse. Nesse momento, meu “bom e velho amigo” YouTube voltou à cena.

Foi lá que busquei conhecimento sobre como lidar com as minhas finanças e me deparei com gente muito boa já presente lá, como os influenciadores Thiago Nigro (hoje meu sócio), Bruno Perini, Nathalia Arcuri, entre outros.

Ao mesmo tempo, me joguei de cabeça em livros de autores renomados como Gustavo Cerbasi e Robert Kiyosaki (de Pai Rico, Pai Pobre).  

Mas, apesar de eu ter aberto meus olhos para essa realidade, eu sentia que ainda não era o momento de pensar nesse conhecimento do mundo digital. Meu pensamento estava condicionado a concluir que era preciso fazer uma faculdade.

Mesmo assim, acabei perdendo o interesse em medicina. A solução encontrada à época foi migrar dentro da UFRJ para outro curso de uma área tradicional, no caso, engenharia de produção.

A real é que eu sempre tive a mentalidade de que poderia  fazer algo a mais do que o curso. Para mim, a vontade de empreender sempre foi natural e nessa época cheguei até a vender perfumes de uma empresa conhecida do mercado de vendas diretas dentro da faculdade

Nessa mesma época, fui convidado a fazer parte da empresa júnior do curso na universidade. Lá, aprendi com mais profundidade como uma empresa rodava. Tive a chance de entender sobre como liderar equipes, capacitar novos membros e até promover palestras na universidade.

Definitivamente, essa foi outra experiência essencial na minha jornada, pois foi ela que me fez despertar o real interesse por negócios — além de me desenvolver muito pessoal e profissionalmente.

Com o tempo, percebi também que, se em uma ponta eu ia adquirindo cada vez mais conhecimento sobre finanças, muitos dos meus colegas de projeto não sabiam investir. Nascia na minha cabeça uma oportunidade.

PERCEBI QUE A MAIORIA DOS JOVENS NÃO TEM FACILIDADE COM FINANÇAS E DECIDI CRIAR UM CANAL NO YOUTUBE PARA FALAR DESTE ASSUNTO

Pois bem, no final de 2017, depois de fecharmos um contrato bem bacana com uma grande panificadora, eu e meu amigo que estava também na negociação da empresa júnior fomos comemorar o feito em um bar.

Foi ali que surgiu a ideia: por que não criar um canal no YouTube para ajudar mais pessoas contando as experiências de negócios vividas por nós, junto da minha habilidade de comunicação adquirida até então? Não demorou muito para o nome do projeto ser escolhido, o mesmo mantido até hoje: Jovens de Negócios

No fim das contas, em função de um problema de saúde na família deste meu amigo, o canal foi desenvolvido desde sempre por mim. 

O ano de 2018 foi uma doideira. Me preparei como se eu estivesse partindo em meses para uma guerra. Eu sabia que, se eu quisesse tornar aquele sonho uma realidade, precisava me sentir merecedor do retorno que aquela atividade futura me traria.

Por isso, mudei completamente minha rotina. Comecei a acordar muito mais cedo do que antes, às 5 horas, e criei todo um esquema que me permitisse estudar e realizar tudo que envolvia a realização do canal. 

Dois meses depois do início oficial do canal, mesmo com menos de mil seguidores e sem eu ter ganho ainda um centavo com o Youtube, decidi largar a faculdade para me dedicar exclusivamente ao projeto 

O que fiz foi apostar muito no meu sonho. Eu havia me preparado e via claramente que falar sobre educação financeira, negócios e economia para o jovem era — e ainda é — um enorme desafio para criadores de conteúdo.

QUERO AJUDAR OS JOVENS A CONQUISTAREM A TÃO SONHADA LIBERDADE FINANCEIRA

O resultado de tudo isso é que a Jovens de Negócios cresceu muito e se tornou uma empresa de mídia. Hoje o portal se tornou o quarto maior canal de educação financeira e empreendedorismo do país, com quase 2 milhões de inscritos.

Acredito que esse sucesso se dá, além da qualidade do produto final, muito pela linguagem que desenvolvemos e por apostarmos no propósito de ensinar abordando temas ainda pouco explorados nas escolas e universidades, mas que são de extrema relevância para a formação do jovem do século 21 na sociedade.

Temos o canal no YouTube como carro-chefe. Além disso, realizamos cursos e eventos que permitem um aprofundamento ainda maior em temas relacionados à educação financeira e a investimentos.

Há poucos meses, lançamos também nosso aplicativo, que dá acesso a conteúdos abertos e pagos, todos voltados ao jovem que deseja entender melhor como lidar com o seu dinheiro para conquistar a liberdade financeira no futuro.

No nosso país, o jovem ainda é muito mal preparado — pela escola e pela universidade — para a vida adulta, para saber lidar com o seu dinheiro… E quanto mais cedo souber fazer isso, mais rápido conquistará a liberdade financeira

O que mais me motiva hoje em dia é tentar mudar essa realidade. Sei que ainda há uma jornada gigante a ser vivida, mas meu propósito de vida segue o mesmo: criar pessoas livres das amarras sociais por um mundo cada vez mais próspero economicamente.

 

Breno Perrucho é fundador do canal Jovens de Negócios, com mais de 2 milhões de inscritos, e da empresa de educação Jovens. Sócio de Thiago Nigro (o Primo Rico), escreveu o livro O que o ensino não te ensina. Se Instagram é @brenoperrucho.

996 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: