APRESENTA
APRESENTA

Por que no frio comemos mais? Nutricionista da Sodexo explica o motivo – e dá orientações para uma alimentação saudável

Cláudia de Castro Lima - 10 ago 2021
(Imagem: Freepik)
Cláudia de Castro Lima - 10 ago 2021
COMPARTILHE

Menos mercado e mais sacolão. A fórmula para uma vida mais saudável é simples assim. No inverno, no entanto, isso é mais desafiador – e existe uma explicação para isso. Mas conhecê-la, e saber que há solução, é o caminho para nos alimentarmos bem inclusive quando as temperaturas estão mais baixas.

Segundo Soraia Batista, nutricionista da Sodexo Benefícios e Incentivos, nós temos mesmo mais fome no inverno. “Nos dias mais frios, o nosso corpo trabalha mais para manter a temperatura na casa dos 36° C”, afirma ela.

“Se ele trabalha mais, gasta mais energia. Esse é o motivo de sentirmos mais apetite nesta época.” O cérebro envia sinais para aumentar nossa fome e equilibrar nossa temperatura.

Além de mais apetite, nós temos também mais vontade de comer alimentos mais quentinhos e mais calóricos – quem é que pensa numa salada nutritiva quando está com frio?

“O corpo pede esse tipo de alimento para ajudar a espantar a sensação fria, além de gerar sensação de saciedade e bem-estar”, explica a nutricionista.

“A maioria das pessoas evita comer alimentos mais frescos nessa época do ano, como salada, e recorre aos alimentos mais calóricos, cheios de açúcar e gordura”, diz Soraia.

Há ainda outro fator a ser considerado: a chamada “fome emocional”. Essa é causada não por nossa fisiologia e está relacionada a episódios de estresse ou sentimentos como ansiedade, frustração e medo, por exemplo.

“A primeira coisa é entender os sinais do corpo”, aconselha Soraia, para distinguirmos essa fome emocional da real.

“No frio, é muito comum ‘aproveitarmos’ a situação para comer mais. O resultado é o ganho de peso e frustração. E isso não é saudável.”

COMO DISTINGUIR A FOME DA VONTADE DE COMER?

A nutricionista explica que saber a diferença entre fome e vontade de comer é essencial – e em qualquer época do ano. “Se você estiver em dúvida, não é fome”, ela diz.

A fome de verdade dá sinais: o estômago ronca, temos sensação de fraqueza ou até de enjoo, além de dor de cabeça, por exemplo. “Comer quando se tem fome e entender quando se está satisfeito já é um ótimo começo”, explica.

“O Guia Alimentar para a População Brasileira nos fala que devemos ter como a base da nossa alimentação os alimentos in natura e minimamente processados.”

O segundo passo para ter uma alimentação equilibrada no inverno é, portanto, escolher alimentos mais saudáveis – e evitar os famosos industrializados.

“Tenho uma dica básica superimportante: desembale menos e descasque mais”, afirma Soraia.

“Então, use e abuse das frutas, verduras e legumes – inclusive em dias frios.” Se você não consegue nem pensar em salada no inverno, a nutricionista sugere: que tal uma salada quente?

Para fazer uma deliciosa, cozinha legumes no vapor e faça as verduras com um fio de azeite na frigideira, de modo que elas ainda permaneçam crocantes. Alguns exemplos de saladas quentes deliciosos: de bacalhau e ovos, de legumes no forno ou de abobrinha com queijo de cabra.

E AQUELA VONTADE DE CHOCOLATE QUENTE?

Se o tempo esfria e você já pensa em um chocolate quente ou em um fondue de queijo, saiba que não está sozinho. Não queremos dizer aqui que é proibido dar uma escapa.

“Não existe alimento vilão. Tudo é questão de equilíbrio”, alerta a especialista.

Há, no entanto, trocas espertas que podem ser feitas de alimentos menos calóricos e mais nutritivos – e sem perda de sabor. Alguns exemplos:

  • Massas e pães brancos pelas versões integrais
  • Chocolate quente feito com leite desnatado, cacau em pó (em vez de achocolatado) e pouco – ou nenhum – açúcar
  • Fondue de queijo com molho de queijos brancos. Em relação aos acompanhamentos, abuse dos legumes e use pães integrais

A nutricionista ainda dá outras dicas de ouro:

  • Mantenha-se hidratado, mesmo nos dias frios, em que não sentimos tanta sede
  • O frio também desanima algumas pessoas de praticarem exercício físico. “Tenha cuidado, pois nessa época facilmente pode-se comer mais do que se gasta”, diz a nutricionista. “Não deixe de se exercitar. Só é difícil no começo, mas logo o corpo esquenta e sua saúde agradece.”
  • Sopas são ótimas opções. Mas prefira as mais naturais, que não levem alimentos processados

Abaixo, Soraia dá três receitas perfeitas para o inverno retiradas do ebook Receitas Sustentáveis, elaborado pelo Programa Viver Bem e pelo Instituto Stop Hunger da Sodexo: uma sopa (para aquecer os dias frios), uma abóbora assada (que pode ser acompanhamento da salada quente ou tira-gosto) e ganache de banana (para cobertura de bolos, tortas, pudins – e até como calda para um fondue de chocolate). Clique nos links e aproveite.

Sopa verde sustentável

Abóbora rústica assada

Ganache de casca de banana

862 Total Views 1 Views Today
APRESENTA
COMPARTILHE
APRESENTA

Confira Também: