O Mentora quer te ajudar a ganhar dinheiro enquanto você joga o seu game favorito

Dani Rosolen - 28 jun 2022 Dani Rosolen - 28 jun 2022
COMPARTILHE

Nome:
Mentora.

O que faz:
É uma plataforma blockchain em que gamers se conectam, competem e ganham dinheiro enquanto se divertem com seus jogos favoritos.

Que problema resolve:
Democratiza os ganhos com E-sports, gerando renda extra tanto para gamers profissionais quanto para amadores, fãs e produtores de conteúdo de todas as idades e perfis. Pois hoje, apenas 1% dos jogadores de games online conseguem ganhar algum dinheiro no processo.

O que a torna especial:
Segundo os sócios, a empresa tem uma proposta única que une o modelo play-to-earn a jogos competitivos já existentes no mercado, como CS:GO, Valorant e League of Legends (LOL), entre outros que serão adicionados periodicamente.

Modelo de negócio:
O negócio lucra com a venda dos tokens de governança da plataforma e de sua criptomoeda, a Mentora Coin.

Fundação:
Novembro de 2021.

Sócios:
Pedro Felix — CEO e cofundador
Lucas Zillio Mari — Fundador
Fernando Ladário — Board Leader e Fundador

Fundadores:

Pedro Félix 22 anos, São José dos Campos (SP) — é formado em Engenharia de Produção pela UNESP. Liderou um dos maiores movimentos estudantis de empreendedores na FEJESP e trabalhou como Head de Produto na Amém Irmão, rede social que viabiliza doações através do blockchain.

Fernando Ladário 63 anos, São José dos Campos (SP) — é formado em Engenharia Mecânica pela FAAP, com MBA em Finanças pela FGV, além de Certified Quality Engineer pela American Society for Quality. Atuou como engenheiro aeroespacial na Avibras Indústria Aeroespacial e como consultor em empresas como a Dextron Consulting. É investidor-anjo de outros projetos.

Lucas Zillio 26 anos, Jacareí (SP) é formado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e cursa Contabilidade EAD pela Universidade Trevisan. Foi responsável por atuar na formação da startup Brazil International Gaming. Trabalha na PwC no desenvolvimento de revisões tributárias.

Como surgiu:
Os sócios, a maioria amantes de games, foram estudar a atual situação dos criptojogos (jogos com operação em blockchain) e viram que de todo o mercado gamer potencial apenas 0,001% estava jogando este tipo de jogo. Após análise do cenário, eles entenderam que isto acontece pela má experiência de gameplay que estes jogos fornecem. Por isso, decidiram fundar o Mentora.

Estágio atual:
O Mentora está em public offer até 24 de julho. A public offer é o marco da primeira emissão do token de governança da plataforma, o MWP – Mentora Well Played. Esta etapa posiciona o lançamento da plataforma e da economia da comunidade no mercado e marcará a entrada dos primeiros gamers/investidores no ecossistema da startup. O token é ideal para investidores e gamers que querem ter uma participação ativa na evolução e tomada de decisão da plataforma e serão premiados por poder adquirir esta participação no preço inicial de mercado, podendo se beneficiar de uma possível valorização do ativo. A plataforma abre com uma fase de lista de espera para acesso a compra de MWP’s com 20% de desconto. .

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 2 milhões de reais na empresa.

Necessidade de investimento:
Os empreendedores devem buscar uma rodada de investimento para 2023 com objetivo de alavancar a expansão geográfica, a inserção de novos jogos e de funcionalidades

Mercado e concorrentes:
“O mercado brasileiro de games é um dos maiores do mundo, mas E-sports remunerados ainda são para poucos. O Mentora quer levar a mecânica play-to-earn aliando a renda extra à diversão e competição, com o objetivo de descomplicar o mundo cripto para a comunidade gamer e democratizar os E-sports. A equipe fundadora do Mentora acredita muito no modelo de negócio de play-to-earn, pois existem 3 bilhões de gamers no mundo, em um mercado de 175 bilhões de reais e nem 1% deles ganha dinheiro”, diz Pedro. “Existem alguns players internacionais que desenvolveram cryptogames e tem um modelo play-to-earn, mas com uma gameplay que deixa a desejar.”

Maiores desafios:
“O maior desafio da startup será a venda de mais de 20 milhões de tokens de governança (Mentora Well Played – MWP). Isso significa levantar pelo menos 1,9 milhão de dólares com uma venda dividida em três etapas que envolvem descontos para a aquisição dos tokens antes da abertura da venda ao público em geral”, afirma o CEO.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
4º trimestre de 2023.

Visão de futuro:
“A nossa visão é fazer com que todos do ecossistema de E-Sports ganhe dinheiro, seja como hobby ou atividade profissional. Vamos proporcionar em uma única plataforma diversos canais de receita e conexão entre players, streamers, fãs e empresas, sempre conectando todos com seus jogos favoritos. Tudo isso com em uma plataforma blockchain com um onboarding descomplicado para o universo cripto”, conta Pedro.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

229 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: