O musii é uma rede social que conecta pessoas através de seus gostos musicais

Dani Rosolen - 17 dez 2020
COMPARTILHE

Nome:
musii.

O que faz:
É uma rede social para descobrir e divulgar músicas e conectar pessoas com gostos musicais parecidos.

Que problema resolve:
Dá voz a comunidade da música e trazer para a cena artistas que possuem pouca visibilidade.

O que a torna especial:
De acordo com os fundadores, hoje não existe uma rede social voltada para interação a partir da música. “Existem apps para streamings, porém com pouca interação. O musii está sendo construído para propor essa conexão genuína, além da descoberta de novos sons, novas pessoas e no futuro, quem sabe, lugares para você encontrar seu ‘rolê musical'”, diz  Eduardo, CSO da startup.

Modelo de negócio:
Por enquanto a startup não monetiza, mas pretende lucrar em três frentes: cobrança mensal para conta comercial de bares (através de um mapa, a partir do momento que o usuário filtrar por “rock”, por exemplo, vão aparecer locais próximos que tem esse tipo de programação); inserção de marketing de artistas e gravadoras; e geração de leads para empresas que produzem eventos relacionados à música.

Fundação:
Dezembro de 2019.

Sócios:
Hig Miguel — CEO
Arthur Baccam — CFO
Eduardo Gomes — CSO
George Guerra — UX e Designer
Leonardo Garcez — CTO

Fundadores:

Hid Miguel — 25 anos, São Paulo (SP) — estudou seis anos de jazz na escola Groove. Foi analista de qualidade na XP Inc.

Arthur Baccam 27 anos, São Paulo (SP) — é formado em Engenharia Aeroespacial pela UFABC. Trabalhou no Itaú e na XP Inc.

Eduardo Gomes 26 anos, São Paulo (SP) — é formado em Economia pela PUC-SP. Trabalhou no Santander, no HSBC e na XP Inc.

George Guerra 26 anos, São Paulo (SP) — é formado em Publicidade e Propaganda pela ESPM. Trabalhou na Wunderman Brasil e no Ibope Inteligência.

Leonardo Garcez — 26 anos, São Paulo (SP) — é formado em Programação de Jogos pela Universidade Estácio de Sá. Trabalhou na Zaz Soluções e Vendas.

Como surgiu:
Segundo os sócios, que se conheceram na XP, a ideia do musii surgiu quando Hid estava passando pela avenida Ipiranga com a São João, em São Paulo, olhou para o Waze e pensou que poderia ser interessante se houvesse uma indicação da música Sampa, de Caetano Veloso, no mapa, permitindo que o usuário se conectasse com outras pessoa que gostam dessa canção. A partir disso, eles começaram a questionar por que não existia nenhuma rede social da música (apenas streamings) que pudesse ajudar na divulgação de artistas ou a encontrar eventos musicais. Pesquisaram melhor o mercado, contrataram desenvolvedores e lançaram o app nas lojas há cinco meses.

Estágio atual:
A musii tem um escritório em São Paulo e cerca de 1 500 usuários cadastrados na plataforma. No momento está passando por um redesign para deixa o app mais simples e intuitivo. A nova versão tem previsão de lançamento para fevereiro de 2021. Na nova versão do app, os usuários poderão compartilhar músicas e se conectar a pessoas com gosto musical semelhante ao seu.

Aceleração:
Buscam aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios receberam 500 mil reais de um investidor-anjo em fevereiro de 2020.

Necessidade de investimento:
O musii estão com uma rodada de investimento em andamento na qual pretende captar mais 500 mil reais até o final de fevereiro de 2021.

Mercado e concorrentes:
“Entendemos que cada vez mais as redes estão se tornando nichadas e verticais. Hoje existem redes profissionais, de paquera, de notícias etc. Queremos ser referência como uma rede social brasileira voltada para a música. Somando o mercado de rede social e música, o faturamento bruto ultrapassa 150 bilhões de dólares por ano. No mundo, existem mais de 4 bilhões de usuários ativos em rede sociais. É um mercado muito amplo e dominado por poucos nomes”, afirma Eduardo. Ele diz que os concorrentes indiretos são grandes redes sociais.

Maiores desafios:
“Pensando na construção do produto, o primeiro é tecnológico. O segundo é criar um senso de comunidade e engajar pessoas dentro da plataforma.”

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Final de 2022.

Visão de futuro:
“Hoje, 99% das músicas ouvidas no Spotify vêm de apenas 10% dos artistas cadastrados na plataforma. Vemos o musii sendo uma rede social que democratizará o mercado da música e inverterá essa métrica, fazendo com que mais artistas sejam ouvidos no mundo inteiro.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

1584 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: