“Quantas oportunidades perdemos por não olhar para o lado esquerdo do mapa? Resolvi fazer diferente e empreender na Argentina”

Micaela Redondo - 14 jan 2022
Micaela Redondo, fundadora da Hubnect.
Micaela Redondo - 14 jan 2022
COMPARTILHE

Sempre fui uma pessoa inquieta, de múltiplas paixões e interesses. Arquitetura, gestão de projetos, gastronomia, comunicação, vinhos… Tudo isso está (ou esteve) presente em minha vida, seja como atividade profissional ou como hobby, mas sempre com pretensões de se transformar em empreendimento.

Essa busca pela realização profissional e pessoal sempre foi uma constante e, mesmo com tantos projetos e paixões, a conta não fechava…

Sempre pensei — e sigo pensando — que a chave da satisfação profissional e pessoal está em conhecer muito bem o estilo de vida que desejamos ter e reunir as condições para viabilizá-lo.

Nem sempre é sobre dinheiro, assim como não necessariamente é sobre seguir paixões e propósitos. O que não encaixava, no meu caso, era a dinâmica de vida.

Trabalhava como coordenadora de projetos em uma empresa de engenharia e, em paralelo, tocava um projeto gastronômico.

Ambas iniciativas se chocavam com uma realidade em comum: me atavam a uma cidade: Salvador. E eu queria uma vida com um pouco mais de movimento. 

FUI FAZER UM MBA NA ESPANHA. MAS EM VEZ DE ME APROXIMAR DA EUROPA, ACABEI ME CONECTANDO À AMÉRICA LATINA

De maneira um tanto intempestiva, me inscrevi em um MBA na Espanha em marketing e vendas. No mais básico dos cenários, eu teria um ano de respiro antes de fincar raízes. No mais audacioso, a experiência poderia abrir novas perspectivas e oportunidades.

Em relação ao MBA, foram meses incríveis. Vivi o dia a dia de outro idioma e conheci gente de uma infinidade de países. Minha convivência era principalmente com pessoas da América Latina (Argentina, Colômbia, México, Equador, Uruguai, Chile, Peru) e da Espanha.

Um dos insights mais marcantes foi perceber o quanto nós brasileiros nos mantemos distantes de nossos vizinhos. Aprendemos inglês desde a escola, temos o idioma como um requisito laboral, mas olhamos pouco para o lado esquerdo do mapa. Quantas oportunidades perdemos por não estreitar essas relações? 

Em Madri, também tive a oportunidade de trabalhar. Meu plano era encontrar algo como gerente de projetos em uma empresa de engenharia ou arquitetura.

Terminei como analista de peritagem judicial de contratos de construção civil em uma companhia que precisava treinar alguém para um próximo caso em um país lusófono. 

Uma nova experiência de vida, infelizmente não tão positiva. Apesar de ter alcançado um objetivo (estar em uma empresa que podia me manter na Espanha), pela primeira vez eu realmente odiava um trabalho.

Optei por pedir demissão e aproveitar os últimos meses do visto para viajar por outras cidades e países. E foi aí que a mágica aconteceu. 

UMA TRANSIÇÃO DE CARREIRA NEM SEMPRE É PLANEJADA. MAS FOI IRREVERSÍVEL E AINDA ME LEVOU A OUTRO PAÍS

Um amigo argentino em Madrid (e hoje, meu companheiro) trabalhava como consultor de marketing digital e comentou que precisava de um freelancer para produção de conteúdo em espanhol. Bingo!

Aceitei o desafio. Corri atrás de aprender produção de conteúdo e consegui viajar três meses pela Europa, financiada por trabalhos freelancer de conteúdo e tradução.

Nessa época, por indicação, consegui o primeiro cliente direto, que precisava também de prospecção fria.

Pesquisando sobre o tema, encontrei uma vaga remota de Social Selling e Vendas em uma empresa do Brasil/Portugal. 

Consegui o trabalho e, quando percebi que tinha feito uma transição de carreira, já não tinha como voltar atrás. Eu nunca me senti tão satisfeita!

O trabalho era divertido, estimulante, me dava prazer. Financeiramente, já ganhava quase o mesmo que antes de ir à Espanha. Me apaixonei de corpo e alma por essa nova profissão na área de marketing. 

Com o visto vencido e uma nova profissão na mala, decidi testar a sorte na Argentina, no país do meu companheiro, e logo fui conquistada pelos ares portenhos.

NA ARGENTINA, EM PLENA PANDEMIA, FUNDEI A HUBNECT

O primeiro ano foi um período para me adaptar e organizar minhas bases.

Me dividia entre o trabalho remoto e clientes próprios, enquanto corria atrás para aprender o máximo possível.

A jornada empreendedora começou com o início da pandemia. Na verdade, a semente estava plantada há algum tempo: desde a experiência com o MBA, eu já estava fascinada com as possibilidades oferecidas pela América Latina. 

Outra questão que não saia da minha cabeça era a seguinte: no trabalho, tínhamos resultados muito bons aplicando Social Selling e prospecção com LinkedIn.

Porém, contávamos com toda uma estrutura para isso. Outras empresas de maior porte também utilizavam a estratégia e a quantidade de consultores e treinamentos na área só se multiplicava. 

Nesse contexto, havia um grupo que ficava de fora: os profissionais que não tinham tempo ou apoio para esse tipo de atividade, como proprietários de pequenas empresas, diretores comerciais que trabalhavam sem equipe, profissionais que não se adaptaram a um uso mais intenso das redes sociais. 

Foi assim que surgiu a Hubnect, com a missão de externalizar as tarefas de prospecção comercial e social selling para empresas e profissionais sem condições de fazê-lo inhouse, atrelando tudo isso a uma perspectiva multicultural.

Ou seja, o objetivo não era só ajudar esse público a encontrar oportunidades comerciais, mas permitir que essa busca estivesse orientada a qualquer lugar do mundo. 

EMPREENDER JÁ É DIFÍCIL. EM OUTRO PAÍS (E SENDO MULHER), O DESAFIO SE MULTIPLICOU

Imagine uma mulher, de outro país, buscando empreender (ainda mais na área de vendas), chegando para abordar, apresentar e negociar em espanhol com um sotaque que entrega a nacionalidade.

Por muito tempo, quando havia uma reunião agendada para o dia, eu não queria nem me levantar da cama. 

Confesso que tive minhas crises de ansiedade e síndrome de impostor, mas consegui dar os primeiros passos sozinha.

Apresentei a ideia para a minha rede de contatos e fechei clientes na Argentina, no Brasil e na Espanha. Fui estruturando processos e proposta de valor. 

No início de 2020 um amigo, da área comercial em uma agência de marketing, saiu da empresa onde estava. Apresentei o modelo para ele, que topou entrar como sócio na Hubnect. A partir desse ponto, um novo desafio começou.

Nosso primeiro objetivo foi expandir a base geográfica e ocupar pelo menos os principais pontos da América do Sul.

Afinal, se nosso diferencial era ajudar nossos clientes a chegar a outros países (outras empresas também terceirizam a prospecção, talvez não com o mesmo processo, mas o resultado final é similar), deveríamos estar pelo menos nessas mesmas regiões 

No comercial, tivemos que colocar a cara a tapa. Os primeiros clientes foram por referência e com eles construímos casos de sucesso e material suficiente para ajudar em abordagens e negociações.

Mas, para chegar a mais países, tínhamos que prospectar e vender. Foi um processo longo e muitas vezes desagradável, mas essencial para amadurecer como empresa e equipe.

Hoje, temos clientes em dez países: México, Colômbia, Peru, Chile, Argentina, Uruguai e Brasil, além de Espanha, Portugal e Suíça. 

SOBREVIVEMOS AOS TÃO TEMIDOS DOIS PRIMEIROS ANOS DE EMPRESA E QUEREMOS SEGUIR EXPANDINDO 

Um ponto importante que aprendemos nesse período é que dominar um idioma não é o suficiente para ter êxito em abordagens comerciais e vendas.

O fator cultural, as nuances de comportamento e códigos de relacionamento, contam muito. Talvez, elas sejam até mais importantes 

Agora, em 2022, queremos nos debruçar um pouco sobre essa questão e seguir expandindo.

Temos clientes que pedem apoio para entrar em países como Estados Unidos, Canadá, Inglaterra e Alemanha, mas ainda não tivemos resultados satisfatórios nessas regiões.

Esse é um desafio que gostaríamos de vencer nos próximos anos e para isso vamos usar tudo o que aprendemos até aqui. 

 

Micaela Redondo, 32, é baiana, mas hoje vive em Buenos Aires. Formada em Arquitetura, em 2017, decidiu fazer uma transição de carreira, o que a levou à Espanha para uma especialização em marketing e vendas pela Universidade Europea de Madrid e a empreender a Hubnect, empresa digital especializada no aprimoramento do posicionamento e na geração de negócios para empresas na América Latina.

 

813 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: