Quer convencer sua empresa a adotar terapias holísticas que melhorem a satisfação (e o desempenho) da equipe? Chame a Holos

Dani Rosolen - 22 mar 2021
Gustavo Souza, fundador da Holos.
COMPARTILHE

Você já experimentou fazer meditação online? Ou oferecer esse benefício para os seus funcionários?

Em tempos de pandemia, em que as mortes e o distanciamento social sobrecarregam a saúde mental de todos nós, parece que cada vez mais empresas têm acordado para a importância de acolher o time com uma oferta terapêutica.

Esse é o nicho em que atua a Holos, um marketplace que conecta terapeutas holísticos a clientes corporativos. O fundador Gustavo Souza, 37, afirma:

“Queremos mostrar para as empresas que contratando a Holos elas conseguem reduzir indicadores de alto custo como absenteísmo, burnout, sinistralidade dos planos de saúde, baixa produtividade etc., aumentando a felicidade e o bem-estar dos colaboradores”

Gustavo empreendeu a partir do seu interesse por terapias holísticas. Com três dezenas de clientes, a Holos oferece um portfólio de tratamentos que inclui pilates, reiki e yoga.

UMA DEPRESSÃO PROFUNDA O LEVOU A CONHECER AS TERAPIAS HOLÍSTICAS

Gustavo já tinha atuado em gestão comercial para a Converse e teve oportunidade de criar o próprio negócio para a distribuição da marca no estado de Minas Gerais e realização de eventos relacionados ao universo de consumidores da empresa.

Chegou, inclusive, a empreender uma revista de música eletrônica, a Pura; mas a publicação não gerava receita e fechou. “A revista durou três anos e foi o pior e melhor aprendizado da minha vida. Acho que todo empreendedor precisa quebrar uma vez para poder se destacar nas outras empresas”.

Depois de desistir de empreender com mídia, ele resolveu seguir só com sua empresa de gestão comercial — mas acabou entrando em depressão profunda. “Aquele sofrimento me fez conhecer as terapias holísticas.”

Isso já faz quase dez anos. A partir do conhecimento de técnicas, Gustavo entrou para um grupo de estudos da consciência. Esse grupo criou uma instituição filantrópica para atender pessoas com Síndrome de Down e seus familiares; além de projetos sociais, o instituto oferecia atendimento clínico com foco em terapias integrativas.

 “Quando me envolvi no projeto, achei que ia acabar virando terapeuta… Mas percebi que minha missão nesse mundo holístico é fazer o que faço de melhor: empreender, oferecendo uma solução tecnológica para essa área”

A partir daí, Gustavo investiu em coaching e constelação familiar para entender seu propósito. Paralelamente, começou a estudar o mercado holístico.

A PRIMEIRA VERSÃO, VOLTADA AO CONSUMIDOR FINAL, FOI “UM FIASCO”

A Holos nasceu originalmente como um marketplace de terapias holísticas voltado ao usuário final.

Gustavo conta que aquela primeira plataforma não deu certo.

“Foi um fiasco. Brinco que nem minha mãe agendou uma sessão”

Logo, porém, pareceu uma luz no fim do túnel. Um dos poucos clientes da Holos trabalhava no Ministério do Trabalho de Belo Horizonte e comentou que o órgão abrira uma concorrência em busca de empresas com oferta de terapias holísticas a escritórios.

Assim, a Holos começou oferecendo acupuntura presencialmente. Foi crescendo e, em 2019, intensificou suas vendas corporativas e buscou adaptar um produto para o formato online, a fim de testar a adaptação do mercado.

“Começamos com meditação, a técnica mais simples e fácil de escalar”, diz Gustavo. “Mas muitos clientes conservadores ainda queriam presencial, mesmo sendo mais caro.”

O EMPREENDEDOR APOSTOU NO ONLINE — E CRESCEU NA PANDEMIA

O empreendedor insistiu no modelo online. Entre 2018 e 2019, investiu 380 mil reais no negócio, até que no fim de 2019 a Holos participou de um programa de aceleração da PUC Tec (Minas Gerais) e foi uma das quatro startups selecionadas. A PUC adquiriu parte da empresa.

 “A partir daí, parei de investir do meu próprio bolso e decidi focar apenas no B2B, porque os números eram melhores, atingiam mais pessoas e cumpriam minha missão de popularizar as terapias holísticas que ainda são vistas como elitizadas”

Então veio a pandemia e mesmo as empresas resistentes ao online tiveram que se adaptar. Entre 2019 e 2020, Gustavo afirma que a empresa cresceu quatro vezes, atendendo mais de 20 mil pessoas, e está mantendo o ritmo este ano.

Além de ter convencido clientes do presencial a aderir ao online, ele conta que ganhou novas empresas no portfólio quando teve a ideia de oferecer cinco salas de meditação online por dia de forma gratuita para auxiliar organizações que se sentiam “perdidas” nesse momento de crise. Elas testaram e viraram novos clientes.

“Essas salas gratuitas foram nosso grande laboratório de técnica de produto online”, diz.

“NÃO DÁ MAIS PARA VARRER A DEPRESSÃO PARA BAIXO DO TAPETE”

Hoje, a Holos atende mais de 30 empresas, entre elas Anglo American, Banco Inter, CEMIG, Unimed-BH e Vale, oferecendo 15 tipos de terapias holísticas.

Os clientes corporativos optam se querem comprar o produto no formato coletivo (que tem a maior demanda, oferecendo práticas como meditação, pilates, reiki e yoga em salas online e ao vivo) ou atendimentos individuais, geralmente reservados para técnicas que só funcionam separadamente, como homeopatia, floral, thetahealing e barra de access.

Ao todo, a plataforma tem 75 profissionais holísticos cadastrados. Eles são MEIs e recebem pelos atendimentos realizados, com uma tabela de preço diferente pela seção individual ou coletiva.

Segundo o empreendedor, com um orçamento de 1 200 reais uma empresa pequena já consegue oferecer o benefício coletivo para seus funcionários, com direito a pelo menos uma ativação semanal.

Para Gustavo, porém, o foco da Holos não é oferecer apenas uma possibilidade pontual de “descompressão”. E, com a pandemia, as empresas têm despertado para a amplitude do problema da saúde mental — e a necessidade de parar de varrer esse cenário para baixo do tapete:

“O Brasil é o país mais deprimido da América Latina e o mais ansioso do mundo. O que mais tira as pessoas do mercado de trabalho são os transtornos mentais, CDF. E essa conta é financeira. Trata-se de uma bomba-relógio, uma epidemia silenciosa, que o Brasil está liderando”

Para convencer aqueles que ainda acham que saúde mental é tabu (ou torcem o nariz para o segmento holístico), o empreendedor é objetivo:

“O que digo para muito para lideres é que a meditação tem mais de 4 mil anos rodando no mercado, mais de 450 artigos publicados por Harvard, Princeton, Yale, Singularity, comprovando que quem medita aumenta seu QI, tem mais capacidade de liderança, equilíbrio etc. As práticas são validadas e comprovadas pelo mercado — e vários líderes famosos já adotaram o estilo de vida holístico.”

1715 Total Views 2 Views Today

DRAFT CARD

Draft Card Logo
  • Projeto: Holos
  • O que faz: Oferece terapias holísticas para o mundo corporativo
  • Sócio(s): Gustavo Souza
  • Funcionários: 18
  • Sede: Belo Horizonte
  • Início das atividades: 2018
  • Investimento inicial: R$ 380 mil
  • Faturamento: Não informado
  • Contato: [email protected]
COMPARTILHE

Confira Também: