Saiba como a iTalents promete combater o déficit de mão de obra na área tech no Brasil

Dani Rosolen - 10 nov 2022 Dani Rosolen - 10 nov 2022
COMPARTILHE

Nome:
iTalents.

O que faz:
A iTalents atua diretamente na descoberta e formação de talentos em TI a fim de mitigar o déficit de mão de obra na área de tecnologia das empresas, além de favorecer a transformação digital no país. 

Que problema resolve:
Resolve os problemas das empresas que necessitam de talentos na área de Tecnologia (TI), seja por meio de hunting e outsourcing. Para ter talentos disponíveis, a iTalents forma pessoas, por meio de cursos práticos (hands on) de curta duração, graduação e pós-graduação.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a iTalents atua de ponta a ponta, formando pessoas e resolvendo as necessidades das empresas. A startup desenvolve também programas de formação customizados para as necessidades dos clientes, a fim de “minerar” e “lapidar” talentos com conhecimentos aderentes às necessidades de cada companhia.

Modelo de negócio:
Quem financia o modelo de negócio da iTalents são as empresas. Elas pagam pelos programas de treinamento para terem acesso aos talentos, que por sua vez fazem a capacitação de forma gratuita. Já os cursos de MBA são pagos e oferecidos em parceria com uma instituição de Ensino Superior, sendo destinados tanto a pessoas já graduadas em cursos da área de TI como a pessoas que visam uma transição de carreira.

Fundação:
A iTalents foi fundada em julho de 2022, mas adquiriu uma empresa que já atuava no mercado de recrutamento e alocação de profissionais de tecnologia há alguns anos, a proDevs.

Executivos e dirigentes:
Engels Rego CEO
Alexandre Alvaro Diretor de Ensino Educacional
Fabiano Dourado Diretor de Tecnologia
Paulo Camargo Diretor de Mercado

Fundadores:

Engels Rego — 49 anos, Natal (RN) — é formado em Economia pela Universidade de Brasília, com MBA em Finanças pela FGV e mestrado em Administração de Empresas pela mesma instituição. Foi sócio da Idea Consultoria Empresarial, diretor executivo da UnYLeYa Brasil e subsecretário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo entre 2007 e 2009.

Alexandre Alvaro — 41 anos, Sorocaba (SP) — é PhD em Ciência da Computação pelo Centro de Informática UFPE. É professor associado da UFSCar.

Fabiano Dourado — 41 anos, Sorocaba (SP) — é formado em Ciência da Computação pela Universidade de Salvador. com pós-graduação em Sistemas Distribuídos pela Universidade Federal da Bahia e MBA em Administração Estratégica de Sistemas de Informação pela FGV. É member board of directors da Unyleya Educacional.

Paulo Camargo 47 anos, Irecê (BA) — é formado em Biologia pela Unesp e em Economia pela Usp, com MBA em Sustainability Management pela Leuphana Professional School, na Lüneburg University (Alemanha). É professor convidado de pós-graduação da UFSCar, fundador da ZEST e cofundador da proDevs.

Como surgiu:
A ideia surgiu a partir da convergência de visões dos sócios e investidores, que são do segmento tecnológico e da educação, e identificaram um grande descompasso entre a formação e a demanda de talentos de tecnologia.

Estágio atual:
Mais de 50 empresas já foram atendidas, especialmente dos segmentos financeiro, educacional, varejo físico e online, de tecnologia e saúde. Mais de 1 000 profissionais já foram capacitados e alocados no mercado de trabalho. A ideia é lançar cerca de 20 cursos de pós-graduação em parceria com a UnyLeya, matriculando até 4 mil alunos até o primeiro semestre de 2023. Já em relação aos cursos de curta duração (livres) profissionalizantes, a expectativa é de inaugurar pelo menos quatro programas de formação, em parceria com empresas de diversos portes, do Brasil e do exterior, matriculando cerca de 10 mil estudantes, nos próximos seis meses.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Até o momento foram aportados 2 milhões de reais por investidores portugueses em produção de conteúdos para formação de profissionais em tecnologia. Além desse montante, foi investido capital para a aquisição de uma empresa que atua em serviço de alocação de profissionais em TI, a proDevs.

Necessidade de investimento:
Não informado.

Mercado e concorrentes:
“Enquanto houver necessidade de profissionais de tecnologia, há oportunidades para formação e alocação. Ou seja, o mercado é muito promissor pelos próximos dez anos, pelo menos”, diz Engels. “Como atuamos em esferas diferentes do mercado, temos concorrentes que atuam de maneira diferente da nossa. Podemos dizer que nenhum faz exatamente o que fazemos, atuando por toda a jornada de carreiras digitais.”

Maiores desafios:
“O maior desafio é conseguir, de fato, selecionar candidatos que tenham formação básica em matemática e raciocínio lógico, para poderem participar dos programas de formação em tecnologia. O país tem um déficit muito grave em formação na educação básica. E isso se reflete na formação de profissionais. Uma forma de superar essa dificuldade é atrair também o público que pode se interessar por transição de carreira. Aqueles formados em outras áreas, que desejem migrar para o setor de tecnologia”, afirma o CEO.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Em seis meses.

Visão de futuro:
“Queremos que a iTalents seja uma das principais alternativas de recrutamento e seleção na área de tecnologia no Brasil em até dois anos. Pretendemos construir o maior banco de talentos de TI do país. O grupo pretende também ter uma participação relevante no mercado europeu, a partir de um braço operacional em Portugal”, conta o Engels.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

158 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: