APRESENTA
APRESENTA

Já provou picanha ou short rib de suíno? A Seara revela como trouxe cortes inovadores e mais suculentos na Linhagem Europeia

Bruna Fontes - 3 nov 2021
A pancetta recheada é uma das atrações da Linhagem Europeia da Seara Gourmet
Bruna Fontes - 3 nov 2021
COMPARTILHE

A carne suína é a proteína animal mais consumida no mundo. No Brasil, ela é menos popular: fica em terceiro lugar, atrás do frango e da carne bovina. Mas seu consumo vem crescendo, e chegou ao recorde de 17,6 kg por pessoa em 2021, segundo a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCA).

“Nos mercados mais maduros, cada habitante consome até 40 kg de carne suína por ano. O consumo aqui ainda é baixo, mas existe espaço para expansão. E poucas categorias estão crescendo tanto quanto a dos suínos”, contextualiza Eduardo Yazbek, gerente de produto da Seara.

Para embalar nessa tendência de expansão, a Seara abraçou um novo desafio: o de trazer novos consumidores para essa categoria. A proposta para surpreender e oferecer uma experiência gourmet foi entregar aos consumidores uma carne suína mais macia, suculenta e saborosa do que todas as outras que estão no mercado.

“O suíno brasileiro foi ficando cada vez mais magro e com a gordura concentrada perto da pele, por isso a carne pode não ficar tão suculenta ao assar”, explica Márcio Polazzo, gerente regional de agropecuária da Seara.

“Queríamos ter uma carne suína com mais gordura no tecido muscular. Então fomos buscar nas nossas casas genéticas quais linhagens nos trariam essas qualidades.”

“A linhagem europeia da Seara entrega uma carne com mais marmoreio, ou seja, existe mais gordura entre os músculos do suíno, conferindo uma melhor qualidade de carne e oferecendo uma experiência superior aos consumidores”, explica Cicero Tecchio, especialista em produção de suínos da Seara.

Prime rib e assado de tira? Tem também!

Os novos suínos, então, foram cuidados e testados por produtores selecionados da região de Carambeí, no Paraná. Para que eles tivessem o nível ideal de gordura, o time de agropecuária desenvolveu uma nutrição especial e realizou diversos testes para analisar a qualidade da carne em termos de marmoreio, textura  e coloração.

Quando a carne dos animais da Linhagem Europeia ficou “no ponto”, o passo seguinte foi definir os cortes que chegariam ao mercado. “Faltavam cortes mais elaborados, então pensamos em fazer diferente”, explica Diogo Luiz Martello, coordenador de pesquisa e desenvolvimento da Seara.

“Optamos por cortes menores e mais artesanais, para os apreciadores de churrasco que buscam uma experiência superior ou para uma refeição especial no dia a dia.”

Alguns cortes foram escolhidos por já serem consagrados na categoria de suínos, como a costela, a panceta, a picanha e o filé mignon. Outros foram inspirados em cortes de carne bovina, entre eles o assado de tiras, o prime rib e o short rib.

Com tudo pronto, os produtos da Linhagem Europeia chegaram ao mercado em junho de 2021, com QR Code na embalagem para os chefs de casa inovarem com as receitas criadas especialmente para esses novos cortes suínos. “Trouxemos uma linha diferenciada para surpreender. Na pandemia, quem não pôde ir ao restaurante trouxe a experiência gourmet para dentro de casa”, completa Eduardo Yazbek.

Quer saber mais sobre como essa nova linhagem chegou do campo à mesa dos brasileiros? A Seara conta o passo a passo do desenvolvimento da Linhagem Europeia no infográfico a seguir.

Siga a Seara nas redes sociais: @searabrasil.

 

 

 

 

 

 

 

819 Total Views 2 Views Today
APRESENTA
COMPARTILHE
APRESENTA

Confira Também: