Seleção Draft – Como escalar melhor

Luisa Migueres - 28 nov 2016
Ajustar um produto que atende muitos clientes é mais escalável. (Imagem: Raúl A.- Flickr/ Reprodução
Luisa Migueres - 28 nov 2016
COMPARTILHE

Como escalar melhor
Segundo Alari Aho, fundador da Toggl (plataforma que analisa o tempo que os usuários gastam com suas tarefas diárias), um negócio é muito mais escalável quando ele tem um só produto — ou seja, uma solução que não precisa começar do zero a cada cliente, e que apenas se adapta a cada um deles. O básico para que esse produto tenha potencial é ter não só um bom modelo de negócio por trás, mas que você saiba quais são os fundamentos dele. Aho também diz:

“Lembre-se de que no início você tem uma noção vaga do seu produto, mercado e de como vai vendê-lo. Encare seu primeiro ano como um aprendizado”

Leia mais no texto publicado no Medium.

 

Recupere-se de um tombo
É raro encontrar um empreendedor sem uma história de fracasso na sua trajetória (está aí a FailCon para provar). Mas o passo seguinte, segundo o escritor Deep Patel, é o que realmente determina o seu aprendizado. No Entrepreneur, ele diz que a aceitação é a primeira regra, isso inclui ser honesto consigo mesmo para descobrir o que deu errado e assumir a responsabilidade. Depois disso, fica mais fácil rever as suas abordagens, o seu medo de errar diminui e a você ganha mais “resistência”. Leia mais no link acima.

 

O machine learning é pra quem?
Para uma empresa descobrir se pode ser beneficiada pela inteligência artificial, Anastassia Fedyk diz, em seu texto no Harvard Business Review, que elas precisam saber seus problemas são de automação ou aprendizado. Por isso, as startups que oferecem serviços de machine learning devem questionar essas empresas a respeito, além de avaliar se as informações que elas fornecem são suficientes. Leia mais no link acima.

 

Prêmio Brasil Criativo
A segunda edição do Prêmio Brasil Criativo, promovido pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, 3M e ProjectHub, acontece no dia 15 de dezembro. O evento, criado para o reconhecer e desenvolver a economia criativa brasileira, tem 22 categorias, incluindo moda, games, museus, artesanato e arte digital. A votação popular fica aberta por aqui até o dia 3.

668 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: