Seleção Draft – Investimento

Kaluan Bernardo - 18 mar 2015
Muitos empreendedores começam seus negócios com o próprio dinheiro. (Imagem: Tumblr/Reprodução).
Kaluan Bernardo - 18 mar 2015
COMPARTILHE

O mito dos investimentos milionários
Quando alguém começa a ler sobre negócios e startups, é normal sair por aí pensando que o único jeito de criar uma empresa inovadora é conversar com fundos de investimento, pegar um cheque milionário e crescer rapidamente. Esse é uma alternativa realmente interessante, mas está longe de ser a única, ou mesmo a principal – mesmo nos EUA.

O Washington Post repercutiu uma pesquisa da Kauffman Foundation mostrando que, na verdade, a maioria das startups gringas contam com o dinheiro que os empreendedores guardaram ou com financiamento de bancos. A discussão ecoou em um grupo de startups brasileiras, onde muitos fundadores dizem que a realidade nacional segue por um caminho mais ou menos semelhante. A moral da história é que grandes investimentos não necessariamente significam grandes sucessos. E, se você não conseguiu o aporte para sua startup, tudo bem – há muitos outros caminhos. Vale ler e refletir.

 

Pirataria simples e fácil
Desde que surgiu, no ano passado, o Popcorn Time tem incomodado muita gente em Hollywood. O serviço, apelidado de “Netflix da pirataria”, basicamente oferece milhares de filmes e seriados por streaming. É tão fácil, tão intuitivo e tem um catálogo tão grande, que muita gente está abrindo mão do serviços oficiais (e pagos).

Pressionados por Hollywood, os desenvolvedores do Popcorm Time original desistiram do projeto. Mas, como o código era aberto, outros desenvolvedores, anônimos, recriaram o serviço e o colocaram de volta no ar, perpetuando a ideia de que a pirataria é como uma hidra: você corta uma cabeça e surgem duas em seu lugar. A Wired conseguiu entrevistar algumas pessoas por trás do projeto, que está mudando o cinema e a pirataria, em uma reportagem bem interessante.

 

Impressão 3D líquida
A impressão tridimensional é uma das invenções tecnológicas com mais potencial que existem por aí – principalmente para o pessoal do movimento maker. A ideia de conseguir imprimir qualquer coisa em sua casa traz um grande universo de possibilidades. No entanto, um dos principais problemas desta tecnologia hoje é que ela é muito lenta!

Mas, agora, semana a Carbon 3D, empresa focada no segmento, apareceu com uma nova técnica, chamada Continuous Liquid Interface Production (CLIP), que utiliza um material líquido e molda o objeto com lasers e oxigênio. Com isso, eles conseguem imprimir algo até 25 vezes mais rápido do que uma impressora atual. E isso muda muita coisa no mundo da impressão 3D, que acaba de ficar um passo mais perto de nós.

 

Google quer seu site mobile
O Google lançou uma nova campanha para empreendedores brasileiros: a #MobileMadness. Ela faz parte dos esforços da companhia para convencer empresas a terem sites responsivos ao mobile. Nas últimas semanas, inclusive, eles alteraram seu algoritmo de busca dando muito mais destaques as páginas otimizadas para smartphones nos resultados do “search”. Para ajudar as pessoas a arrumarem os sites, na próxima semana farão uma série de Hangouts e ações com informações úteis. Confira mais informações no link acima.

993 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: