Seleção Draft – Pós-startup

Kaluan Bernardo - 19 ago 2015
Como funciona o mundo depois das startupa? (Imagem: softwarelivre/reprodução).
COMPARTILHE

O mundo pós-startup
Os pilares que ditavam o mundo das startups há uns anos estão mudando. Ter um negócio digital hoje já não é nada parecido com o que era apenas há dez ou cinco anos. O ReadWrite publicou um texto bacana sobre o assunto dizendo que hoje, mais do que nunca, a equipe não precisa estar próxima geograficamente, a propriedade intelectual já não tem mais tanto valor, o Vale do Silício já não monopoliza a inovação ao redor do mundo e que métodos como Agile e conceitos como funil de vendas já não valem tanto. Confira no link acima.


A evolução do Design Thinking
O design tornou-se o centro da cultura de muitas empresas. Muito além da concepção limitada a artes gráficas, o conceito se tornou uma forma de pensar e projetar soluções em todos os níveis. É aí que surge o Design Thinking como metodologia para inovação e resolução de desafios. Quando o pensamento de uma companhia é orientado pelo design, o modo de desenvolver coisas muda. A Harvard Business Review escreveu sobre todas essas mudanças no link acima. Vale muito para entender como surgiu e como se transformou o Design Thinking.

 

A controversa cultura de trabalho da Amazon
Essa semana, o The New York Times publicou uma longa reportagem acusando a Amazon de promover uma opressora e forçada cultura empresarial, onde funcionários basicamente abdicam de suas vidas pessoais para se dedicar ao trabalho. No entanto, diversos funcionários e o próprio CEO da companhia, Jeff Bezos, negaram as afirmações na reportagem. A Vox fez uma análise bacana, mostrando que ninguém mentiu: tudo varia de acordo com sua visão de trabalho e competitividade. O Mashable também falou sobre a mentalidade dos empregados de grandes empresas de tecnologia para explicar como funciona o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho em companhias como Amazon, Google e Netflix, leia aqui.

 

Mesha Lab quer compartilhar conhecimentos empreendedores
O Mesha Lab nasceu de diversos empreendedores que se juntaram para compartilhar conhecimento. Entre os dias 28 de setembro e 5 de dezembro, eles organizarão, em Minas Gerais um curso que aborda pensamento sistêmico, visão holística, colaboração e interdisciplinaridade. Serão 102 horas de conteúdo, com nomes como Dudu Obregon (Perestroika), André Maciel (Impact Hub), Ana Barroso (Visual Sense Marketing), Clara Teixeira (Be Flower) e André Barrence (Geekie). Segundo os organizadores, há apenas 30 vagas e 100 inscritos. A inscrição, no entanto, não garante a participação, pois os interessados serão selecionados para que os participantes sejam um grupo heterogêneo o bastante para contribuir para a qualidade da experiência, com pessoas de perfis complementares. Ainda dá para entrar. Veja mais no link acima.

 

883 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: