Um negócio que nasce da dura rotina da readaptação física. Conheça a Lado B.

Dariene Rodrigues - 8 maio 2015
Linha de roupas desenvolveu itens e manequins especiais para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida
Dariene Rodrigues - 8 maio 2015
COMPARTILHE

 

“Há 15 anos, acompanho de perto as dificuldades na rotina de um deficiente físico. Na carreira de fisioterapeuta, já atendi pessoas com as mais diversas limitações em hospitais, casas de repouso e ONGs.

Quando se fala em garantir conforto e direitos a quem tem deficiência, aprendi que se deve pensar da maneira mais abrangente possível. Atender necessidades não se restringe a construir rampas para cadeirantes.

A inclusão depende de um conjunto de ações para essas pessoas se sentirem, de fato, integradas. Isso significa, além de acessibilidade e tratamentos adequados, possibilitar que elas façam as próprias escolhas: onde ir, quando ir e — por que não? — com qual roupa ir.

A fisioterapeuta Dariene aposta em adaptações que aumentem o conforto e a qualidade de vida

A fisioterapeuta Dariene aposta em adaptações que aumentam o conforto e a qualidade de vida

Por ser tão importante e presente em nosso dia a dia, a moda deve ser democratizada e humanizada. No caso de deficientes físicos e pessoas com mobilidade reduzida, é preciso observar aspectos como a ergonomia, mobilidade e a funcionalidade das peças.

Em 2011, comecei a pensar em moda inclusiva, também chamada de adaptada. Projetei um modelo de calça jeans com aberturas estratégicas e fechos em velcro e, em meados daquele ano, abrimos a loja virtual Lado B Moda Inclusiva. Hoje a coleção inclui bermudas e camisetas, além dos recém-lançados manequins e de uma linha de etiquetas em braile que podem ser usadas por outras marcas.

Estamos investindo em pesquisas e protótipos desde desde o lançamento da marca e ainda não obtivemos todo o retorno financeiro. Para o futuro, penso em parcerias com lojas de departamentos e num espaço de show room acessível e com atendimento especializado.

A maior gratificação por esse trabalho costuma chegar por telefone ou e-mail. É maravilhoso ouvir um agradecimento de quem há muito tempo não sabia o que era usar uma roupa confortável e adaptada às necessidades mais básicas. Facilitar a rotina dessas pessoas e de seus cuidadoras significa promover qualidade de vida.”

 

Dariene Rodrigues, 37 anos, fisioterapeuta, vive em Sorocaba (SP)

 

Esta matéria, e muitas outras conversas de marca da Natura, podem ser encontradas na Sala de Bem-Estar, no Rede Natura. Seja bem-vindo!

Envie a sua história para a gente. A Natura quer conhecê-la. A Natura quer publicá-la.

 

875 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: