A Makers desenvolve lideranças e marcas através da educação e da troca de experiências

Dani Rosolen - 26 jul 2022 Dani Rosolen - 26 jul 2022
COMPARTILHE

Nome:
Makers.

O que faz:
É uma edtech que conecta empresas de diferentes portes e setores a líderes de comunicação e inovação para potencializar o aprendizado e o desenvolvimento das pessoas através da educação e de trocas de experiências.

Que problema resolve:
Ajuda a desenvolver as lideranças do futuro com uma metodologia ágil, imersões e jornadas exclusivas pensadas para potencializar o aprendizado e desenvolvimento de soft skills.

O que a torna especial:
Além da Makers Community, comunidade em que CMOS do país trocam insights, a startup abriu duas novas unidades de negócio. A Makers Open Minds, para ajudar empresas a solucionarem mais rapidamente problemas complexos através dedicas e conselhos de outras organizações que já superaram os mesmos desafios. O Makers Academy, por sua vez, oferece cursos com sprints rápidos e personalizados para empresas que buscam se desenvolver e equalizar o conhecimento sobre temas atuais e necessários para profissionais que ocupam posições de liderança.

Modelo de negócio:
A Makers tem três modelos de negócio. O “With Companies”, contratos anuais de parcerias estratégicas focadas em apoiar os patrocinadores em seus desafios ao longo de um ano por meio das conexões da Makers Community e dos canais próprios de comunicação. O segundo é o “In Company”, com o produto Open Minds, método que consiste em um encontro pontual de poucas horas, em que líderes que já superaram desafios semelhantes aos enfrentados por quem contrata e makers ajudam a solucionar problemas complexos de negócio. E o terceiro é o “For Company”, com a plataforma de ensino B2B, a Makers Academy, que oferece cursos de formação das futuras lideranças.

Fundação:
Agosto de 2019.

Sócio:
Thiego Goularte Fundador

Fundador:

Thiego Goularte 31 anos, São Bernardo do Campo (SP) é formado em Publicidade pela Universidade Metodista de São Paulo, com MBA executivo em Administração de Empresas pela HSM University. Foi Monetization Director na Rappi e tem passagens também por empresas como World Trade Center, grupo WPP, IT Mídia e a produtora de conteúdo crossmedia de varejo Arizona. É vice-presidente da Zubale.

Como surgiu:
A startup nasceu como uma comunidade fechada em 2018, a Makers Community, que hoje reúne 90 CMOs brasileiros espalhados em quatro continentes e funciona como um termômetro do mercado e um fio condutor para conexões genuínas, aprendizado contínuo e troca de ideias sobre o futuro do mercado. “A soma do conhecimento intangível dos membros da comunidade com o propósito genuíno da startup resulta em ações reais de transformação de profissionais e do mercado”, diz Thiego. Na pandemia, a comunidade se tornou um ecossistema de negócios por meio da criação da plataforma de ensino na nuvem que conecta marcas e especialistas de marketing e inovação.

Estágio atual:
A Makers é uma startup em early stage e atua no modelo “Work From Anywhere”. “Temos uma equipe na índia que nos suporta com tecnologia, um designer em Fortaleza, que nos ajuda com toda a visão criativa, e assim vamos formando nosso time de craques”, diz Thiego. Entre os clientes já atendidos pela Makers estão empresas como Capgemini, IBM, Gol, Localiza, Mediabrands e Salesforce.

Aceleração:
Busca uma aceleração, “mas em VC que tenha pensamento de longo prazo”.

Investimento recebido:
Não teve, já que começou como uma comunidade de CMOs.

Necessidade de investimento:
“Hoje nossa necessidade de investimento se dá na escalabilidade do negócio para o alcance de mais clientes, principalmente, no Academy por ser uma plataforma SaaS para o mercado B2B”, comenta o fundador.

Mercado e concorrentes:
“Olhamos o nosso mercado com muito otimismo. Primeiro, por ajudarmos grandes empresas a saírem da zona de conforto e pensar de formas diferentes para resolver seus mais diferentes problemas. Hoje, temos ajudado grandes marcas a ganhar tempo. Além disso, estamos entregando ao mercado profissionais mais preparados para o futuro. Nosso braço acadêmico foi desenhado por especialistas e pela escuta ativa das principais habilidades que líderes sentem falta em suas equipes”, diz Thiego. “Não temos um concorrente direto, mas nos inspiramos em empresas como a Mesa e em modelos acadêmicos como o G4 Educação.”

Maiores desafios:
“Nosso desafio é levar ao mercado uma proposta de que grandes líderes que guiam o futuro e as importantes decisões de grandes marcas, por vezes, são solitários. E que na Makers, em cada uma das nossas verticais, entregamos valor solucionando a solidão corporativa, através de troca de conhecimento, relacionamento e negócios. E, como toda startup, disruptar um modelo tradicional é por si só um grande desafio”, afirma o fundador.

Faturamento:
1 milhão de reais em 2021.

Previsão de break-even:
“Temos um ebitda positivo desde o primeiro dia. Nosso modelo é extremamente rentável e saudável.”

Visão de futuro:
“Queremos conectar pessoas e marcas, ajudá-las a evoluir e trazer uma visão de futuro que o mercado não possui. Nosso ecossistema é um flywheel perfeito e que auxiliará grandes marcas a serem maiores e melhores para o mundo.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

709 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: