A Octágora é a primeira empresa brasileira a trabalhar com a assistência visual remota

Dani Rosolen - 7 fev 2023 Dani Rosolen - 7 fev 2023
COMPARTILHE

Nome:
Octágora.

O que faz:
É uma empresa de assistência visual remota que, combinando recursos audiovisuais, inteligência artificial e um sistema de gestão de atendimento, auxilia empresas na transformação de seus processos para a realidade remote first, cada vez mais digital, autônoma e menos presencial.

Que problema resolve:
Resolve o problema das visitas técnicas improdutivas e a falta de digitalização das empresas.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a Octágora é a primeira empresa brasileira a trabalhar com a assistência visual remota, por vídeo, prezando sempre por um atendimento personalizado aos clientes, desde o início da parceria com o mapeamento dos processos da empresa e análise dos fluxos de atendimento até o treinamento e capacitação da equipe na ferramenta. 

Modelo de negócio:
A Octágora atua nos modelos SaaS.

Fundação:
Fevereiro de 2020.

Sócios:
Marcelo Izumi — Cofundador e Diretor de Negócios
Daniel Vidal Cussi — Cofundador e CTO
Celso Rosa — Cofundador e Atendimento e Suporte

Fundadores:

Marcelo Izumi — 41 anos, São Bernardo do Campo (SP) — é formado em Comunicação Mercadológica com ênfase em Promoção de Vendas e Merchandising pela Unicamp e pós-graduado em Administração de Empresas pela FGV/EBAPE. Empreendeu na área de consultoria para health techs após uma carreira executiva em empresas de tecnologia e serviços voltados para o mercado farmacêutico e saúde. Passou por empresas como Vidalink do Brasil, ePharma, AzimuteMed, Funcional Health Tech, entre outras. 

Daniel Vidal Cussi — 41 anos, São Bernardo do Campo (SP) — é formado em Tecnologia pela Universidade São Judas Tadeu, pós-graduado em Engenharia de Software, com MBA em Gestão Empresarial. Foi professor por oito anos na FIA e CTO da Protagonizo, que fazia a ponte entre o RH de grandes empresas e profissionais negros, atendendo mais de 56 empresas e contando com apoiadores como Human Rights Watch, JP Morgan, Google e Facebook.

Celso Ricardo Rosa 44 anos, São Caetano do Sul (SP) é formado em Tecnologia pelo IMES. Foi sócio da Decode, software especializada em desenvolvimento de sistemas complexos para startups e PMEs.

Como surgiu:
Daniel e Celso trabalharam juntos por mais de dez anos e viviam diariamente as dores de uma central de atendimento. Decidiram pensar em novas formas para melhorar a experiência e satisfação dos clientes. Eles chamaram para essa conversa Marcelo Izumi, executivo experiente na área comercial e apaixonado por inovação e tecnologia. Dessa troca de vivências e da vontade de melhorar a experiência do cliente através de uma solução tecnológica e de fácil acesso, nasceu a Octágora.

Estágio atual:
Os colaboradores da Octágora trabalham remotamente e estão em diferentes cidades do Brasil. A empresa já atendeu 20 clientes. 

Aceleração:
A Octágora passou pela Plug and Play, maior aceleradora de startups do Vale do Silício, InovAtiva Brasil (Ciclo 2021.2), Batch# 11 da Oxigênio (programa de aceleração da Porto), Batch#20 da WOW Aceleradora, IndTech Lab 4.0 (programa de aceleração do Parque Tecnológico de Sorocaba em parceria com o Sebrae for Startups e Capital Empreendedor – Sebrae).

Investimento recebido:
A startup recebeu cerca de 128 mil dólares da Domo Invest, Criabiz Ventures e WOW Aceleradora.

Necessidade de investimento:
Busca captar novos aportes no segundo semestre de 2023.

Mercado e concorrentes:
“Com a realidade remote first, enxergamos muitas possibilidades para a assistência visual remota. A ferramenta pode ser utilizada em diversos setores, entre eles telecom, construção civil e seguros, e para diversas finalidades, como atendimento ao cliente, auditorias, inspeções e até mesmo na área de vendas. A nova lei do SAC trouxe a necessidade de um atendimento obrigatoriamente inclusivo para fornecedores dos serviços regulados pelo Poder Executivo Federal, criando uma vertical para o atendimento em Libras. Já estamos atendendo instituições financeiras que precisaram se adequar à nova lei e acreditamos que essa será uma ótima oportunidade de crescimento”, afirma Marcelo.  “Nossos principais concorrentes diretos são internacionais: Techsee e SightCall. Como concorrentes indiretos temos as ferramentas mais populares de conversa por vídeo, como WhatsApp e Skype.

Maiores desafios:
O maior desafio, de acordo com o empreendedor, é a criação de mercado com uma inovação tecnológica.

Faturamento:
700 mil reais (em 2022).

Previsão de break-even:
2023.

Visão de futuro:
“Ser referência em soluções de atendimento virtual e autoatendimento interativo com uso de Inteligência Artificial” conta Marcelo.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

635 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: