A Serena ajuda a tratar e prevenir doenças crônicas com base na Medicina do Estilo de Vida

Dani Rosolen - 29 abr 2021
COMPARTILHE

Nome:
Serena.

O que faz:
É um clube de assinatura de saúde baseado na Medicina do Estilo de Vida, uma abordagem que nasceu na Califórnia, em Loma Linda, e trata doenças crônicas por meio de ajustes no estilo de vida dos pacientes. Por meio de uma equipe interdisciplinar, tecnologia e metodologia próprias, a plataforma desenha uma jornada personalizada para o acompanhamento da saúde do usuário.

Que problema resolve:
Resolve a questão do acesso à medicina personalizada, com foco na reversão e prevenção de condições crônicas que poderiam ser evitadas com ajustes no estilo de vida da população.

O que a torna especial:
Segundo as fundadoras, o que torna a Serena especial é a centralização de dados, o acompanhamento e análise do histórico e evolução do membro na plataforma, uma equipe médica interdisciplinar, a metodologia própria de anamnese, o plano de tratamento e a criação de novos hábitos para os membros.

Modelo de negócio:
Opera como um clube de assinatura com receita recorrente. A permanência mínima é de seis meses, com planos a partir de 249 reais mensais para uma pessoa.

Fundação:
Novembro de 2020.

Sócias:
Giovanna Zattar CEO
Tuly Iavorsky COO

Fundadoras:

Giovanna Zattar — 25 anos, Joinville (SC) — é formada em Administração de Empresas pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Teve passagem pelo Movimento Empresa Júnior (MEJ)  e trabalhou quatro anos na Endeavor.

Tuly Iavorsky — 30 anos, Joinville (SC) — é formada em Economia pela Universidade da Região de Joinville. Trabalhou no The Boston Consulting Group e na Endeavor.

Como surgiu:
As duas sócias se conheceram em São Paulo, em 2018, ao trabalharem juntas na Endeavor. Em 2019, com uma amizade já estabelecida, elas foram descobrindo hábitos em comum ligados a um estilo de vida saudável. Ao se aprofundaram em meditação e práticas integrativas complementares, entenderam a necessidade de um sistema que foque na saúde como um estilo de vida e a importância da união da saúde mental, espiritual e física como uma coisa só. Em novembro de 2019, já decididas a empreender, elas descobriram a Lifestyle Medicine. Quando a pandemia chegou, perceberam que seria o momento ideal para começar a pesquisar e desenvolver o MVP do negócio, lançado em novembro de 2020.

Estágio atual:
A Serena tem 30 usuários ativos e uma equipe de especialistas parceiros em áreas como cardiologia, ginecologia, homeopatia, nutrologia e medicina do esporte, terapias integrativas, medicina tradicional chinesa, gastroenterologia, oftalmologia, entre outras.

Aceleração:
A startup participou do programa Female Force (da Maya Capital) e foi aprovada no MIDITEC (SC).

Investimento recebido:
As sócias investiram cerca de 62 mil reais no negócio.

Necessidade de investimento:
Não buscam aporte no momento.

Mercado e concorrentes:
“Esse mercado cresce tanto por uma demanda do consumidor quanto do próprio atual modelo de saúde ocidental: arcaico e reativo. A Covid-19 já mostrou que o sistema é insustentável quando temos um surto de pessoas precisando de um cuidado emergencial. Além disso, a economia só tem a sofrer com uma sociedade cada vez mais doente — e aqui entram as doenças que mais causam mortes no mundo, e que não existiriam em tais proporções se houvesse um investimento e incentivo maior à prevenção. Indo além, há todo o sofrimento que surge em famílias por terem que investir tanto recurso de tempo, financeiro e emocional no tratamento de doenças crônicas”, diz Giovanna. Sobre concorrentes, ela afirma: “No meio digital, não temos nenhum concorrente direto. Existem marketplaces de telemedicina que trabalham com a compra pontual de consulta. Na Serena, nós trabalhamos com jornada personalizada e com uma equipe interdisciplinar. No mundo físico, talvez a Serena concorra com algumas clínicas de medicina integrativa”.

Maiores desafios:
“O maior desafio está ligado à dor de crescimento. A Serena possui uma proposta de disruptar o mercado vigente e, com isso, inúmeros desafios surgem, começando pela mudança de consciência do público consumidor, sendo esse o mais profundo. Além disso, podemos listar marketing e vendas como outros desafios.”

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Não informado.

Visão de futuro:
“Enxergamos a Medicina do Estilo de Vida como um caminho sem volta. Somado à essa abordagem, há também a grande necessidade por tecnologia, centralização de dados e inovação em processos, que também são as propostas da Serena. Nascemos 100% digitais e, por isso, há muito mercado para explorar no Brasil, de Norte a Sul. Entendemos que a Serena pode atender qualquer cidade do Brasil onde o nosso público-alvo viva.”

Site
Contato

 

802 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: