Com a Lilu, não é preciso levar seu animal de estimação a um petshop para tomar banho ou tosar

Dani Rosolen - 26 Maio 2020
COMPARTILHE

Nome:
Lilu.

O que faz:
É um app que conecta prestadores de serviços de banho e tosa em domicílio a tutores e seus pets na cidade de São Paulo.

Que problema resolve:
Resolve a baixa praticidade do mercado atual (falta de tempo para agendar serviços pet, deslocamento e pagamento) e o desconforto para o pet (exposição à doenças e processo não-humanizado).

O que a torna especial:
De acordo com a fundadora, com o app da Lilu, o cliente poupa tempo, pois todo o processo é feito em casa e o pet não precisa mais passar por deslocamento e estresse.

Modelo de negócio:
A Lilu lucra com a intermediação do serviço pelo app.

Fundação:
Abril de 2018.

Sócios:
Aline Lefol — CEO e fundadora
Elemara Temporim — COO
Paulo César Abrantes — CTO
Philippo Chies — CMO e UX

Fundadora:

Aline Lefol — 35 anos, Lavras (MG) — é doutora em Química pela UCLA, com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Atuou como gerente de Negócios da CNI e como coordenadora de contratos da Odebrecht.

Como surgiu:
A Lilu surgiu das dificuldades enfrentadas por Aline, que sempre se frustrava ao tentar contratar serviços de banho e tosa. Para ela, durante a semana era muito difícil cumprir essa tarefa e, aos sábados, achava o programa de ir até uma loja física “muito chato”. Ela ainda diz que quando ia a um pet shop nunca encontrava horário, pois a agenda estava lotada pelos clientes “fidelidade” do bairro. A empreendedora afirma que morou em várias capitais do país e em todas elas o problema se repetia. Lançou o app em Salvador em abril de 2018 no bairro onde morava. A solução foi bem aceita pelos moradores, o que deu força para se mudar para São Paulo e implantar a solução na capital paulista.

Estágio atual:
A Lilu tem mais de 500 usuários cadastrados e já realizou mais de 1 000 atendimentos na capital paulista.

Aceleração:
A startup participou do Programa STARTUP SP, do Sebrae, sendo vencedora do 1º lugar na cidade de São Paulo e do 2º lugar no Estado de São Paulo.

Investimento recebido:
A fundadora aportou 100 mil reais na startup.

Necessidade de investimento:
Busca 1 milhão de reais para expandir a operação.

Mercado e concorrentes:
“O mercado pet movimentou cerca de 25 bilhões de reais em 2018, com crescimento de 7% ao ano (Instituto Pet Brasil). O Brasil é considerado hoje o 2º maior mercado pet do mundo. Dos 25 bilhões de reais, 4,8 bilhões de reais estão relacionado à prestação de serviços pet, dos quais 3 bilhões de reais representam o potencial mercado da Lilu, segundo pesquisa de mercado feita com mais de 100 respondentes.” Aline cita entre os concorrentes lojas físicas e profissionais autônomos.

Maiores desafios:
“Os maiores desafios atuais são conseguir capitação de investidores para dominar o mercado e aplicar ações de marketing de grande impacto e melhorias em termos de tecnologia”, afirma a CEO.

Faturamento:
30 mil reiais (em 2019) e meta de 100 mil reais para 2020.

Previsão de break-even:
Nos próximos dois anos.

Visão de futuro:
“Dominar o mercado de São Paulo nos próximos dois anos e internacionalizar a solução nos próximos cinco anos.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

895 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: