APRESENTA

Como saber quais tendências do mercado servem para o seu negócio?

Rafaela Carvalho - 17 dez 2019
Nessa época do ano, as análises preditivas aparecem com força total, apontando quais serão as próximas tendências no mundo dos negócios. Mas, como saber o que realmente funciona para o seu público?
COMPARTILHE

Chegamos ao último mês do ano! É época de fechar balanços e concluir o planejamento financeiro do ano novo. Também é o período em que se concentra a divulgação das análises preditivas que apontam as tendências no mundo dos negócios. Essas pesquisas apresentam os cenários e as propensões para o ano, com direcionamentos prováveis das ondas de consumo e comportamento dos consumidores. São, portanto, materiais úteis para ajustar as estratégias de qualquer empreendedor.

Mas, em meio a tantos dados, como saber quais são os caminhos apontados pelos especialistas que funcionam para o seu público? A seguir, vamos te mostrar como identificar as tendências que podem ser aplicadas à sua empresa e também apresentar algumas ferramentas para auxiliar você na hora de adaptar os estudos globais de macrotendências ao seu negócio. Vamos lá?

1. Saiba que tendências não são manuais de instrução

O primeiro passo é compreender que tendências não são um mapa a ser seguido. Elas são, na verdade, uma série de previsões de futuros (assim, no plural mesmo, já que são muitos os cenários e interdependências) que apontam para um horizonte possível e emergente, mas que não é necessariamente definitivo.

Dar atenção a essas pesquisas de mercado é essencial para conhecer oportunidades e saber o que acontece à sua volta, mas é necessário ter prudência para não se apoiar exclusivamente nelas.

Por isso, evite absorver a realidade de cenários coletivos como algo determinante para sua marca.

O melhor caminho é avaliar com equilíbrio as propensões de futuro e extrair delas as melhores possibilidades de inovação, mudanças e, quem sabe, novos produtos ou serviços para o seu negócio. Tudo isso, é claro, lembrando-se de adequar os insights dessas pesquisas à sua realidade de empreendedor em termos de infraestrutura e orçamento.

 

2. Pergunte-se: o que se adequa à minha marca?

Refletir sobre as tendências do mercado é, também, o momento de usar de novo aquela sensibilidade empreendedora que você teve ao criar a seu negócio. De posse das tendências e conhecendo o seu público-alvo, é hora de avaliar o que, nessas previsões de futuro, tem relação com a natureza da sua marca.

Lembre-se: a pesquisa não deve ser encarada como regra, mas como oportunidade fazer algo inovador, mas que ainda tenha a sua cara.

Quer um exemplo? Suponhamos que você seja dono de uma pequena editora de livros independentes. Uma tendência mundial traz insights sobre o aumento da leitura em plataformas digitais. Mas, pode ser que o seu público, especificamente, não abra mão do livro físico, em papel, mesmo com toda a facilidade de se transportar e organizar livros digitalmente. Ou seja: melhor não se deixar levar pela ansiedade de querer aderir a qualquer novidade. Além de poder ser muito trabalhoso, isso pode não estar alinhado ao planejamento estratégico da sua marca.

A fórmula para que uma tendência seja bem recebida pelos seus clientes é unir verdade, vontade e potência da sua marca com as necessidades do mundo naquele momento.

 

3. Converse com o seu público

Para aplicar bem aquilo que funciona para os clientes, o melhor caminho é simples: diálogo. Conversar com as pessoas – e mostrar que elas são as verdadeiras protagonistas no sucesso da sua marca – é o melhor jeito de saber o que elas estão pensando e como estão se sentindo.

Pergunte ao seu consumidor sobre preferências, motivações, desejos e receios dele. Observe como ele se comporta e tire dúvidas sobre os hábitos que ele tem. Escute o que as pessoas têm a dizer sobre a sua empresa e seus produtos de forma participativa, sempre pedindo opiniões. Envolva o seu público em seus processos e apresente ideias e novidades enquanto você estiver desenvolvendo cada uma delas (usando o Stories, por exemplo), e não só quando elas estiverem prontas.

Outra maneira fácil de começar conversas é criando uma enquete no Facebook para colher sugestões do seu público. Se as pesquisas de tendências mostram um aumento da procura por alimentos mais saudáveis, por exemplo, talvez seja o caso de você apresentar algumas opções de novos pratos para incluir no cardápio do seu restaurante e descobrir rapidamente a preferência da clientela. Isso também vale para o seu planejamento de estoque: conhecendo as demandas e preferências das pessoas, você pode ter produtos em maior ou menor quantidade à disposição, evitando encalhe e prejuízo.

Outra possibilidade é criar um evento em sua loja, convidando os clientes para retirarem uma amostra grátis ou, quem sabe, experimentar um lançamento. Assim você pode aproveitar o momento para observar comportamentos e fazer entrevistas cara a cara.

 

4. Faça testes

Uma vez coletadas as informações sobre as preferências e os interesses dos seus clientes chegou a hora de fazer testes – e perder o medo de errar. Afinal, testar faz parte do universo da pesquisa. Você está descobrindo o que funciona melhor, e ter resultados com maior ou menor envolvimento do seu público poderá te dar um bom direcionamento para suas próximas ações no Facebook e no Instagram, por exemplo.

Com a leitura dos movimentos socioculturais e avaliando as características de identidade da sua marca, você chegará aos melhores planos estratégicos e táticos para a implementação de tendências.

Testar vai permitir que você confirme o que melhor se aplica à sua audiência, e isso pode ser construído com base nas demandas reais do mercado e não apenas em suposições estatísticas. Se você identificar alguma tendência que esteja alinhada aos interesses do seu público e pareça uma oportunidade para o seu negócio, faça um planejamento para saber a viabilidade desse produto ou serviço (vide a dica 1!).

E lembre-se: coloque a experiência do seu cliente no centro de tudo.

Outra estratégia importante a ser considerada no seu plano de Comunicação e Marketing é um recurso conhecido como teste A/B (um teste que compara duas variáveis: A e B). Na hora de criar uma campanha de anúncios, por exemplo, você pode testar versões diferentes para saber qual funciona melhor com seu público. Uma maneira de fazer isso é disponibilizar variações entre anúncios com imagens ou com vídeos, para comparar o desempenho das versões e escolher a mais adequada. Assim você não fica na dúvida e garante mais sucesso em campanhas futuras, divulgando o que já foi testado e aprovado pelo seu cliente (ou seja: o que dá resultado!).

Em geral, pequenos e médios negócios têm mais facilidade de incorporar inovações com agilidade, avaliando a curva de aprendizado e fazendo revisões rápidas de processos. Então use essa flexibilidade a seu favor!

Consultoria: Mariana Nobre, pesquisadora de futuro, inovação e tendências e fundadora do Atelier do Futuro.

 

O post original desta publicação está aqui. O Facebook Para Empresas quer orientar e empoderar micro, pequenos e médios empreendedores no Brasil. Você pode conhecer mais acessando facebook.com/business, a Página Facebook Para Empresas ou o brand channel do Facebook no site do Draft.

1052 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: