Como uma startup de alimentos para astronautas está tentando ajudar pessoas impactadas pela guerra na Ucrânia

Cecilia Sobral - 18 mar 2022
Cecilia Sobral, fundadora da Space-A.
Cecilia Sobral - 18 mar 2022
COMPARTILHE

Criei a Space-A em 2021, na Antuérpia, Bélgica, onde moro atualmente, como resultado de uma extensa pesquisa de P&D e de mercado, mais a vontade de criar impacto.

Só não esperava que os alimentos, inicialmente desenvolvidos para alimentar astronautas, pudessem ter uma função ainda mais nobre.

O mercado NewSpace está em pleno desenvolvimento. A chegada do capitalismo ao espaço e o casamento entre exploração espacial e rentabilidade empresarial abrem portas para novos nichos de mercado voltados a abastecer os serviços e comunidades siderais

A Space-A é uma empresa de desenvolvimento de alimentos, snacks e sobremesas liofilizados, com a produção feita na Bahia.

A liofilização é um método extremamente sofisticado, que envolve o processamento de alimentos sob alta pressão e baixa temperatura, fazendo com que 98% da água presente nos alimentos seja retirada por sublimação, sem qualquer dano à estrutura celular. Ou seja, o sabor, a cor e todos os nutrientes permanecem intactos.

ALÉM DE SNACKS, CRIAMOS UM SORVETE LIOFILIZADO PARA OS ASTRONAUTAS!

A vantagem é que os produtos liofilizados, se corretamente embalados, podem durar até 30 anos, quando acondicionados em temperatura ambiente. E os produtos da Space-A são 100% naturais, sem qualquer conservante, estabilizante, corante.

Os primeiros itens criados, mixes de frutas tropicais, foram planejados com base em uma ciência chamada food-pairing (ou combinação de alimentos, em tradução livre). São quatro mixes em pequenas embalagens de 20 gramas, com até cinco frutas misturadas, dentre elas abacaxi, manga, açaí e maracujá. Testamos o produto em 18 países e tivemos ampla aceitação.

Já acrescentamos, inclusive, um sorvete liofilizado no nosso portfólio, nos sabores nata, morango e chocolate. E essa, aliás, foi um dos diferenciais para assinarmos o contrato com a Space Adventure, o evento da NASA

O lançamento será em Miami, na Space Adventure, em julho deste ano. Estamos ansiosos! As refeições, que ainda estão em desenvolvimento, são inspiradas nas receitas favoritas dos astronautas das missões espaciais Apollo e Discovery.

A maioria de nós não terá a chance de sair da estratosfera a bordo da SpaceX ou da Blue Origin. A Space-A oferece a experiência de se alimentar como um verdadeiro astronauta!

Já realizamos vendas pontuais, mas agora as transações estão engrenando, de fato. Nosso objetivo é vender os produtos da Space-A para grandes feiras temáticas e redes varejistas.

Estamos em vias de fechar um contrato com uma das maiores redes varejistas do Benelux (bloco econômico formado por Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo) e já analisamos a expansão dos negócios para outros países.

COMO SURGIU A IDEIA DE INVESTIR NO SETOR DE ALIMENTOS PARA MISSÕES ESPACIAIS

Apesar de ser formada em Química Ambiental e especializada em Biofísica, eu trabalhava desde 2014 na área de exportação e importação. Cheguei inclusive a ter uma empresa de monetização de propriedade intelectual nos Estados Unidos, a Ianua Nova – mas essa é outra história.

Quando decidi vir embora para o Brasil, em meio à eleição do Trump e a crise política brasileira, em vez de voltar para minha cidade natal, São Paulo, fui morar no Rio de Janeiro, mas não me adaptei. Então, em 2016, decidi arriscar Florianópolis, onde meu irmão mais novo estava vivendo.

Lá, fundei a EU-BR (Núcleo Euro Brasileiro de Incentivo à Importação). Eu cuidava de exportação e importação, matchmaking, fazia estudos de mercado para empresas de tecnologia e outras organizações, como a Apex e o Sebrae.

E foi depois de produzir um estudo, em 2017, para o Sebrae Paraná sobre alimentos orgânicos que, via networking, recebi o contato de um grupo de empresários da Bélgica, entre eles, o Christian, um advogado aposentado que se tornou o primeiro investidor da Space-A e também um grande amigo.

Esse grupo queria contratar meus serviços para fazer matchmaking de empresas relacionadas a produtos orgânicos certificados no Brasil. Realizei o evento no próprio Sebrae, em Florianópolis, apresentando a esses empresários diferentes produtos neste nicho, entre eles, alimentos liofilizados, fabricados pela fábrica que se tornou fornecedora da Space-A.

Era uma ideia visionária. Aqui, os liofilizados não eram tão conhecidos, mas na época que morei nos Estados Unidos, eu consumia muito esse tipo de produto pela praticidade e facilidade de encontrá-los nas prateleiras dos supermercados

Decidi que precisava investir nesta ideia e o Christian me incentivou a explorar este mercado na Bélgica. Fui conhecer o ecossistema empreendedor belga em 2018 e acabei ficando.

O início não foi fácil. Morei num pequeno quarto na casa de um amigo, pagando apenas uma quantia simbólica.

A princípio, a ideia era vender os alimentos liofilizados como snacks, até investigar melhor esse mercado e perceber, em 2020, que o nicho espacial era uma grande oportunidade e começar a criar relações com a agência espacial da Antuérpia. Mas no meio de tudo isso, teve uma pandemia.

VIVI A PANDEMIA NUM CUBÍCULO, COM MEDO DE ADOECER LONGE DO CUIDADO DA MINHA FAMÍLIA

O primeiro caso de COVID-19 na Bélgica foi confirmado em 4 de fevereiro de 2020.

No final da noite de 12 de março, após uma reunião do Conselho de Segurança Nacional, o governo entrou na fase federal de gestão de crises e ordenou o encerramento das atividades nas escolas, discotecas, cafés e restaurantes; e o cancelamento de todas as reuniões públicas para fins desportivos, culturais ou festivos.

Em 20 de março, a Bélgica fechou todas as suas fronteiras para viagens não essenciais. Foi assustador. Na época, eu morava em um apartamento minúsculo no centro da Antuérpia, num local super movimentado.

O lugar era tão pequeno que eu apelidei carinhosamente minha casa de “a gaiolinha (birdcage)”. Era enlouquecedor estar em quarentena num lugar tão minúsculo

A ideia de contrair COVID estando longe da família era ainda pior. Por isso, sempre respeitei todas as regras, à risca.

Nesta crise, no entanto, acabamos cancelando o envio e a venda de 11 mil toneladas do produto, porque não conseguiríamos realizar a entrega devido ao fechamento das fronteiras…

O LOCKDOW IMPULSIONOU A PROPOSTA DA SPACE-A E TAMBÉM A CORRIDA POR INVESTIMENTO

Por outro lado, a quarentena mostrou a validade da minha proposta.

Foi o cenário perfeito para provar a importância dos alimentos produzidos pela Space-A, dado seu alto valor nutricional, longa vida útil e portabilidade

Com isso em mente, durante o lockdown, usei minha habilidade de networking e entrei em contato com pessoas estratégicas para a estruturação da empresa.

Em julho de 2021, mais de um ano depois do início da pandemia, o primeiro investidor, o Chris, preferiu reduzir as atividades na empresa e aproveitar sua aposentadoria.

Mas através dos contatos de assessores financeiros e investidores que ele me passou, fui em busca de conselhos sobre a criação e financiamento futuro da empresa.

Jeroen Maudens, um business angel belga e consultor financeiro e estratégico, ofereceu-se prontamente para se tornar um investidor da Space-A, em parceria com seu velho amigo Gianni Isella, empresário experiente no espaço digital e de marketing.

Sorte? Eu diria, Cosmos. A Space-A está crescendo e tenho os melhores parceiros para isso acontecer de maneira sólida.

NOSSA STARTUP SE UNIU ÀS NAÇÕES UNIDAS NO COMBATE CONTRA A FOME MUNDIAL

Foi também durante o lockdown que consegui entrar em contato com o CEO do World Food Programme (WFP), o programa alimentar mundial da Organização das Nações Unidas (ONU).

O WFP é a maior agência humanitária do mundo e fornece, em média a cada ano, alimentos a 90 milhões de pessoas (incluindo 58 milhões de crianças) em 80 países.

O programa venceu o Prêmio Nobel da Paz em 2020 “pela sua contribuição para melhorar as condições de paz em áreas afetadas por conflitos e por atuar como uma força motriz nos esforços para prevenir a utilização da fome como arma de guerra e conflito”.

Não foi difícil perceber que a Space-A poderia contribuir com essa luta.

Passamos a colaborar com o WFP com a doação de alimentos e incorporamos isso no nosso business

Nosso modelo de negócio funciona assim: quando um cliente compra um produto da Space-A, nos responsabilizamos por doar o mesmo para áreas de vulnerabilidade alimentar, em parceria com a WFP.

Quando decidi empreender, sempre tive como objetivo claro criar uma empresa ética. Para contribuir com esta causa, não só são utilizados métodos de produção limpos e comércio justo com os fornecedores, mas a Space-A é Carbon Neutral e está em vias de ser Zero-Waste.

A GUERRA NA UCRÂNIA NOS MOTIVOU A CRIAR UM PROJETO DE AJUDA HUMANITÁRIA

No fim da primeira semana, enquanto nenhum de nós poderia imaginar quais proporções o conflito entre Rússia e Ucrânia ganharia, um colega belga me recomendou a uma pessoa na Ucrânia como fornecedora de alimentos liofilizados.

A Space-A ainda é uma startup. Não temos budget para doações. Mas o DNA solidário da empresa falou mais alto.

Depois de alguns cálculos e conversas com os investidores, decidimos doar uma tonelada e meia de alimentos, o equivalente a 5 mil refeições de emergência, para a @frente_brazucra na Polônia. A carga saiu da fábrica na Bahia na quinta-feira (17) e esperamos que semana que vem esteja com quem precisa 

As refeições são compostas por uma mistura de ingredientes de alta qualidade, como batata-doce e frango, cuja combinação proporciona o equilíbrio otimizado de nutrição, calorias, vitaminas e minerais, proteínas e gorduras.

São porções leves e compactas, de 30 gramas, que equivalem a até 150g de alimentos preparados. Isso é exatamente o que é necessário numa situação de emergência.

Assim nasceu a campanha Space-Aid, que agora conta com um projeto na plataforma de doações Vakinha para arrecadar fundos e assim conseguir enviar mais refeições. Nossa meta é angariar 500 mil reais. Cada refeição tem custo de produção e envio de 10 reais.

Sei que 5 mil refeições ainda é muito pouco. Recebi diversas ligações de pessoas na Ucrânia, em galpões e abrigos, me pedindo para receber também. A frente_brazucra nos ajuda a destinar a carga para quem precisa. Mas está longe de ser o suficiente. Por isso, quem puder e quiser ajudar, procure nossa campanha.

O CÉU NÃO É O LIMITE: ESTAMOS INVESTINDO EM CULTURA DE ALIMENTOS EM MICROGRAVIDADE

A Space-A está a pleno vapor. São seis pessoas na sede da Antuérpia e 12 pessoas na fábrica no Brasil.

Somos um time multicultural. Para dar exemplos, Axel e Tatiana são da Espanha, Aya é do Marrocos. Jeroen é belga, mas pela convivência com a esposa se considera praticamente italiano. Gianni é metade belga, metade suíço. Mas, claro, nosso DNA é brasileiro!

Em 2022, a Space-A estará presente na mostra da Space Adventure da NASA em diversas cidades dos Estados Unidos, começando por Miami e Atlanta. Faremos ainda parte da Space Adventures, em Gramado (RS) e em Balneário Camboriú (SC), no fim do ano

A Space-A está atualmente investindo em tecnologias para cultura de alimentos em microgravidade, para serem adaptados às missões espaciais. Para isso, a empresa contará com uma rodada de atração de investimentos este ano.

Acredito que o céu não é o limite. Marte, aqui vamos nós!

 

Cecilia Sobral é química, biofísica e empreendedora, fundadora da Space-A e de outras três empresas. Ela também é embaixadora do European Climate Pact. Especialista em Open Innovation e desenvolvimento de novos produtos, trabalha atualmente em desenvolvimento de alimentos ligados à sustentabilidade, desenvolvimento social e preservação ambiental. 

 

946 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: