APRESENTA

“A diversidade tem que ser um valor real e prático do nosso negócio”

Luiza Lages - 9 out 2020 Pamela Grazioli, Key Account da FCA para a América Latina
Pamela Grazioli foi selecionada para o Programa de Mentoria de Mulheres da FCA
COMPARTILHE

No mês de junho, a FCA deu início no Brasil à primeira edição do Programa de Mentoria de Mulheres do grupo. Ao fim de seis meses, 30 funcionárias com perfis de liderança terão sido acompanhadas por mentores, em etapas de treinamento e desenvolvimento. O objetivo é acelerar a carreira de mulheres da FCA na América Latina e fortalecer o já existente Programa de Diversidade e Inclusão, com foco na equidade de gênero.

Segundo dados do relatório de desigualdade de gênero de 2019 do Fórum Econômico Mundial, seriam necessários mais 257 anos para equilibrar a desigualdade econômica de gênero no mundo.

“Portanto, sabemos que as organizações precisam intensificar ainda mais os esforços quando falamos de equidade na liderança”, afirma Elaina Santos, gerente sênior de RH da FCA para a América Latina.

Impactos da mentoria de mulheres

Elaina Santos, gerente de RH da FCA

Para Elaina Santos, gerente de RH da FCA, programas de mentoria apoiam o crescimento profissional de mulheres.

Em 2019, a FCA no Brasil foi a primeira desenvolvedora de veículos a aderir ao Movimento Mulher 360, iniciativa de empresas pelo desenvolvimento econômico da mulher. Além disso, o grupo desenvolve uma série de iniciativas internas associadas às estratégias de Diversidade e Inclusão.

Elaina explica que mulheres estão mais sujeitas a serem impactadas em suas jornadas profissionais por vieses inconscientes. Ou seja, por preconceitos incorporados ao nosso dia a dia, baseados em estereótipos de gênero, raça, orientação sexual e outros. Além disso, mulheres são historicamente sub-representadas em segmentos como o automotivo e seguem enfrentando preconceito no trânsito.

“Por isso, programas de mentoria como esse são importantes para apoiar o crescimento de mulheres, propiciando futuros avanços na carreira, além de manter a liderança corporativa sensível à igualdade de gênero”, completa Elaina.

Segundo Marcela Sampaio, Leadership Development da FCA para a América Latina e do Programa de Mentoria de Mulheres, a ação está alinhada com o posicionamento da empresa.

“A diversidade deve fazer parte da forma como tomamos decisões e nos relacionamos. E precisamos ser capazes de reconhecer e desenvolver talentos”, diz.

O objetivo é que, posteriormente, programas de mentoria agreguem os demais públicos previstos nas estratégias de Diversidade e Inclusão da FCA.

Marcela Sampaio, Leadership Development da FCA para a América Latina

Marcela Sampaio é Leadership Development da FCA e do o Programa de Mentoria de Mulheres.

Hoje, o quadro total de funcionários da FCA na América Latina é composto por 11% de mulheres. De modo geral, as estratégias da empresa preveem aumentar essa proporção e pavimentar o caminho para que mais mulheres cheguem a posições de liderança.

“Queremos romper as barreiras do setor automotivo, que é muito tradicional, nos conectando com o consumidor do futuro. Queremos que os nossos quadros representem a nossa sociedade. Por isso, a diversidade tem que ser um valor real e prático do nosso negócio”, explica Marcela.

Mais mulheres líderes

Até o momento, em 2020, 50% das pessoas contratadas para posições de liderança na FCA são mulheres. No mês de julho, a engenheira pernambucana Juliana Coelho, que era head da área de desenvolvimento da FCA, em Belo Horizonte (MG), tornou-se plant manager do Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE). Ela é a primeira mulher a comandar uma fábrica da FCA na América Latina.

Key Account da FCA para a América Latina

Pamela Grazioli, Key Account da FCA para a América Latina, é umas trinta mulheres selecionadas para o Programa de Mentoria.

Pamela Grazioli construiu toda a sua carreira dentro da Fiat. Seu primeiro emprego, quando cursava Administração em Porto Alegre (RS, Brasil), foi em uma concessionária do grupo. De estagiária, assumiu o cargo de supervisora e, então, de gerente. Ela gerenciava o departamento de Vendas Diretas quando o marido foi transferido para São Paulo.

“Fiz um processo seletivo na Fiat em São Paulo e entrei como consultora de vendas diretas. Na época, eu era a única mulher nesse cargo na FCA em todo o Brasil”, lembra.
Pamela foi promovida e hoje é Key Account da FCA para a América Latina.

Pamela foi selecionada para participar do Programa de Mentoria de Mulheres na FCA. Ela conta que a iniciativa é uma oportunidade para olhar para a própria carreira e desenvolver competências importantes, que ainda não tinha conseguido trabalhar sozinha, por falta de tempo.

“É normal procurar conselhos de pessoas próximas, que geralmente são da nossa área. Mas o meu mentor é de uma área totalmente diferente da minha, então vai ser interessante ter essa perspectiva de uma pessoa que trabalha na mesma empresa, porém com um olhar voltado para outro segmento.”

Elaina vê a mentoria como um recurso de impacto, principalmente em momentos de transição ou quando é preciso acelerar o desenvolvimento de carreira. E também como uma iniciativa que traz ganhos para a organização, por meio da promoção de uma cultura inclusiva, que desenvolve e retém pessoas com diferentes perspectivas e experiências.

 

Conheça ações que fortalecem o protagonismo de estudantes. e a brasileira que viaja o mundo a bordo de um Fiorino motorhome.

 

Papel de mentor(a)

Camilla Correa, gerente de Recursos Humanos da FCA

Camilla Correa, gerente de Recursos Humanos, já passou por programas de mentoria e hoje é mentora na FCA.

Profissional de Recursos Humanos, Camilla Correa atua no setor automotivo há 14 anos. Na FCA, ela iniciou como Analista de RH na área Industrial e hoje é gerente de Recursos Humanos.

“Os desafios, complexidade e âmbito de atuação foram aumentando ao longo do tempo e sempre procurei observar e me aproximar de profissionais que eram referência positiva para a organização”, diz.

Mentora do Programa, ela conta já ter passado por mentorias formais e informais em sua trajetória profissional.

“A oportunidade de ter um profissional para trocar e compartilhar experiências é um catalisador para a carreira de qualquer pessoa que queira se desenvolver e crescer em uma empresa”, diz. “Dedicar-me a esse papel hoje é uma oportunidade de contribuir com a carreira de outros profissionais.”

Elaina acredita que, em um programa de mentoria, não só o mentorado é beneficiado, mas também o mentor.

“Ele reflete sobre sua própria trajetória, se sente valorizado como líder e se torna parceiro na construção do sucesso de outra pessoa”, diz.

É uma visão também compartilhada por Camilla. Para ela, o papel de mentor está associado a aprendizado e autoconhecimento.

“O mentor também é um eterno aprendiz e a relação é sempre de ganha-ganha. Ao compartilhar suas experiências profissionais, você as acessa em um momento de maior senioridade e maturidade profissional. Isso gera novos insights, levando mentor e mentorado a um maior nível de prontidão para novos desafios”, reflete Camilla.

 

Percursos do Programa de Mentoria de Mulheres

O time de Leadership Development da FCA na América Latina, que administra o Programa de Mentoria de Mulheres, selecionou as 30 mentoradas participantes levando em conta suas aspirações profissionais e momentos de carreira. Os mentores são diretores e líderes seniores da organização, homens e mulheres reconhecidos por suas capacidades de desenvolver pessoas e por seus alinhamentos aos princípios de liderança da FCA. Os dois grupos — mentoradas e mentores — foram então pareados, de acordo com seus perfis, motivações e desafios.

Lau Verissimo, gerente Sênior de Qualidade da FCA, é um dos mentores selecionados. Para ele, a iniciativa promove o compartilhamento de experiências importantes para consolidar aprendizados.

“As duplas podem ser mais diretas em identificar e trabalhar lacunas, e em trocar experiências específicas. Nesse processo, pretendo compartilhar ideias, experiências e informações sobre melhores abordagens comportamentais e de gestão executiva com minha mentorada”, conta.

O primeiro mês do Programa contou com ações de preparação e engajamento dos participantes, incluindo um bate-papo das mentoradas com a diretora de Recursos Humanos da FCA para a América Latina, Erica Baldini. Em agosto, as participantes iniciaram uma trilha online de treinamentos, com sessões de mentoria, workshops de desenvolvimento e Laboratórios de Check-in, quando mentoradas e mentores dão feedback sobre o Programa.

As atividades acontecerão até dezembro, e em janeiro se encerra o primeiro ciclo de mentorias.

“Minha expectativa é de que a gente consiga de fato contribuir para a aceleração e construção da carreira dessas mulheres. Que elas se tornem referências para outras mulheres na organização e que, no futuro, as mentoradas se tornem mentoras”, reflete Marcela.

 

Esta matéria pode ser encontrada no FCA Latam Stories, um portal para quem se interessa por tecnologia, mobilidade, sustentabilidade, lifestyle e o universo da indústria automotiva.

banner FCA

2034 Total Views 4 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: