APRESENTA

Tem um negócio de saúde? Veja 6 dicas para se destacar online

Rafaela Carvalho - 26 nov 2019
Saúde é um assunto delicado, inclusive para o empreendedor que quer ganhar visibilidade. Confira nossas dicas para fazer isso de forma correta e, acima de tudo, ética.
COMPARTILHE

Quantas vezes você já ouviu relatos de pessoas que pesquisaram uma simples dor de cabeça na internet e terminaram a busca achando que estavam sofrendo de uma doença gravíssima? Ou mesmo já escutou a história de um conhecido que cometeu o equívoco de tratar uma doença por conta própria, seguindo uma “dica” que viu na internet?

O setor de saúde carece de boa produção de conteúdo no ambiente digital.

O que poderia ser uma importante ferramenta para informar acaba virando uma armadilha. Muitas vezes, um profissional que realmente entende de determinado assunto ainda não se dispôs a qualificar seu público com o que sabe e, assim, abre brechas para que quem não entende — ou não tem responsabilidade — faça isso.

É uma pena – mas é, também, uma oportunidade. Os serviços que você presta e os produtos que você comercializa podem ganhar destaque nas plataformas digitais com estratégias corretas, sem ferir nenhum preceito ético. E é preciso planejamento para garantir uma visibilidade saudável em um mercado tão vasto e promissor. De acordo com dados do CAGED, em 2018 foram gerados 96 mil empregos formais no setor saúde, um aumento de 81% em relação a 2017.

Aqui vão as nossas 6 dicas para você garantir o sucesso da sua imagem online e das interações com seus potenciais pacientes.

1. Crie conteúdo responsável e confiável

No caso do setor de saúde, criar um vínculo de confiança com seu público por meio das plataformas sociais é ainda mais importante do que em outros negócios. As pessoas que procuram serviços nessa área geralmente estão fragilizadas e vulneráveis por algum motivo e muitas vezes vão entregar sua integridade física ou mental nas mãos de um profissional, seja da medicina, da enfermagem, da psicologia, da odontologia e por aí vai.

Uma das formas mais eficazes é gerar conteúdo relevante para quem te acompanha, a partir dos assuntos que você domina — não é possível ser especialista em tudo! — e que impacte positivamente a vida dessas pessoas. Isso significa que o conteúdo deve ser consistente. E-books para download gratuito são uma boa maneira de oferecer informação de qualidade, assim como os infográficos em artigos de blogs ou mesmo em posts nas mídias sociais.

Além da qualidade, o conteúdo produzido deve ser responsável. Isso quer dizer que você, como autônomo ou empresário à frente de um negócio de saúde, não deve fechar diagnósticos nem recorrer a generalizações nesse tipo de material. Mais ainda: é seu dever sempre alertar que o ideal é procurar ajuda profissional. É com essa combinação que você vai criar autoridade.

Um bom caminho para desenvolvimento de conteúdos na área da saúde é visar um “mundo ideal”, focado na prevenção e na qualidade de vida.

Por exemplo: se você é fisioterapeuta, vale dar dicas de alongamentos que podem ser feitos pela manhã para ter mais disposição ao longo do dia.

 

2. Conte histórias, mas proteja seus pacientes

Depoimentos de terceiros são uma boa forma de gerar confiança entre um negócio e seu público nas redes sociais. Quem acompanha suas Página no Facebook tende a acreditar muito mais na fala de pessoas comuns a respeito do serviço que você presta do que naquilo que você fala de si mesmo. Mas lembre-se: você não precisa colocar uma carga dramática nessas histórias. Isso pode gerar um peso emocional grande para quem tem o mesmo diagnóstico que você está retratando nas suas plataformas. O ideal é falar em um tom que equilibre leveza e seriedade.

A comunicação deve ser realista, sem tentar “vender” milagres ou aquilo que você não é.

Mas nem sempre é possível fazer Stories, por exemplo, com um paciente contando sua experiência. Isso porque, muitas vezes, a prioridade é preservar a sua identidade. Nesse caso, vale apostar em recursos como animações, sempre caprichando na forma como as histórias são contadas. Um personagem inspirado em um paciente ou cliente real pode sensibilizar outras pessoas e ter um apelo semelhante ao do depoimento. Quanto mais bem contada essa narrativa, maior o sucesso do vínculo.

 

3. Equilibre conhecimento e humanização

A área de saúde é cheia de termos técnicos que precisam ser respeitados, mas isso não significa que você deve deixar de explicar cada um deles pensando no seu público, em grande parte leigo. Não adianta nada produzir um vídeo rico e aprofundado para o IGTV se ninguém vai entendê-lo. Sua linguagem deve ser acessível.

Um vocabulário específico demais te afasta das pessoas, exceto se sua empresa for B2B (business-to-business, ou seja, negócio para negócio) como um comércio de materiais cirúrgicos para clínicas. Nesse caso, termos técnicos são importantes e recomendáveis, mas não dialogue como se sua marca fosse um robô.

Mas assim como a comunicação técnica e impessoal é um problema, a criação de autoridade pode ser comprometida com o uso excessivo de gírias, ou com uma postura pouco profissional. E isso vai muito além das palavras. Um vídeo postado no Facebook, por exemplo, deve ser feito em um local com boa iluminação, boa captação de som e com roupas adequadas à sua atividade profissional, para gerar mais autoridade. O indicado é que você, como profissional, se porte como tal nas redes sociais. Ou seja: interaja por meio de fanpage no caso do Facebook, opte pela versão Business no WhatsApp e mantenha um Perfil comercial no Instagram.

 

4. Avise sobre conteúdos sensíveis

Um exemplo: você quer criar um post para alertar as pessoas sobre determinada doença dermatológica, cuja aparência pode ser incômoda. Uma opção é colocar, no álbum de fotos ou no carrossel, uma arte avisando: “A imagem a seguir pode ser forte. Se você é sensível a esse tipo de conteúdo, não arraste para o lado”. Ou, para evitar usar conteúdo gráfico, troque fotos por infográficos que ilustrem o quadro clínico que você quer retratar.

Isso vale até mesmo para texto escrito que toque em assuntos potencialmente pesados. Se você já viu em algum post os termos “trigger warning” ou “aviso de gatilho”, em português, no começo de uma frase, provavelmente sabe do que se trata: um tema que pode despertar alguma reação negativa em uma pessoa, especialmente se ela já viveu a experiência narrada. Empatia é fundamental.

 

5. Agilize o atendimento online

Tentar marcar uma consulta, um exame, um procedimento ou uma sessão de algum tratamento e não ter sucesso no contato é frustrante para qualquer paciente. Por isso, o atendimento deve ser ágil. Mas atenção: agilidade no atendimento não quer dizer agilidade na entrega da solução. Você precisa ser ágil no primeiro momento, para que quem está do outro lado sinta que está recebendo atenção. Então, uma boa ideia é automatizar as respostas.

Tanto o WhatsApp Business quanto o Messenger permitem o uso desse recurso. A orientação é que a mensagem contenha uma instrução específica e, de preferência, o tempo máximo para retorno. Por exemplo: “Retorno a mensagem assim que possível, em no máximo três horas”. Uma opção interessante é já responder, no texto automático, algumas dúvidas recorrentes.

Dica: use as tags do WhatsApp Business para classificar o seu público. Você pode lançar mão de etiquetas como “novo paciente”, “paciente em tratamento” e “tratamento finalizado” para organizar a comunicação e definir prioridades.

 

6. Consulte o conselho da sua área

A área da saúde envolve uma série de implicações éticas. Alguns tipos de conteúdo, como os tão utilizados “antes e depois” no caso de alguns tratamentos, são proibidos por agências reguladoras de determinadas atividades profissionais. Promover resultados inesperados ou improváveis também vai contra as políticas de publicidade do Facebook. Até mesmo a definição de quais assuntos abordar passa por uma escolha delicada. Por isso, além de não criar conteúdos inadequados para plataformas sociais, o ideal é que você também procure o conselho específico da sua profissão para definir suas estratégias de comunicação.

Além de evitar o desgaste da sua imagem como profissional, isso também vai te poupar de possíveis problemas jurídicos. Respeitando as regras, é possível encontrar soluções criativas e criar vínculos saudáveis com o seu público.

 

Vamos recapitular nossas dicas para você se destacar no ambiente online na área da saúde?

 

Fonte: Paula Bento, analista de Marketing Digital do Sebrae MG; Gustavo Artiaga, professor de Marketing do MBA em Gestão de Saúde da PUC Minas.

 

O post original desta publicação está aqui. O Facebook Para Empresas quer orientar e empoderar micro, pequenos e médios empreendedores no Brasil. Você pode conhecer mais acessando facebook.com/business, a Página Facebook Para Empresas ou o brand channel do Facebook no site do Draft.

209 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: