Buscar, descobrir e ecoar a história que não está nos livros: Mayra Sigwalt é o Retrato da semana!

Rafaela Carvalho - 6 dez 2019
No resgate de sua ancestralidade indígena, ela começou a reaver seu passado e descobrir um presente rico e complexo – e repleto de pessoas em busca de visibilidade. Está no ar o podcast do Draft!
COMPARTILHE

Esta foto da Mayra foi generosamente cedida por Pablo Saborido.

Foi uma notinha de jornal que revelou para Mayra que ela e sua família “existiam”. Antes disso, os arquivos históricos diziam que Marechal Bormann, bisavô de sua mãe e fundador de Chapecó (SC), não havia deixado filhos, embora ele tivesse se casado com uma mulher indígena do povo Kaingang e deixado descendentes.

A verdade é que uma grande parte da narrativa pessoal de Mayra é um constante resgate, desde o momento em que ela percebeu que era diferente da maioria das pessoas com quem convivia ao passar sua adolescência em Florianópolis, cidade majoritariamente branca. Hoje, essa busca por pertencimento acontece de maneira tão curiosa e respeitosa quanto hesitante: em que lugares sua identidade é aceita? Em que conversas ela pode se posicionar?

Em uma conversa com Rafaela Carvalho, editora de conteúdo do Draft, a co-fundadora do Turista Literário divide como a aceitação e busca pelo entendimento de sua própria ancestralidade se revela rica e plural todos os dias. E ressalta como hoje, na posição que ocupa na sociedade como uma mulher empreendedora não-branca, pode ecoar a voz daqueles que, por séculos, tiveram suas histórias violadas e apagadas no Brasil.

Ouça abaixo, no Spotify – ou no Apple Podcasts e Google Podcasts. Para outras plataformas, acesse nossa página no Anchor.

Leia aqui o artigo mencionado por Mayra no episódio.

 

1087 Total Views 5 Views Today
COMPARTILHE

Ouça Também: