APRESENTA
APRESENTA

Na Tetra Pak, há um mundo de oportunidades além da caixinha

Daniella Grinbergas - 2 jan 2024 Daniella Grinbergas - 2 jan 2024
COMPARTILHE

Quando se fala em caixinha longa vida, a Tetra Pak é a marca mais lembrada. Mas o que nem todo mundo sabe é que as soluções da empresa estão presentes em diversos produtos do dia a dia, embalados ou não. Isso porque a companhia investe constantemente em tecnologias, inovações e soluções de ponta a ponta para a indústria de alimentos e bebidas, seja no processamento para laticínios, bebidas, sorvetes e alimentos preparados ou em serviços personalizados, que vão desde manutenção, instalação e serviços de automação, para citar alguns, até treinamento e serviços especializados (como consultoria).

“Para se ter uma ideia, cerca de 90% da produção de sorvetes do mercado brasileiro passa por pelo menos um equipamento da Tetra Pak”, revela Ana Paula Forti, Diretora de Processamento.

“A empresa disponibiliza sua experiência para proporcionar a seus clientes aumento de eficiência em suas operações. As ofertas os ajudam a reduzir custos, garantir a segurança dos alimentos e alcançar novos mercados”, explica a executiva.

O resultado é sentido em todas as pontas. À frente da Diretoria de Serviços, Fernando Caprioli é responsável pelo portfólio que inclui todas as ofertas de suporte aos clientes da Tetra Pak, exceto máquinas.

“O dia a dia do cliente se faz com os nossos equipamentos funcionando para que ele entregue a produção conforme as expectativas. Por isso, nosso trabalho é extremamente relevante na indústria”, conta.

Já do ponto de vista do consumidor, ele explica que a atuação de sua área possibilita a introdução de novas tecnologias e, consequentemente, a chegada de produtos inovadores ao consumidor final.

Em relação ao portfólio de embalagens, o desafio do gerente da área, Paulo Harrison, é entender e traduzir as necessidades dos clientes para levar o portfólio à excelência.

“Diariamente converso com os times de produto fora do Brasil, com outros mercados, faço benchmarks. Sou a ponte de informações, levo discussões para o comercial, marketing, supply chain e outras áreas, sempre pensando no que podemos trazer de bom para o Brasil ou criar do zero. Auxiliamos no desenho do portfólio ideal para entregar as melhores soluções e valor”, explica.

Um exemplo é a busca pela embalagem mais sustentável no mercado. A Tetra Pak encara a sustentabilidade como estratégia de negócio e leva isso aos clientes. “O time de portfólio tem papel ativo nisso. Mostramos ao cliente que ele pode ter um produto com conteúdo a partir de fontes renováveis e responsáveis, entregando ainda mais valor”, aponta Paulo.

 

Tecnologia aliada à personalização das entregas

“Temos muita tecnologia e experiência em oferecer novas soluções. Vivemos um momento em que é preciso produzir mais com menos, ou seja, incrementar os processos produtivos, reduzindo uso de recursos e perdas”, pontua Ana Paula Forti. Nesse sentido, Thiago Soares Abicht, Analista de Qualidade, fala sobre a importância da metodologia de melhoria contínua e otimização de processos de produção – TPM (Total Productive Maintenance).

“Grupos multidisciplinares, compostos por membros de diversas áreas, estudam aspectos diferentes sobre perdas e desperdício, por exemplo. Esse sistema de colaboração leva a resultados muito valiosos”, pontua Thiago.

E os processos são individualizados, pensados para cada cliente. “Respiramos inovação, procuramos novos produtos onde há demanda, porque o cliente tem necessidades distintas. Além disso, buscamos sempre uma economia colaborativa, melhorando os produtos, otimizando as máquinas, entregando melhorias operacionais. Mesmo tendo um passado de sucesso, vivemos um presente inquieto, com espírito de inovar”, afirma Fernando Caprioli.

 

Trajetórias de sucesso

A Tetra Pak tem consciência de que o sucesso do negócio está atrelado ao de cada funcionário.

“Nossa promessa de marca é de proteger os alimentos, as pessoas e o planeta. Aqui dentro, temos muitas oportunidades e queremos desenvolver cada colaborador, investindo nos talentos”, diz Roberta Silvestre, Diretora de RH.

Não à toa, diversos líderes da empresa iniciaram a carreira na Tetra Pak como estagiários ou trainees. O atual Diretor de Serviços, Fernando Caprioli, começou como estagiário na área de assistência técnica e foi ganhando espaço.

“Anos depois me tornei líder de projeto, fui convidado a ser coordenador de um dos escritórios de São Paulo de Assistência Técnica. Em seguida, me tornei coordenador, gerente, responsável por um time de gerentes de serviço, e agora sou diretor”, enumera.

Ele ressalta que a empresa olha para os indivíduos com muita atenção, oferece processos transparentes de avaliação, de desenvolvimento e ferramentas para que se possam construir uma carreira de sucesso na companhia. “Ao mesmo tempo em que me sinto cuidado pela empresa, sinto uma enorme liberdade. Tenho autonomia para liderar, tomar decisões, errar e acertar. É a liberdade com responsabilidade”, diz Fernando.

Paulo Harrison também tem uma longa trajetória na Tetra Pak. Em 2007, ele iniciou sua jornada gerenciando projetos na fábrica. “Comecei com instalação e planejamento de envase de alimentos, olhando para as necessidades dos clientes. Uma visão valiosa que fez toda a diferença na minha caminhada”, conta. Em seguida, ele mergulhou na área de introdução de produtos inovadores no mercado. Os passos seguintes foram o cargo de gerente de portfólio para o mercado de países andinos, a responsabilidade pela engenharia de projetos e o gerenciamento de portfólios do Brasil.

“Sempre tive oportunidade de ampliar minha base de conhecimentos. Sou engenheiro e estou numa empresa que é de soluções para a indústria de bebidas e alimentos, mas a tecnologia e inovação é o DNA da Tetra Pak. Ver o lançamento de novos produtos e saber que contribuí ativamente para isso me deixa orgulhoso pessoal e profissionalmente”, diz Paulo.

Conhecimento e colaboração são palavras-chave que guiam as caminhadas dos profissionais. “Em 15 anos de atuação com atendimento, ganhei uma bagagem enorme. Além de poder viajar e conhecer pessoas e culturas, essa área me ajudou a ter um olhar diferenciado para as iniciativas, de conseguir trazer experiências para dentro dos processos e ir além das expectativas dos clientes”, aponta Thiago, que tem formação na área de meio ambiente e entrou na Tetra Pak como analista ambiental. Com dois de atuação, ele vislumbrou a oportunidade de migrar para o setor de qualidade, mas precisou de um empurrão. “Eu me interessei pela vaga, porém, achei que era preciso ter perfil de engenharia. Pensei que não teria chance, mas um colega enxergou o meu talento e me incentivou. Apliquei e me tornei analista de qualidade”, lembra. Encantado com a nova função, Thiago aproveitou todas as oportunidades e continua evoluindo.

“Sinto que a liderança está sempre mapeando e promovendo o treinamento adequado para te preparar para as atividades nas quais você pode se aperfeiçoar”, conclui.

A companhia deixa claro que as oportunidades de carreira são muito abrangentes, permitindo mudanças e evoluções em diferentes áreas de conhecimento.

“Nossa vivência, a exposição dos trabalhos para outras áreas, a criação de fóruns, os projetos entre as áreas. Tudo isso permeia diversos níveis da organização e mostra os potenciais das pessoas para levá-las ao lugar certo. Sinto que buscamos constantemente entender onde cada um performa melhor”, comenta Ana Paula.

A executiva é engenheira química de formação e começou sua trajetória profissional na indústria de equipamentos para alimentos e bebidas como gerente de projetos. Em 2010, entrou na Tetra Pak com essa função e alcançou a posição de gerente de projetos. Mas foi em 2022 que um novo mundo se abriu para Ana, que partiu para a área de processamento da empresa. “Nesse momento me encontro no desafio da diretoria comercial e estou muito feliz”, comemora.

A virada de carreira também fez parte da trajetória de Roberta Silvestre, que trabalhava como prestadora de serviços para a Tetra Pak em um escritório de advocacia e foi convidada a integrar o time da empresa. Em 2015, a advogada entrou para o departamento jurídico, em 2020 foi promovida a coordenadora e começou a abraçar outras responsabilidades. Até que em 2022 migrou para o RH.

“A companhia me deu segurança para dar esses passos de forma consistente. Na minha trajetória, me senti empoderada, a empresa fortaleceu as minhas crenças de que eu poderia chegar aonde quisesse. Hoje não tenho uma ambição de cargo, mas tenho a expectativa de continuar gerando mudanças e impacto”, conclui Roberta.

549 Total Views 6 Views Today
APRESENTA
COMPARTILHE
APRESENTA

Confira Também: