O Pet Perfeito é uma rede social para apaixonados por gatos e cachorros

Dani Rosolen - 5 abr 2019 Dani Rosolen - 5 abr 2019
COMPARTILHE

Nome:
Pet Perfeito.

O que faz:
É uma rede social para apaixonados por cães e gatos.

Que problema resolve:
O app foca em três questões principais: apoiar a adoção consciente, aproximando o usuário de ONGs/doadores; ser um centralizador de alertas de pets perdidos/encontrados baseados em geolocalização; e ser um ponto de encontro para comunidade pet.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, o Pet Perfeito aproxima pessoas que pretendem adotar um animal, possibilitando a busca por características específicas como cor e porte, além de combater o excesso de “devolução” de pets após a adoção por famílias que não se adaptaram ao bichinho.

Modelo de negócio:
A plataforma é gratuita, mas a partir de junho deste ano deve começar cobrar uma taxa por intermediação de serviços como dog walker, hotelzinho, pet shop, veterinário e adestrador.

Fundação:
Dezembro de 2018.

Sócios:
Alexandre Rocha  Cofundador
Gabriel Soares  Cofundador

Perfil dos fundadores:

Alexandre Rocha — 38 anos, São Paulo (SP)  é formado em Sistemas de Informação pela FIAP e pós-graduado  em Gestão de Negócios pela FIA. Fundou a Mydzn.com e trabalhou em empresas como Banco Votorantim, Banco Santander e Promon Engenharia.

Gabriel Soares  23 anos, São Paulo (SP) é formado em Ciência da Computação pela UNIP. Trabalhou no Banco Votorantim.

Como surgiu:
Os sócios contam que sempre tiveram uma ligação pessoal com a causa pet e os problemas de seu ecossistema e decidiram criar um app que facilitasse as adoções.

Estágio atual:
O Pet Perfeito começou a operar em beta no final de 2018 para estabilizar o aplicativo e sentir a repercussão espontânea. Atualmente, possui 2 mil usuários e 400 pets cadastrados, sendo que 37 animais já foram adotados pela plataforma.

Aceleração:
Está em busca de aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 290 mil reais de recursos próprios para o desenvolvimento do aplicativo, criação da marca e divulgação.

Necessidade de investimento:
Querem captar 700 mil reais para um roadmap de um ano do projeto.

Mercado e concorrentes:
“O mercado pet no Brasil vem crescendo aproximadamente 7% ao ano, nos últimos três anos na contramão da crise. Um estudo de 2017, feito pela USP, aponta que em 44% dos lares brasileiros há pelo menos um cãozinho e em 17%, um gato. Já são mais de 52 milhões de cães nos lares brasileiros, segundo dados do IBGE. Os números ultrapassam as 44 milhões de crianças de 0 a 14 anos no país. Não por acaso, o Brasil é o terceiro maior mercado pet no mundo, atrás somente do Reino Unido e dos EUA”, conta Alexandre. Ele aponta como concorrentes diretos a Dog Hero, o Pet Anjo, o Pet Ideal e o Petlove. Como concorrentes indiretos, os grandes varejistas como Petz e Cobasi.

Maiores desafios:
De acordo com Alexandre, transformar a rede social em um marketplace.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Maio de 2020.

Visão de futuro:
Segundo o CEO, expandir a rede, possibilitando assim que se torne cada dia mais fácil um pet perdido ser encontrado por sua família ou uma adoção ser realizada com sucesso.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

1291 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: