A Pormade nasceu como uma marcenaria. Hoje, é uma das maiores indústrias de portas do Brasil (e está presente até no BBB)

Daniel Trouche - 27 jan 2022
Cláudio Zini, diretor-presidente da Pormade (foto: divulgação).
Daniel Trouche - 27 jan 2022
COMPARTILHE

Em União da Vitória (PR), na divisa com Santa Catarina, a Pormade tem fama de ser uma das melhores empresas para trabalhar na região: há 20 anos, figura na lista da Great Place to Work. O reconhecimento ajudou a se tornar uma das maiores indústrias de portas do Brasil. Só em 2021, foram 420 mil unidades fabricadas.

A Pormade surgiu em 1939, como uma marcenaria. Ao longo das décadas, cresceu e foi dividida entre as dez famílias que a tocavam. Tomado pela vontade de inovar o negócio, o engenheiro civil Cláudio Zini (um dos herdeiros) assumiu a empresa de 25 funcionários, em 1976, com 9% das ações.

Hoje, Zini, 74, é o diretor-presidente e detém 100% da Pormade, que comercializa portas para todo o Brasil. Para ele, o segredo do sucesso é dar liberdade total – inclusive para errar – aos atuais 900 colaboradores atuais.

A partir das proposições de 29 grupos de melhorias e outras iniciativas que envolvem os funcionários, a empresa está avançando na digitalização dos negócios para se aproximar do consumidor final.

A Pormade começou o ano com uma sacada de marketing: seus produtos estão expostos na casa do Big Brother Brasil 2022 (e à venda para os fãs do programa).

UMA VIAGEM AO JAPÃO NOS ANOS 1980 ABRIU OS OLHOS DO EMPREENDEDOR PARA O VALOR DO ERRO E DA INOVAÇÃO

De olho nas possibilidades do mundo digital, sem deixar de lado os pontos de venda físicos, a empresa aposta no phygital (união de physical com digital) para escalar novas experiências de relacionamento com o consumidor.

Para Zini, tratar o consumidor com respeito é estar próximo e entregar um produto de qualidade e instalado. De olho na aproximação com os clientes, a empresa atua com showrooms, e-commerce, franquias e lojas autônomas. Neles, comercializa portas, rodapés, biombos, papéis de parede, fechaduras e outros acessórios.

A fábrica da Pormade, em União da Vitória (PR): 420 mil unidades fabricadas em 2021.

As oportunidades muitas vezes passam “batidas”, diz o executivo, por falta de ousadia, e lembra como a guinada na forma de pensar ocorreu em uma viagem ao Japão, em 1988.

A visita, naquele ano, se deu junto a uma comitiva de empresários. Foi lá, no Japão, que Zini ouviu de um palestrante que “erros eram tesouros”. Acreditou que essa percepção seria uma boa forma de gestão, e desde a década de 1990 passou a aplicá-la valorizando a tomada de riscos.

De volta ao Brasil, ele elaborou os dez “mandamentos” internos da Pormade, que incentivam os funcionários a promoverem a tão esperada inovação.

“Erros provenientes de tentativas e inovação são bons erros. Se quisermos aumentar nosso índice de sucesso, temos que dobrar nosso número de fracassos. Nunca se deve punir pelos erros e sim aprender com os erros dos outros”

Seu objetivo era derrubar as barreiras entre o chão de fábrica e a direção da empresa. As decisões da Pormade, com o tempo, passaram a ser horizontais e não mais de cima para baixo.

A EMPRESA INVESTIU 10 MILHÕES DE REAIS NUM NOVO PROJETO DE LOJAS AUTÔNOMAS

Em 2021, a Pormade planejou a implementação de lojas autônomas, que funcionam como espaços de autoatendimento. O projeto teve seu start em dezembro passado, servindo à estratégia de investir em inovação e na diversificação dos canais de venda.

A empresa investiu 10 milhões de reais no projeto. As primeiras 14 lojas autônomas estão localizadas em cidades de Minas Gerais e dos três estados da Região Sul. A meta é implantar 200 lojas até o fim de 2022, em todo Brasil.

“O consumidor está em busca de facilidade e conveniência, e a loja autônoma atende essa demanda e agiliza todo o processo. Outras 16 unidades estão em estudo em lojas de móveis planejados, marcenarias e lojas de materiais de construção”

A jornada do cliente na loja autônoma é iniciada por meio de um totem expositor (que forma um cubo de quatro portas, que abrem e fecham). É estrategicamente localizado em uma loja parceira, onde são dispostos QR Codes direcionados para alguns serviços.

Pelo terminal, é possível passear pela fábrica, conhecer os diversos tipos de porta, comprar ou solicitar para falar com o vendedor de um showroom da região. O cliente também pode pedir atendimento presencial – basta combinar com o vendedor.

Na loja autônoma dá para visualizar, manusear e sentir a textura e material da porta com fechaduras, dobradiças e guarnições.

Os comércios que hospedam uma loja autônoma recebem um aluguel de 500 reais pelo espaço. Com o objetivo de expandir o formato, o modelo “store in store” também terá remuneração com bônus e comissão, em torno de 5%.

O E-COMMERCE JÁ PERMITE SIMULAR AMBIENTES COM PRODUTOS (E A META É DIRECIONAR CADA VEZ MAIS O FOCO PARA O B2C)

Atualmente, das 35 mil portas vendidas todo mês pela Pormade, um terço se destina ao consumidor final, e os outros dois terços para empresas de construção.

A tendência para 2022, conta, é equilibrar meio-a-meio esses dois públicos – e mais à frente aumentar as vendas para a frente B2C. As lojas autônomas já são parte dessa estratégia de fortalecer o foco no consumidor final.

O e-commerce também vem passando por mudanças, e com o mesmo foco. Buscando melhorar a experiência do cliente, o site agora oferece um simulador de ambientes. O usuário escolhe o modelo da porta ou outro produto; em seguida, indica o ambiente a ser instalado (quarto, cozinha e sala). Em alguns cliques, visualiza o ambiente de acordo com suas escolhas.

“Muitas empresas vão à falência por fazer a mesma coisa por tempo demais… Aqui, a inovação é super bem-vinda. Entre os planos para o futuro está a maior utilização de inteligência artificial – e neste ano aumentaremos nossa capacidade em 10 mil portas ao mês”

Segundo Zini, ter uma “alma digital” é estar mais perto do consumidor. No longo prazo, o sonho da Pormade é lançar seu próprio marketplace de construção civil (e virar uma “Amazonzinha”, brinca o executivo).

Enquanto isso, a primeira fábrica, no centro de União da Vitória, está sendo reformulada para se tornar apenas escritório administrativo. O espaço deverá abrigar o setor de tecnologia da informação e o time de marketing para facilitar a ampliação digital.

Em outro terreno do município fica o parque industrial, com 102 mil m². A empresa ainda possui um reflorestamento de 520 hectares. O manejo da área é feito para a venda da madeira; o valor arrecadado é investido em chapas industrializadas para a produção de portas.

AS PORTAS E PISOS DA PORMADE HOJE ESTÃO NA CASA DO BIG BROTHER BRASIL (E À VENDA PARA OS FÃS DO REALITY SHOW)

Estar perto do consumidor é um dos lemas do negócio. Nesse sentido, o time de marketing da Pormade marcou um golaço ao emplacar suas portas, papéis de paredes e pisos vinílicos no Big Brother Brasil 22.

Com a parceria, a empresa abre ao público a opção de adquirir produtos (portas, pisos e papéis de parede) licenciados do programa, que são utilizados nos quartos, sala, confessionário e outros ambientes da casa. Basta preencher os dados para comprar direto com a Pormade.

Em União da Vitória, um caminhão-showroom apresenta o universo do programa para o consumidor, que reconhece portas e réplicas de ambientes usados na casa que acompanham na televisão.

Os caminhões-showroom também estarão na cidade-natal de cada participante, durante os “paredões” do programa, que deve se encerrar em abril.

“Meu sonho não é ser a maior fábrica de portas do mundo, e sim a mais divertida. No mundo dos negócios, nos dias de hoje, felicidade e bem-estar equivalem a lucro”

Com cada nova iniciativa, a empresa busca aumentar sua participação no mercado. Em 2021, o faturamento foi de 301 milhões de reais.

De acordo com Zini, a fase atual é de investir em pessoas e nos produtos como estratégia competitiva (a companhia não divulga o valor desse investimento). Para 2022, a expectativa é seguir crescendo e faturar 380 milhões de reais.

COM SHOWROOMS SOBRE RODAS E MODELO DE FRANQUIAS, A PORMADE VEM AMPLIANDO A CAPILARIDADE E AS VENDAS

Em São Paulo, a Pormade está presente no Shopping D&D, pioneiro no setor da decoração. Em 2017, a Pormade ampliou sua capilaridade inaugurando dezenas de showrooms pelo país (confira aqui).

A empresa vem ampliando seus canais de venda com franquias e showrooms, como este da foto.

A estratégia vem se intensificando, agora sobre rodas, com os caminhões-showroom. Hoje, são 20, e até o fim do ano a empresa quer chegar a 50 – além de 200 carretas que puxam um modelo de cubo de quatro portas (semelhante ao das lojas autônomas) para visitar edifícios em construção.

“Com os caminhões e as carretas queremos ir não só para as obras, mas mostrar para o pedreiro e o mestre de obra”, diz Zini. “À noite, se o proprietário quiser, a carreta vai até a casa dele!”

Em 2018, a marca entrou para o segmento de franchising; já são 40 unidades em todo o Brasil. O investimento inicial para a abertura de uma franquia da Pormade é a partir de 120 mil reais. No valor está incluso a taxa de franquia e o showroom dos produtos.

“A vantagem da franquia é que o dono mesmo é quem resolve os problemas – mas não é fácil encontrar um empreendedor nato”

O perfil sugerido é de gente com experiência no mercado de construção civil. Os franqueados passam por um treinamento de uma semana na Pormade, conhecendo a fábrica, o processo de produção e as especificações dos produtos.

O Programa de divulgadores é uma alternativa voltada aos empreendedores independentes. O divulgador atua levantando obras (construções) ou divulgando para clientes, oferece o produto e ganha comissão por indicação de novo franqueado ou por venda.

O ESTÍMULO ÀS NOVAS IDEIAS RENDEU À PORMADE O PRÊMIO DE “AMBIENTE DE INOVAÇÃO MAIS INCRÍVEL”

Na “tábua dos 10 mandamentos” da Pormade, escrita por Zini após aquela viagem pelo Japão, um dos valores que melhor se encaixam na sua filosofia é: “Inovar é errar sem perder as esperanças”.

Uma das iniciativas para promover essa ideia é o “Café com o Presidente”, semanal. Todos os empregados têm autonomia para interagir diretamente com Zini, propondo novas ideias e apontando melhorias. “E ninguém precisa me chamar de presidente!”

Outra iniciativa, sistematizada pelo setor de RH, são os 29 Grupos de Melhorias, presentes do setor administrativo ao chão de fábrica. Os integrantes se reúnem semanalmente ou quinzenalmente para discutir metas e propostas de novas ideias.

Essas propostas são encorajadas em toda a empresa. A filosofia da Pormade que se nada está dando errado no momento é porque ainda não se tentou inovar o suficiente.

“O grande segredo é inovar sem perder a essência. Trabalhamos constantemente as mudanças e inovações, tendo uma gestão totalmente participativa. Costumo dizer que o funcionário que tem futuro é aquele que é desobediente, desde que com boas intenções

Essa visão levou a Pormade a vencer o Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar 2020, na categoria “Ambiente de Inovação Mais Incrível”.

A premiação é uma iniciativa da Fundação Instituto de Administração (FIA), com base em uma pesquisa realizada entre 150 mil funcionários de mais de 300 empresas brasileiras.

Na pesquisa, cerca de 43% dos funcionários identificaram que a principal característica cultural da empresa era o estímulo à criatividade. Entre eles, 52% afirmaram que já fizeram propostas de mudanças à chefia; destes, 80% tiveram uma sugestão implementada.

BOAS SACADAS QUE AJUDAM A EMPRESA A ECONOMIZAR GERAM PREMIAÇÕES EM DINHEIRO PARA OS COLABORADORES

Outra iniciativa que chama atenção é o “Programa dos 5 Dias”, que recompensa o propositor de uma inovação bem-sucedida com o equivalente a cinco dias do resultado financeiro gerado pela ideia.

“Toda inovação é celebrada e incentivada, inclusive financeiramente, às equipes que a desenvolvem”, diz Zini.

Um exemplo simples foi um funcionário que propôs o uso de um solvente para a higienização de uma passadeira de cola usada na linha de produção. Após quinze dias de experiência e a mensuração de economia de 50 reais por dia, a iniciativa lhe rendeu 250 reais.

“Para nós, está bem claro: felicidade traz retorno financeiro. E vamos seguir nesse caminho para abraçar cada vez mais a inovação corporativa”

Zini conta que o programa também funciona em escalas maiores. Tendo em vista que uma organização de sucesso funciona como um organismo vivo e descentralizado, sua ideia sugere que quem está mais perto do trabalho é quem mais o entende.

“Temos outra filosofia: só não leva quem não faz. O nosso diferencial é que não pressionamos ninguém a dar resultados. É um processo natural porque valorizamos o capital humano.”

 

4227 Total Views 2 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: