Processos seletivos podem ser demorados. A Bluy quer simplificar essa experiência para os RHs e as pessoas candidatas

Dani Rosolen - 26 jan 2023 Dani Rosolen - 26 jan 2023
COMPARTILHE

Nome:
Bluy.

O que faz:
É uma plataforma de recrutamento e seleção que busca otimizar o tempo de pessoas candidatas e de departamentos de Recursos Humanos.

Que problema resolve:
Enquanto muitas empresas reclamam de problemas como demora no processo de contratação, falta de histórico e indicadores, dificuldade em atrair as pessoas certas e falta de comunicação; do outro lado, os candidatos reclamam de processos longos e falta de feedback. Com tecnologia, a startup busca melhorar a experiência no processo de contratação, para ambas as partes.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, o que torna a empresa especial é reunir um time de especialistas nas áreas de pessoas e tecnologia, “que de fato entendem a necessidade do RH”. A plataforma oferece um sistema inteligente com mais de 40 filtros, que permitem que empresas de todos os portes criem suas vagas em até três minutos. Além dos filtros, a Bluy possui recursos que reduzem vieses nos processos seletivos, como o currículo oculto, possibilitando que os gestores encontrem a pessoa ideal pelo perfil comportamental e experiências profissionais, garantindo assim maior diversidade nas contratações.

Modelo de negócio:
A plataforma opera no modelo de SaaS (software as a service), com dados em nuvem. Os planos são baseados no número de vagas e no consumo do banco de candidatos. A Bluy lucra com pacotes recorrentes mensais para empresas de todos os portes.

Fundação:
Fundada em 2020, mas o negócio começou a operar em agosto de 2022 com o primeiro cliente-piloto.

Sócios:
Carolina Madureira CEO
Hugo Rebelo CTO
Tiago Mavichian — Cofundador e conselheiro
Rafael Pinheiro — Cofundador e conselheiro

Fundadores:

Carolina Madureira — 36 anos, São Paulo (SP) — é formada em Psicologia pela Universidade do Vale do São Francisco, com MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Recursos Humanos pela FGV. Trabalhou em empresas como Cyrella, Somos Educação, Gupy e Companhia de Estágios.

Hugo Rebelo 36 anos, São Paulo (SP) é formado em Tecnologia pela FATEC-SP. É fundador da Indigoway Participações e CTO da Companhia de Estágios.

Rafael Pinheiro 37 anos, São Paulo (SP) é formado em Ciências da computação pela Universidade Anhembi Morumbi, com especialização em Gestão Comercial e RH pela FGV. É diretor comercial da Companhia de Estágios.

Tiago Mavichian 38 anos, Laranjal Paulista (SP) é formado em Administração pela FECAP. Foi professor universitário. É fundador e CEO da Companhia de Estágios e atualmente é articulista do jornal Estadão.

Como surgiu:
A Bluy é uma spin-off da Companhia de Estágios, empresa líder em recrutamento e seleção de estagiários e trainees. “Trabalhando na Companhia de Estágios, identificamos uma lacuna de mercado voltada à melhor experiência e usabilidade de plataformas na hora de recrutar e buscar emprego, por isso decidiram investir na criação da Bluy, que nasce para ser uma empresa independente da Companhia de Estágios”, diz Carolina. Em 2022, a startup operou as 100 primeiras contratações com um cliente-piloto, contemplando inclusive vagas afirmativas só para mulheres.

Estágio atual:
A Bluy funciona no modelo híbrido e tem um escritório em São Paulo para reuniões e encontros, onde conta com 16 colaboradores, a maior parte desse time é da área de tecnologia. Temos em sua base, atualmente, mais de 1,6 milhão de candidatos, de diferentes regiões do Brasil. As primeiras contratações aconteceram em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, nas modalidades remota, presencial e híbrida, incluindo vagas afirmativas para mulheres. A expectativa da HR Tech é abrir mais 3 mil vagas de emprego ainda este ano.

Aceleração:
A Companhia de Estágios foi a principal aceleradora da startup.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 4 milhões de reais na Bluy.

Necessidade de investimento:
“Já temos conversas com investidores, mas nossa meta é pensar na estrutura de um novo investimento no primeiro semestre de 2023.”

Mercado e concorrentes:
“Pensando que hoje toda empresa tem um time, precisa fazer contratações e gerir pessoas, enxergamos um potencial enorme de potenciais clientes para a Bluy. Pequenas, médias e grandes empresas. Uma boa gestão de pessoas e processos de RH estão cada vez mais em foco, especialmente pensando na experiência, diversidade e humanização. E as empresas só vão conseguir focar no que é importante, automatizando trabalhos operacionais, digitalizando processos e tendo indicadores”, afirma a CEO. Como concorrentes, ela cita PandaPé e Vagas.com

Maiores desafios:
“O maior desafio hoje é mostrar para empresas e RHs que a tecnologia é uma aliada e existe como meio para resolver problemas e garantir agilidade, proporcionando assim tempo livre para priorizar o importante: as pessoas. A transformação digital requer mudanças e toda mudança gera medo. A tecnologia não foi criada para substituir pessoas, mas sim para nos aproximarmos delas.”

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Em um ano de operação.

Visão de futuro:
“Queremos ser parceiros dos RHs, estando presentes em tudo que diz respeito às pessoas numa organização. A Bluy quer acompanhar o colaborador em toda a sua jornada numa empresa, garantindo simplicidade, agilidade e uma boa experiência”, conta Carolina.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

421 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: