Verbete Draft: o que é Inicial Exchange Offering (IEO)

Isabela Mena - 23 out 2019 Entre janeiro e junho deste ano, as IEOs arrecadaram US$ 1,5 bilhão.
Entre janeiro e junho deste ano, as IEOs arrecadaram US$ 1,5 bilhão.
COMPARTILHE

Continuamos a série que explica as principais palavras do vocabulário dos empreendedores da nova economia. São termos e expressões que você precisa saber: seja para conhecer as novas ferramentas que vão impulsionar seus negócios ou para te ajudar a falar a mesma língua de mentores e investidores. O verbete de hoje é…

INITIAL EXCHANGE OFFERING (IEO)

O que acham que é: Nova forma de escambo.

O que realmente é: Initial Exchange Offering, ou simplesmente IEO, é forma de arrecadação de recursos para projetos em criptomoedas (e que envolvem blockchain) realizada em uma plataforma por uma operadora.

O entendimento mais aprofundado da IEO só é possível em contraposição a Initial Coin Offering (ICO), forma usualmente utilizada até então e da qual pode ser considerada um subproduto. Assim, enquanto as IEOs ocorrem em plataformas com operadoras de criptomoedas, que atuam como intermediárias — e por isso desempenham funções como diligência prévia e venda de tokens (ativos digitais) para os clientes —, as ICOs, por outro lado, são realizada pelas próprias startups, que assumem os custos das ofertas de tokens e são responsáveis por vender as criptomoedas em seus sites.

Segundo Gustavo Torrente, Professor de Tecnologia da FIAP, nas ICOs um grupo de desenvolvedores arrecada fundos através de smart contracts e, em troca, quem investiu recebe o token do projeto. “Nas IEOs há um terceiro elemento na jogada, a operadora, responsável pela iniciativa e pelo gerenciamento do projeto. Com isso, há mais segurança”, afirma. Torrente diz que as ICOs permitem que quase qualquer pessoa compre tokens. “Nas IEOs os tokens estão disponíveis apenas para clientes registrados na operadora.”

Um artigo da Reuters, republicado pela Business Insider em junho deste ano (link no item “Para saber mais”), diz que as ICOs levantaram quase US$ 29 bilhões para empresas de criptomoeda desde 2016, mas desaceleraram acentuadamente por causa da regulação do governo americano (como combate a ofertas fraudulentas e ilegais). É nesse contexto que a IEO entra com força. O texto ainda diz que a Initial Exchange Offering é, atualmente, tendência em termos de captação de recurso na indústria das criptomoedas.

Quem inventou: A operadora Binance é tida como precursora ao lançar, em janeiro deste ano, a plataforma Binance Launchpad.

Para que serve: Assim como as ICOs, as IEOs são comumente utilizadas por startups ou projetos de crowdfunding para arrecadar fundos ou conseguir financiamentos de forma mais simples, sem o ônus das transações financeiras tradicionais. Sua vantagem em relação às ICOs é serem mais seguras.

Mercado: Entre janeiro e junho deste ano, as IEOs arrecadaram US$ 1,5 bilhão, segundo o rastreador de moedas criptografadas CoinSchedule. Para fins de comparação, no mesmo período as ICOs arrecadaram US$ 836 milhões.

Pontos negativos: Custos envolvidos, já que a operadora cobra uma taxa dos desenvolvedores dos projetos. “O custo associado à venda dos tokens podem ser altos para startups que querem arrecadar fundos para o seu projeto”, diz Torrente.

Para saber mais:
1) Leia, na Business Insider, Explainer: Initial exchange offerings flourish in crypto market.
2) Leia, no Coindesk, Initial Exchange Offerings Are Providing Big Returns, But Why?
3) Leia, no The Next Web, Here’s the difference between ICOs and IEOs.

120 Total Views 5 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: