Você atua na área da saúde e precisa locar um espaço para realizar atendimentos? A Pocket Clinic facilita este processo

Dani Rosolen - 3 jan 2024 Dani Rosolen - 3 jan 2024
COMPARTILHE

Nome:
Pocket Clinic.

O que faz:
É uma plataforma que conecta profissionais da saúde a proprietários de consultórios montados e disponíveis em Uberlândia (MG) para alugar pelo uso (horas, dias ou períodos) .

Que problema resolve:
Para os profissionais de saúde, resolve o alto custo para a montagem e operação mensal de consultórios ou espaços para atendimento, permitindo que paguem somente pelo uso, sem se preocupar com custos fixos. Para os proprietários desses salas, a plataforma é uma maneira de fazerem renda com os períodos ociosos do espaço ou possibilidade de compartilhamento por horas, períodos e dias inteiros.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, o que torna a plataforma especial é a conveniência e organização. O grande diferencial da startup é a facilidade, pois todo o processo é realizado inteiramente via web, da reserva ao pagamento.

Modelo de negócio:
O modelo do negócio é B2B2C, sistema de monetização marketplace e o modal de vendas é self-service.

Fundação:
A fase de ideação teve início em fevereiro de 2022, com a validação e apresentação para o mercado do MVP ativo em novembro de 2022.

Sócios:
Lucas Algodoal CEO
Rafael Sanzio COO

Fundadores:

Lucas Algodoal — 37 anos, Uberlândia (MG) — é formado em odontologia pelo Centro Universitário do Triângulo e atua como cirurgião dentista, especialista em reabilitação oral e estética. Em sua jornada trabalhou em diferentes clínicas até empreender e montar o seu primeiro consultório. No período pré-pandemia, fundou e esteve à frente de uma clínica com mais de dez salas em que tanto profissionais trabalhavam para ele quanto alugavam para atuação independente. Hoje mantém uma clínica ativa com quatro consultórios e presta serviços de reabilitação oral e estética.

Rafael Sanzio 41 anos, Brasília (DF) é formado em comunicação social com habilitação em publicidade e propaganda pela FAFI-BH. Trabalhou em empresas como Grupo Record e CDN Comunicação. É especialista em presença digital e atua como advisor nessa área.

Como surgiu:
Lucas conta que com a crise causada pela pandemia, ele enfrentou dificuldades para manter uma clínica com dez salas e alto custo de operação, amargando grandes prejuízos. Mas naquele momento, se lembrou de uma locatária que sublocava uma das salas. Começou então a imaginar uma solução que facilitasse a busca e locação de espaços por curto período para facilitar a vida dos profissionais da saúde que estão sem espaço para atender e melhorar os rendimentos e amortecer o custo fixo de proprietários de clínicas. Este insight se fortaleceu quando ele tentou encontrar um espaço para atender um paciente em outra cidade e não encontrou nenhuma opção com contrato flexível. Com a ideia em mente, entrou em contato com seu amigo Rafael, que abraçou a causa. Em novembro de 2022, a Pocket Clinic teve a sua primeira versão divulgada com 15 consultórios disponíveis.

Estágio atual:
A Pocket Clinic ainda opera com o MVP, conta com 203 usuários em Uberlândia (MG), entre proprietários e profissionais locadores. Segundo os sócios, são cerca de 32 locações mensais realizadas pela plataforma.

Aceleração:
Está sendo acelerada pela FHE Ventures, venture builder focada na área da saúde.

Investimento recebido:
Foram investidos cerca de 30 mil reais pelos próprios sócios, a maior parte em comunicação/marketing.

Necessidade de investimento:
Os sócios querem captar investimentos tanto para desenvolvimento do produto baseado nos dados mapeados para alcançar o Product Market Fit quanto para expansão. Eles, no entanto, ainda não definiram o valor deste aporte.

Mercado e concorrentes:
“O setor mudou, novas formas de trabalhar e fazer negócios surgiram e nós estamos juntos nessa missão de gerar mais lucratividade, sustentabilidade e estimular os profissionais da área a trabalharem de acordo com a realidade atual, sem custos fixos e sem surpresas no fim do mês”, diz Lucas. “Podemos considerar concorrentes todos os negócios que realizam sublocação de consultórios, incluindo os coworkings da área da saúde, mas também são estes os que mais facilmente se tornam uma ponta dos nossos clientes, viram proprietários de salas na Pocket Clinic.”

Maiores desafios:
“O maior desafio hoje é quebrar a cultura atual. Muitos profissionais da saúde ainda desconfiam de soluções online ou estão presos a conceitos mais tradicionais de ter que investir em um espaço para atendimento, mesmo com poucos recursos para isso. Este é o principal desafio para a conquista de mais clientes. No negócio, o principal desafio hoje é o financeiro, pois precisamos de capital para desenvolver um produto mais adequado às respostas que tivemos do mercado e após isto, precisamos expandir para mais cidades e comunicar de forma contundente a nossa solução ao público-alvo”, conta o CEO.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Final de 2025.

Visão de futuro:
“Vemos a Pocket Clinic como referência em locação de espaços para atendimento na área da saúde. Ela pode se tornar uma aliada em diversos aspectos da jornada do profissional deste setor e também do proprietário de clínica e consultório”, diz Lucas.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

230 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: