Não sabe programar? A Nick Builder é uma plataforma no-code para a criação de softwares

Dani Rosolen - 8 dez 2020 Dani Rosolen - 8 dez 2020
COMPARTILHE

Nome:
Nick Builder.

O que faz:
É uma plataforma de tecnologia no-code que permite a criação de aplicações de software de forma rápida sem a necessidade de utilização de linhas de código.

Que problema resolve:
Busca acelerar a transformação digital nas empresas tornando possível e mais prático o entendimento de tecnologia para pessoas das mais diversas especialidades.

O que a torna especial:
De acordo com os fundadores, a Nick Builder é cinco vezes mais rápida se comparada a um desenvolvimento tradicional, o que também dá mais agilidade para entrega dos produtos. Consequentemente, o custo de criação de sistemas é reduzo, pois não há a necessidade de uma equipe completa de desenvolvedores. Além disso, a tecnologia da startup permite a criação de sistemas complexos, desde telemedicina a ERPs, com soluções multiplataforma: web, mobile responsivo e apps.

Modelo de negócio:
O modelo de negócio é baseado em três verticais diferentes: SaaS da plataforma (para que os clientes criem sua solução), marketplace de produtos pré-configurados (para as pessoas que procuram produtos prontos para iniciar seu projeto) e professional service (com configuração de um produto do zero para quem busca uma solução customizada, mas não quer configurá-la na plataforma).

Fundação:
A tecnologia começou a ser desenvolvida em 2018, mas foi lançada em fevereiro de 2020.

Sócios:
Alysson Nazareth — CEO e fundador
Bruno Pfeilsticker — CSO e cofundador
Filipe Drumond — Head de Produtos e cofundador
Flávio Araújo — CFO e cofundador
Paulo Henrique Cerqueira — COO e cofundador

Fundadores:

Alysson Nazareth — 26 anos, Belo Horizonte (MG) — é formado em Sistemas de Informação pela PUC Minas. Fundou a MRP Brasil.

Bruno Augusto Pfeilsticker — 46 anos, Belo Horizonte (MG) — é mestre em Inovação pela Universidade Federal de Minas Gerais. É cofundador da Trekken Ventures.

Filipe Drumond Reis — 37 anos, Itabira (MG) — é mestre em Sistemas de Informação pela Universidade FUMEC. Atuou por 15 anos em uma boutique de consultoria estratégica, a DMEP, desenvolvendo novos produtos e negócios em empresas como Lafarge, Samarco, Cedro, Grupo Marista, PUC Minas e Take Blip.

Flávio de Aguiar Araújo — 46 anos, Sete Lagoas (MG) — é mestre em Inovação pela Universidade Federal de Minas Gerais. É sócio da Confrapar e da Trekken Ventures.

Paulo Henrique Cerqueira, 37 anos, Santo André (SP) — é formado em Administração pela PUC Minas e em Inovação Corporativa pela Universidade de Stanford. Possui especialização pelo MIT em IoT, blockchain e inteligência artificial. Fundou a iTC.

Como surgiu:
A ideia da Nick Builder surgiu a partir de uma necessidade pessoal do Alyson em simplificar processos de trabalho. Em 2018, quando ainda atuava como desenvolvedor profissional de maneira tradicional, ele aproveitava seu tempo livre fora da empresa na qual trabalhava para fazer mais trabalhos como freelancer. Ao ganhar mais experiência com os seus projetos, percebeu que na maioria das vezes a parte de desenvolvimento de código para geração das soluções era muito parecida. Logo surgiu o pensamento: “Se o que muda de um software para o outro são as regras de negócios, porque sempre reescrever as mesmas linhas de código?”. Com essa ideia surgiu o conceito da startup. Paralelamente, Bruno, Flávio, Paulo e Adriano, conhecidos do Alysson, participavam de um projeto em conjunto de aceleração de startups e acabaram trocaram ideia sobre seus projetos pessoais, percebendo que havia sinergia para criarem algo juntos.

Estágio atual:
A Nick Builder tem 14 clientes. O escritório e toda a operação ficam em Belo Horizonte, mas a empresa atende todo o Brasil.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
A startup recebeu um investimento inicial da Trekken Ventures de 100 mil reais.

Necessidade de investimento:
Os sócios querem buscar uma rodada de Seed entre o final deste ano e o início do próximo para expandir o negócio.

Mercado e concorrentes:
“O mercado possui uma enorme oportunidade. Hoje, existe um gap de demanda e oferta de desenvolvedores globalmente, e ainda maior no Brasil. Muitas empresas, empreendedores e executivos sabem o que querem construir para realizar a transformação digital em seus projetos, mas não conseguem colocar a ideia em prática pela falta de conhecimento técnico ou pessoas disponíveis. A Nick resolve essa dor”, afirma Alysson. Como concorrentes indiretos, ele cita a Digibee e a Fluig.

Maiores desafios:
“O maior desafio é tornar a Nick Builder cada vez mais completa e robusta para que possibilite a criação de sistemas mais diversos”, diz o CEO.

Faturamento:
Cerca de 98 mil (previsão para dezembro de 2020).

Previsão de break-even:
Final de 2022.

Visão de futuro:
“Pensando em um futuro próximo, nossa meta é em breve ter nossa interface totalmente pronta, na qual o próprio usuário vai poder montar sua solução, sem precisar do nosso intermédio para fazer a configuração. Pensando um pouco mais para frente, gostaríamos de criar uma comunidade de configuradores Nick Builders, capazes de desenvolver produtos de maneira rápida e fácil. Além disso, disponibilizar um marketplace para que criadores coloquem seus produtos disponíveis para o mercado.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

2936 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: