O Mundoficina conecta oficinas a profissionais autônomos de mecânica e funilaria

Dani Rosolen - 9 mar 2021
COMPARTILHE

Nome:
​Mundoficina​.

O que faz:
É um aplicativo que conecta profissionais autônomos, ou desempregados, de mecânica e funilaria a oficinas que precisem de mão de obra para serviços pontuais.

Que problema resolve:
Para as oficinas, auxilia a localizar profissionais disponíveis para serviços esporádicos. Para os autônomos, o app dá visibilidade e os ajuda a encontrar trabalho.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, não existe outra empresa que ofereça o mesmo serviço especificamente para esse nicho de mercado, que precisava de uma alternativa intermediária entre a contratação CLT e a insegurança dos acordos informais.

Modelo de negócio:
A monetização ocorre de duas formas: cobrando 23% sobre cada contratação realizada dentro do app e por meio de parcerias com empresas que pagam para divulgar seus produtos e serviços na plataforma. A Sherwin Williams, do setor de tintas automotivas, foi a primeira parceira.

Fundação:
O Mundoficina foi fundado em julho de 2020, mas o aplicativo teve seu lançamento oficial em dezembro de 2020.

Sócios:
Alan Sanchis Del Vecchio — Cofundador
Cleber da Cunha Silva — Cofundador

Fundadores:

Alan Sanchis Del Vecchio — 33 anos, São Paulo (SP) — é formado em Engenharia de Produção, com pós-graduação em Gestão Automotiva pela FEI. Trabalha na Toyota.

Cleber da Cunha Silva — 43 anos, São Bernardo do Campo (SP) – é formado em Engenharia de Produção pela UniABC e em Química pela Universidade Mogi das Cruzes. Trabalha na Toyota.

Como surgiu:
Os fundadores, que atuam na área automotiva, contam que identificaram uma dificuldade comum nesse mercado: encontrar mão de obra para serviços pontuais. “Todos os dias, as oficinas estão suscetíveis a perder temporariamente algum funcionário, seja por férias, afastamento por acidente, necessidade de treinamento etc. Há ainda aumentos cíclicos de demanda que fazem com que as oficinas precisem aumentar sua equipe técnica temporariamente”, afirma Alan. Eles notaram que, quando alguma dessas situações ocorre, o tempo de reação das oficinas para conseguir a mão de obra tende a ser lento. “É difícil encontrar um bom profissional disponível e bem indicado. Isso leva as oficinas a perder oportunidades e, muitas vezes, errar na contratação”, diz Cleber. Do outro lado, segundo eles, bons profissionais acabam não tendo acesso a essas oportunidades porque não havia um canal onde pudessem tomar conhecimento dessas demandas. Para preencher essa lacuna, os sócios idealizaram um aplicativo que busca resolver as dores tanto das oficinas quanto dos profissionais de reparação automotiva.

Estágio atual:
O Mundoficina funciona em todo o Brasil, já tem 60 oficinas e quase 90 profissionais cadastrados, além de acordos com redes de concessionárias de grandes marcas. A plataforma funciona assim: oficinas cadastradas buscam profissionais na base do app e podem filtrar por período no qual o serviço precisará ser feito, preços atribuídos pelos prestadores ou score dos profissionais com relação a serviços prestados anteriormente na plataforma. Nesse processo, a comunicação entre prestadores e oficinas ocorre via chat do app e os pagamentos também ocorrem dentro da plataforma.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 75 mil reais no negócio.

Necessidade de investimento:
Neste primeiro momento, os empreendedores querem captar 300 mil reais para investir em marketing, prospecções e equipe própria de programação para melhorias no aplicativo.

Mercado e concorrentes:
“Existem hoje 82 mil oficinas no Brasil e mais de 660 mil profissionais voltados a serviços automotivos. É um mercado que movimenta 67 bilhões de reais por ano. As contratações pontuais sofreram pouquíssima evolução desde sua origem, e é essa lacuna que queremos preencher, trazendo facilidades de conexão inéditas entre oficinas e profissionais autônomos ou desempregados”, conta Alan. “Existem diversas formas de concorrência, mas nenhuma direta. Entre plataformas de intermediação de serviço pontual, por exemplo, a maior é o GetNinjas, mas esse aplicativo não possui uma interface pensada para o nicho de serviços automotivos. Outros tipos de concorrentes são os sites de divulgação de vagas, como Catho e Vagas.com. Temos ainda o uso de grupos via WhatsApp e anúncios em jornais e revistas locais, que geram gastos para oficina, enquanto no nosso app o cadastro é gratuito.”

Maiores desafios:
“Por ser um serviço novo, temos o desafio de transformar seu uso em hábito,  tanto para prestadores quanto para oficinas. Isso exige esforço em divulgar a plataforma, mostrar que ela é segura e viável. No início, o maior desafio, além de crescer, é a retenção desses clientes, uma vez que para continuarem na plataforma eles precisam estar em contato com oportunidades o tempo todo”, afirma Cleber.

Faturamento:
“Esperamos, neste primeiro momento, crescer nossa base de oficinas e de prestadores e realizar ao menos 250 intermediações por mês, com ticket de 200 reais por intermediação, até julho deste ano, quando nosso faturamento mensal chegaria a 50 mil reais”, fala Alan.

Previsão de break-even:
Ainda no primeiro semestre de 2021.

Visão de futuro:
“Queremos ser a maior empresa de facilitação e conexão na área de serviços automotivos no país, promovendo futuramente outras soluções, como consultorias, treinamentos e produtos”, diz Cleber.

Site
Contato

 

520 Total Views 1 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: