O People Club quer potencializar o salário dos colaboradores com um app de descontos personalizados

Dani Rosolen - 19 jan 2021
COMPARTILHE

Nome:
People Club.

O que faz:
É um clube de descontos oferecido como benefício corporativo para ajudar o colaborador a economizar.

Que problema resolve:
Para o funcionário, ajuda afazer render o salário e os benefícios oferecidos pela empresa. Para os RHs, mapeia o perfil de consumo dos funcionários e oferece uma visão ampla do seu quadro de colaboradores, reduzindo o turnover. Para o lojista, disponibiliza ferramentas de engajamento com os clientes para que possam oferecer um cartão fidelidade, marketplace, delivery, clube de assinaturas etc.

O que a torna especial:
O diferencial é atender as três pontas desse ecossistema, beneficiando colaboradores, empresas e lojistas.

Modelo de negócio:
Monetiza em quatro pontas: no valor mensal por usuário pago pelo RH (ou patrocinador) para que o colaborador tenha acesso à plataforma; no transacional do marketplace e afiliados; na contratação de serviços extras oferecidos por parceiros no portal da startup (seguros, convênios, telemedicina, academia etc.) e nos pacotes de interação consumidos pelos parceiros do mercado local (lojas físicas), pois à medida que a ferramenta vai se tornando relevante para esse parceiro, ele pode contratar ferramentas de interação de acordo com sua necessidade (cartão fidelidade, delivery, marketplace, clube de assinaturas, pacote de push notification etc.).

Fundação:
Setembro de 2020.

Sócios:
Lucas Ribeiro — Board member e Conselheiro
Renan Araujo — CEO e fundador
Lucio Araujo — CSO e fundador
Felipe Oliveira — CTO e fundador
Ayrton Fidelis — Tech Leader
ROIT — empresa investidora

Fundadores:

Renan Araujo — 33 anos, São Paulo (SP) — é formado em Sistemas da Informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas, com MBA em Marketing e Empreendedorismo pela Unicsul. Tem passagem pelo Groupon e Méliuz.

Lucio Araujo — 38 anos, São Paulo (SP) — é formado em Publicidade e Propaganda pela UNIP. Atua desde 2012 em projetos disruptivos no Groupon e na Méliuz.

Felipe Oliveira — 26 anos, (São Paulo) — é formado em Sistemas da Informação pela UNIFEO. Trabalhou na Creditas.

Como surgiu:
Em meados de novembro de 2019, Renan Araújo iniciou um projeto de um clube de descontos para ser implementado ao leque de soluções do Grupo ROIT. Em conversa com Lúcio Araujo, que até então tocava seu projeto voltado a fidelidade para o mercado local, eles identificaram que através da união das soluções poderiam criar uma ferramenta para atender três pontas (RH, colaboradores e lojistas). A conversa avançou e, em março de 2020, começaram a desenhar a solução, iniciando o MVP em setembro de 2020. Segundo eles, lojas e RHs foram conectados para iniciar o teste do produto e dois grandes grupos toparam entrar na validação.

Estágio atual:
A People Clube está alocada na Relp Aceleradora, tendo iniciado em dezembro um programa de seis meses de aceleração. Tem mais de 3 500 marcas registradas na plataforma, 230 RHs e 12 mil pessoas  consumindo e validando a solução.

Aceleração:
A startup está no programa da Relp Aceleradora.

Investimento recebido:
A ROIT investiu 300 mil reais no negócio.

Necessidade de investimento:
Os sócios buscam uma rodada de captação de 1 milhão a 2 milhões de reais, com trunchs de desembolso mensal de aproximadamente 60 mil reais, custeando a operação de tecnologia, vendas e marketing pelos próximos 18 meses.

Mercado e concorrentes:
“Vemos muitas possibilidades de conexão e crescimento dentro desse ecossistema que foi muito impactado pela pandemia. Hoje, temos uma solução totalmente necessária e acessível para as três pontas, sendo possível inclusive a contratação a custo zero, com o subsídio de um patrocinador vinculado ao maior fundo global de investimento que validou nosso modelo e hoje oferece essa possibilidade”, diz Renan. Ele cita como concorrentes indiretos as empresas Allya, Convenia, Caju e Vee.

Maiores desafios:
“O maior desafio é o crescimento e escala nas duas pontas — RHs e comercio local — e com uma estrutura enxuta. Além disso, a adequação a LGPD sem perder velocidade no processo de onboarding”, aponta o CEO.

Faturamento:
11 mil reais (dezembro de 2020).

Previsão de break-even:
Final do primeiro semestre de 2021.

Visão de futuro:
“Nossa meta é ser o maior hub de benefícios nacional.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

683 Total Views 4 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: