Uma rede social com foco em cavalos: conheça a Ride2Play!

Dani Rosolen - 10 jan 2024 Dani Rosolen - 10 jan 2024
COMPARTILHE

Nome:
Ride2Play!.

O que faz:
A startup atua em quatro frentes: streaming de mais de 20 modalidades equestres em todo o país; marketplace, operando como o primeiro hub de negócios do cavalo, destinado às marcas de produtos e serviços equestres e do mercado de luxo; gravação de performance de treinos; e videoaulas e Ensino à Distância (EAD), com produção e comercialização de videoaulas sobre a indústria equestre por episódios e temporadas on demand.

Que problema resolve:
O streaming permite acesso, em uma só plataforma, às competições das principais modalidades equestres que não têm cobertura da grande mídia audiovisual. Já o marketplace conecta marcas dos mundos equestre e de luxo com um público ávido por consumo; enquanto as gravação de performance dispensa a necessidade de pedir a alguém para fazer gravações amadoras com o celular; e as videoaulas e Ensino à Distância (EAD) democratizam o acesso à educação com professores no Brasil e no exterior.

O que a torna especial:
Segundo os sócios, a Ride2Play! desenvolve uma nova demanda de mercado, fidelizando um público apaixonado por cavalos. “Somos a primeira empresa a investir e trazer soluções de publicidade digital, de forma pioneira, profissionalizando um nicho com grande oportunidade de expansão e poder de compra”, diz Rodrigo Moraes, o CEO da startup.

Modelo de negócio:
O modelo do negócio é B2B2C. “Nossa remuneração se dá a partir da inovação da publicidade digital para a indústria do cavalo e assinaturas de serviços e produtos em nossa plataforma”, afirma o CEO.

Fundação:
Janeiro de 2020.

Sócios:
Rodrigo Moraes sócio-fundador e CEO
Carol Paiffer sócia-investidora
Umberto Tedeschi sócio e CFO

Fundadores:

Rodrigo Moraes 49 anos, Recife (PE) — é formado em economia e em relações internacionais. Especialista e executivo de holding familiar em empresa pioneira de ESG no Brasil e exterior.

Ana Carolina Paiffer 36 anos, Porto Feliz (SP) formada em administração, é sócia-fundadora e presidente da ATOM Participações.

Umberto Tedeschi 58 anos, São Paulo (SP) — tem MBAs em contabilidade, finanças e marketing. É sócio-fundador e CEO da Abile Consulting Group.

Como surgiu:
Rodrigo conta que ele e os sócios são “apaixonados por cavalos” e investiram muitos recursos nos treinos, na manutenção de seus animais e em viagens para competições. Mas na hora de ver as gravações das provas, ficavam frustrados. “Com tanta tecnologia disponível já há algum tempo, vídeos em 4K e 8K, algoritmos de inteligência artificial, machine learning, entre outras, ficava inconformado com a qualidade dos vídeos que tínhamos — e, infelizmente, em alguns clubes, ainda temos”, diz o CEO. O mesmo problema, segundo ele, se dava com as transmissões ao vivo dessas provas. “O sinal era instável, sempre caia, travava, não sabíamos qual prova estávamos vendo ou quem estava na pista, enfim era simplesmente muito ruim.” Ao perceber esse hiato de mercado, eles decidiram investir em uma nova forma de transmitir esses eventos.

Estágio atual:
A startup tem atualmente mais de 11 mil cadastros ativos em seu aplicativo, mais de 80 mil vídeos publicados na plataforma, mais de 730 mil acessos ano no canal R2P! no YouTube e mais de 5,5 mil horas de transmissão exclusivas, com média de acesso em 20 países (2023).

Aceleração:
Não participou de programa de aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios investiram mais de 1,5 milhão de reais na fase pré-operacional e captaram mais de 1 milhão de reais em 2023 após a participação no programa Shark Tank Brasil.

Necessidade de investimento:
“Ainda temos espaços reservados a patrocinadores-master (âncoras) para a temporada 2024. Nossa meta é fechar cotas de valor total de 3,5 milhões de reais.”

Mercado e concorrentes:
“O PIB do cavalo gera negócios de 30 bilhões de reais ao ano no Brasil, empregando direta ou indiretamente 3,2 milhões de pessoas, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). Buscamos por marcas de produtos e serviços do mercado equestre e de luxo que queiram conversar com nosso público/audiência”, diz Rodrigo. Sobre concorrentes, ele afirma: “Somos a primeira empresa a investir em publicidade digital (e phygital) para a indústria equestre no Brasil. Não temos concorrência direta, todas as empresas que fazem transmissões buscam monetizar com vendas de vídeos pelo WhatsApp comprimidos, com baixa qualidade e com preços abusivos.”

Maiores desafios:
“Pelo nosso pioneirismo, por termos gerado um novo mercado e novas demandas, ainda temos dificuldades de conversar com agências e marcas que queiram acessar nossa audiência.”

Faturamento:
 Até 2023, segundo o CEO, os serviços eram gratuitos, visando gerar leads e relevância de mercado e massa crítica de usuários antes do início de faturamento.

Previsão de break-even:
Fevereiro de 2025

Visão de futuro:
“Queremos ser a Rede Globo do mercado equestre no Brasil e na América do Sul até 2026.”

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

281 Total Views 3 Views Today
COMPARTILHE

Confira Também: